Fiocruz Amazônia abre inscrições para especialização em Gestão das Organizações Públicas de Saúde em Maués

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) lança processo seletivo   para o curso de especialização em Gestão das Organizações Públicas de Saúde, que será realizado no município de Maués (AM). As inscrições devem ser feitas no período de 12/12/2019 a 8 de janeiro de 2020.

A especilização visa o aperfeiçoamento do processo de gestão, planejamento e orçamento público dos sistemas e serviços de saúde em qualquer nível de organização, para a melhoria do desempenho institucional. O curso se destina a profissionais com nível superior do município de Maués e municípios vizinhos que desempenham suas funções e/ou atividades na área de gestão da Atenção Básica.

A especialização em Maués é realizada pelo ILMD/Fiocruz Amazônia e acontece no âmbito do Projeto QualificaSUS, que é apoiado por emenda parlamentar da bancada do Amazonas. Para esta atividade, a Fiocruz Amazônia conta com parceria do Conselho dos Secretários Municipais de Saúde (Cosems-AM).

Confira o edital AQUI

O curso é gratuito e, para esta chamada, estão sendo ofertadas 50 vagas. A especialização tem duração de 12 meses, tempo em que o aluno deverá cursar 400 horas em disciplinas e realizar o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

Esclarecimentos sobre os documentos e envio da inscrição poderão ser solicitados somente através do endereço eletrônico duvidaslato.ilmd@fiocruz.br

O processo seletivo simplificado para o curso é composto por duas etapas:  homologação das inscrições; e análise documental para efeito de pontuação.

Para se inscrever, o candidato deverá apresentar a documentação solicitada no edital. A inscrição ocorrerá apenas por e-mail. Para efetivar sua inscrição, o candidato deverá enviar toda documentação exigida, digitalizada em um único arquivo, no formato “pdf” de até 10MB para o endereço eletrônico inscricaolato.ilmd@fiocruz.br

O horário limite para envio da inscrição será 15h (horário de Manaus/AM) do último dia de inscrição definido no Cronograma. Documentos enviados após o período da inscrição não serão aceitos pela Comissão de Seleção.

SOBRE O QUALIFICASUS

O Projeto QualificaSUS  é uma iniciativa do ILMD/Fiocruz Amazônia  que tem como objetivo qualificar o corpo de trabalhadores que atuam gestão e no atendimento das Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Amazonas e órgãos parceiros, a fim de proporcionar um serviço de melhor qualidade e efetividade aos usuários do SUS.

São cursos de atualização, especialização e mestrado que adotam modelo pedagógico pautado na integração ensino-serviço, na problematização da realidade local, na valorização do conhecimento e experiência do trabalhador, entendido como sujeito das práticas desenvolvidas nas unidades de saúde.

Os cursos estão sendo ofertados em todos os 61 municípios, além da capital Manaus. A iniciativa conta com recursos oriundos de emenda parlamentar da bancada do Amazonas e com parceria do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Amazonas (Cosems-AM).

Atualmente, a Fiocruz Amazônia, por meio do Projeto QualificaSUS, realiza um curso de mestrado profissional, em Manaus;  mais 3 cursos  de pós-graduação lato sensu, que acontecem nos municípios de Tabatinga, Itacoatiara e Tefé; e 33 cursos de atualização para profissionais que atuam no Sistema Único de Saúde (SUS) nos municípios do Amazonas.

O edital e demais chamadas públicas da Fiocruz Amazônia estão disponíveis em https://amazonia.fiocruz.br/?page_id=28031

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Imagem: Mackesy Pinheiro

Projeto QualificaSUS da Fiocruz Amazônia inicia especialização em Saúde em Tefé (AM)

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) iniciou na segunda-feira, 9/12, mais uma turma de especialização pelo Projeto QualificaSUS. A pós-graduação lato sensu em Vigilância em Saúde na Rede de Atenção Primária à Saúde acontece no município de Tefé, que fica a 522km de distância de Manaus, em linha reta.

Estiveram na mesa de abertura do curso,  o prefeito de Tefé, Normando Bessa de Sá, a secretária municipal de Saúde, Maria Adriana Moreira, o presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Amazonas (Cosems-AM), Januário da Cunha Neto, a representante da unidade municipal do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), Nancy Moreira, e o coordenado do curso Bernardino Cláudio Albuquerque.

A solenidade iniciou com a apresentação do vídeo institucional da “Fiocruz: ciência e saúde para todos”, seguido do vídeo de boas-vindas do diretor do ILMD/Fiocruz Amazônia, Sérgio Luz, que não podê estar na aula inaugural, mas enviou saudações aos novos alunos.

Em sua fala, Sérgio Luz comentou sobre a magnitude do Projeto QualificaSUS e do desafio de oferecer cursos presenciais de qualificação para os profissionais que trabalham no Sistema Único de Saúde (SUS) nos 61 municípios e na capital do Amazonas, nas modalidades de atualização, especialização e mestrado profissional.

Para a secretária Adriana Moreira, o curso atende aos anseios dos profissionais de saúde e da gestão de saúde de Tefé. “É um privilégio. Somos premiados com o curso de especialização no município. Esperamos que os alunos nos dêem retorno nas ações nas suas unidades de saúde, quer seja no hospital, nas unidades básicas,  ou na área ribeirinha, para colocar em prática o que eles vão aprender. Nosso município é endêmico para malária, para dengue e vamos aproveitar o aprendizado para colocá-lo à serviço da população”.

A especialização destina-se aos profissionais de nível superior que atuam no município e entorno, desempenhando suas funções e/ou atividades em unidades básicas de saúde e/ou unidades de saúde da família, ou equivalente, na microrregião do Alto Solimões.

Participaram também da abertura do curso os vereadores José Olavo e Daniel Barbosa.

Para esta atividade do Projeto QualificaSUS, a Fiocruz Amazônia contou com o apoio do Cosems-AM, do Cetam e da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM).

SOBRE O CURSO

Esta é a segunda turma de especialização em Vigilância em Saúde na Rede de Atenção Primária à Saúde oferecida pelo ILMD/Fiocruz Amazônia, por meio do Projeto QualificaSUS. A primeira foi iniciada em agosto deste ano, no município de Tabatinga (AM), para capacitação de profissionais de saúde que atuam na tríplice fronteira Brasil-Colômbia-Peru.

O curso é presencial, realizado em período integral (matutino e vespertino), em sistema modular, uma semana por mês, seu objetivo é qualificar profissionais que atuam em cuidados primários de saúde para implantação e desenvolvimento de ações de Vigilância em Saúde no plano territorial-local, promovendo a integração entre oferta de cuidados de APS e ações de vigilância na rede básica de serviços de saúde.

TURMA DE TEFÉ

O curso é coordenado pelo professor Bernardino Albuquerque, da Fiocruz Amazônia. Para esta turma foram selecionados 51 alunos que participarão das 10 disciplinas oferecidas pela especialização, que tem a carga horária de 460 horas.

O certificado será destinado aos alunos que concluírem toda a carga horária e defenderem o trabalho de conclusão.

Para a enfermeira da Atenção Básica do município de Maraã, Débora da Silva Neves, aluna do curso,  a capacitação vem atender aos desejos dos profissionais de saúde daquela região. “Estou formada há um bom tempo, e a oportunidade de fazer uma pós-graduação aqui em Tefé, que é um município próximo,  me causou uma certa ansiedade. Minha expectativa é de que vai ser tudo bom, de que a gente vai ter bastante conhecimento para levar para as nossas atividades e nossa população”.

Para dar apoio à turma, a enfermeira Teresa Prado, peruana, que trabalha há 15 anos na saúde do município de Tefé, também participou da abertura do curso. “Quero desejar um bom curso para nossos colegas. A oportunidade está sendo dada, através dos conhecimentos que vão adquirir aqui, agora a habilidade para aplicar em serviço depende de cada um, espero que esse conhecimento seja levado para a nossa realidade, para sabermos operacionalizar e avançar.  No Amazonas, temos as mesmas endemias, mas não temos às vezes  o apoio necessário, por isso esse curso é importante”, comentou.

SOBRE O QUALIFICASUS

O Projeto QualificaSUS  é uma iniciativa do ILMD/Fiocruz Amazônia  que tem como objetivo qualificar o corpo de trabalhadores no nível da gestão e do serviço das Secretarias Municipais de Saúde do Amazonas e órgãos parceiros, a fim de proporcionar um serviço de melhor qualidade e efetividade aos usuários do SUS.

São cursos de atualização, especialização e mestrado que adotam modelo pedagógico pautado na integração ensino-serviço, na problematização da realidade local, na valorização do conhecimento e experiência do aluno trabalhador, entendido como sujeito das práticas de gestão e sanitárias desenvolvidas nas unidades de saúde.

Os cursos são ofertados em todos os 61 municípios, além da capital Manaus. A iniciativa conta com apoio de emenda da bancada parlamentar do Amazonas e com parceria do Cosems-AM.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Marlúcia Seixas

Fiocruz Amazônia inicia especialização em Tefé (AM), pelo Projeto QualificaSUS

No município de Tefé (AM) inicia na segunda-feira, 9/12, o curso lato sensu em Vigilância em Saúde na Rede de Atenção Primária.  O curso é mais uma oportunidade de especialização, oferecida a trabalhadores graduados das secretarias municipais de saúde do Amazonas, no âmbito do Projeto QualificaSUS.

Para esta ação de ensino, o ILMD/Fiocruz Amazônia conta com a parceria do Conselho dos Secretários Municipais de Saúde (Cosems-AM) e apoio de emenda parlamentar da bancada do Amazonas.

O quê? Aula inaugural do Curso Vigilância em Saúde na Rede de Atenção Primária em Tefé

Quando? 9/12/2019

Hora? 8h30min

Onde? Auditório do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), localizado na Rua Olavo Billac, n° 341, Centro, no município de Tefé (AM).

O curso destina-se aos profissionais de nível superior de Tefé e entorno, que desempenham suas funções e/ou atividades em unidades básicas de saúde e/ou unidades de saúde da família, ou equivalente, na microrregião do Alto Solimões.

A turma inicia com 51 alunos. As aulas são presenciais, em sistema modular e acontecem em período integral (matutino e vespertino), uma semana por mês, de segunda a sábado. O curso tem duração de 12 meses, incluindo a apresentação do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

Com coordenação do professor Bernardino Albuquerque, a especialização oferece 10 disciplinas, com carga horária de 460 horas, e estão envolvidos nesse processo 15 professores. O certificado será destinado aos alunos que concluírem toda a carga horária e defenderem o trabalho de conclusão.

O objetivo do curso é qualificar profissionais que atuam em cuidados primários de saúde para implantação e desenvolvimento de ações de Vigilância em Saúde no plano territorial-local, promovendo a integração entre oferta de cuidados de APS e ações de vigilância na rede básica de serviços de saúde.

Sobre o ‘QualificaSUS’

O Projeto QualificaSUS  é uma iniciativa do ILMD/Fiocruz Amazônia  que tem como objetivo qualificar o corpo de trabalhadores no nível da gestão e do serviço das Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Amazonas e órgãos parceiros, a fim de proporcionar um serviço de melhor qualidade e efetividade aos usuários do SUS.

São cursos de atualização, especialização e mestrado que adotarão modelo pedagógico pautado na integração ensino-serviço, na problematização da realidade local, na valorização do conhecimento e experiência do trabalhador, entendido como sujeito das práticas de gestão e sanitárias desenvolvidas nas unidades de saúde.

Os cursos serão ofertados em todos os 61 municípios, além da capital Manaus. A iniciativa conta com recursos oriundos de emenda parlamentar da bancada do Amazonas e com parceria do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Amazonas (Cosems-AM).

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Diovana Rodrigues
Imagem: Mackesy Pinheiro

 

Começam as aulas do Mestrado Profissional em Saúde Pública, da Fiocruz Amazônia

Iniciou nesta segunda-feira, 2/12, mais um curso no âmbito do Projeto QualificaSUS  do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia). Trata-se do Mestrado Profissional em Saúde Pública, que acontece em parceria com o Instituto Aggeu Magalhães (IAM/Fiocruz Pernambuco).

A turma é formada por 20 alunos, sendo 15 vagas ocupadas por profissionais das Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Amazonas e 5 servidores do ILMD/Fiocruz Amazônia.

A abertura das atividades do curso contou com as presenças do coordenador regional do mestrado Profissional em Saúde Pública do IAM/Fiocruz Pernambuco, Garibaldi Gurgel Jr., da vice-diretora de Ensino, Informação e Comunicação do ILMD/Fiocruz Amazônia, Claudia Ríos,  da vice-diretora de Ensino e Informação Científica do IAM/Fiocruz Pernambuco, Ana Paula Nascimento, do presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Amazonas  (Cosems/AM), Januário Carneiro da Cunha Neto, do presidente do Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (Conasems) Willames Freire Bezerra, e do diretor do ILMD/Fiocruz Amazônia,  Sérgio Luz.

Sérgio Luz destacou a importância do curso e o desafio do Projeto QualificaSus de qualificar 5 mil profissionais de saúde em todo o Amazonas. “É com grande prazer que a gente recebe todos vocês aqui, para essa nova iniciativa, e, como todos sabem, corremos um pouco, para iniciar este curso em Dezembro e, com isso, mantemos o nosso cronograma do QualificaSus”, comentou.

Claudia Ríos disse que “essa primeira turma faz parte de um anseio das Secretarias de Saúde, do Cosems e da Fiocruz Amazônia. A gente fez reuniões e detectou a necessidade e estabelecemos esse curso como uma prioridade. O processo seletivo foi apertado, por ser em pouco tempo, mas tivemos 98 inscritos. Hoje, temos dentre os alunos pessoas de vários municípios”, comentou.

A aula inaugural do curso foi ministrada por Willames Freire Bezerra e teve como tema “O Financiamento da Saúde pelos Municípios”.

O curso tem como objetivo preparar profissionais para atuar como formadores e indutores de processos de mudança em seus espaços de trabalho, mediante a adoção de novos conceitos e práticas, desenvolvendo produtos de alta aplicabilidade ao desenvolvimento do Sistema Único de Saúde (SUS).

A TURMA

Para Sanay Souza Pedrosa, analista de situação de saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (Semsa) e aluna do novo curso de mestrado, “as expectativas em relação ao curso são as melhores possíveis. A gente passou por um processo de seleção bem tenso e isso faz com que a expectativa realmente aumente e, hoje, é só muita felicidade de fazer parte dessa turma”, comentou.

Fábio Cabral, servidor da  Fiocruz Amazônia, e aluno da nova turma,  salientou a importância do curso para sua formação, “é uma ótima oportunidade para nos qualificarmos, principalmente para os servidores que trabalham diariamente com o SUS”, comentou.

SOBRE O CURSO

O curso terá a duração de 24 meses, sendo composto de 11 disciplinas oferecidas de maneira presencial, durante uma semana a cada mês. Nos 13 meses seguintes, ocorrerão módulos semanais presenciais de imersão para aprofundamento da pesquisa bibliográfica e encontros sistemáticos com os orientadores.

As aulas da primeira disciplina acontecem de 2 a 6/12/2019, nas dependências do ILMD/Fiocruz Amazônia, à rua Teresina, 476, Adrianópolis, Manaus.

SOBRE O QUALIFICASUS

O Projeto QualificaSUS  é uma iniciativa do ILMD/Fiocruz Amazônia  que tem como objetivo qualificar o corpo de trabalhadores no nível da gestão e do atendimento das Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Amazonas e órgãos parceiros, a fim de proporcionar um serviço de melhor qualidade e efetividade aos usuários do SUS.

São cursos de atualização, especialização e mestrado que adotam modelo pedagógico pautado na integração ensino-serviço, na problematização da realidade local, na valorização do conhecimento e experiência do aluno trabalhador, entendido como sujeito das práticas de gestão e sanitárias desenvolvidas nas unidades de saúde.

Os cursos são ofertados nos 61 municípios, além da capital Manaus. A iniciativa conta com recursos oriundos de emenda da bancada parlamentar do Amazonas e com parceria do Cosems-AM.

Ascom ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Apoio; Diovana Rodrigues
Foto: Marlúcia Seixas

Aula inaugural do Mestrado Profissional em Saúde Pública será na segunda-feira, 2/12

Na segunda-feira, 2/12, o Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) recebe autoridades e alunos para a aula inaugural do curso de Mestrado Profissional em Saúde Pública.

O curso é oferecido no âmbito do Projeto QualificaSUS, da Fiocruz Amazônia, e será realizado por meio de  parceria com o Instituto Aggeu Magalhães  (IAM/Fiocruz Pernambuco) e Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Amazonas  (Cosems/AM).

A duração do mestrado é de 24 meses. O curso é presencial, sendo ofertadas 11 disciplinas, que acontecerão durante uma semana a cada mês. As aulas da primeira disciplina serão realizadas de 2 a 6/12/2019, nas dependências do ILMD/Fiocruz Amazônia, à rua Teresina, 476, Adrianópolis, Manaus.

O quê? Aula inaugural do curso de Mestrado Profissional em Saúde Pública

Quando? 2/12/2019

Hora? 9h30min

Onde? Salão Canoas, sede da Fiocruz Amazônia, à rua Teresina, 476, Adrianópolis, Manaus.

SOBRE O QUALIFICASUS

O Projeto QualificaSUS é uma iniciativa do ILMD/Fiocruz Amazônia e tem como objetivo qualificar o corpo de trabalhadores no nível da gestão e do atendimento das secretarias municipais de saúde do Amazonas e órgãos parceiros, a fim de proporcionar um serviço de melhor qualidade e efetividade aos usuários do SUS.

São cursos de atualização, especialização e mestrado que adotam modelo pedagógico pautado na integração ensino-serviço, na problematização da realidade local, na valorização do conhecimento e experiência do aluno trabalhador, entendido como sujeito das práticas de gestão e sanitárias desenvolvidas nas unidades de saúde.

Os cursos são ofertados nos 61 municípios, além da capital Manaus. A iniciativa conta com recursos oriundos de emenda da bancada parlamentar do Amazonas e com parceria do Cosems-AM.

Ascom ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Imagem: Mackesy Nascimento

Projeto desenvolvidos pela Fiocruz Amazônia são apresentados durante simpósio de pesquisadores em saúde da tríplice fronteira

O instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), em parceria com a Universidade Nacional da Colômbia (UN) – Sede Amazônia – Letícia (COL), promoveu entre os dias 27 e 29/11, o I Simpósio de Pesquisadores em Saúde da Tríplice Fronteira entre Brasil, Colômbia e Peru. O evento visou promover o encontro científico e interinstitucional, direcionado aos pesquisadores e profissionais da saúde, alunos de graduação e pós-graduação, para divulgar as pesquisas científicas em saúde realizadas na fronteira e incentivar a criação de uma rede de pesquisadores em saúde da tríplice fronteira.

A atividade é resultados de debates, promovidos durante um encontro, realizado em junho de 2019, entre pesquisadores do ILMD/Fiocruz Amazônia, Instituto Oswaldo Cruz – IOC/Fiocruz, Institut de Recherche Pour le Développement (IRD) e pesquisadores da Universidade Nacional da Colômbia – Sede Amazônia (UN), em Letícia (COL), para compartilhar informações sobre ações institucionais e possíveis estratégias para a saúde na fronteira.

Participaram da mesa de abertura do evento, o diretor do ILMD/Fiocruz Amazônia, Sérgio Luz, o diretor da Universidade Nacional da Colômbia – Sede Amazônia (UNAL), Germán I. Ochoa, o coordenador de pesquisa da UNAL, Carlos Zarate, e o secretário de saúde Departamental do Amazonas da Colômbia, Jose Hernan Espejo.

Para Sérgio Luz, o intercâmbio de informações sobre as pesquisas na área da saúde, realizadas na tríplice fronteira entre Brasil Colômbia e Peru, é de grande relevância para a colaboração entre os países. “Hoje estamos aqui para discutir temas de saúde importantes para esses países. A intenção é que esse simpósio retroalimente a ideia inicial da colaboração. Tivemos importantes falas sobre os problemas de saúde durante o evento, para que esse entendimento comece a crescer, e a gente consiga alcançar um objetivo maior de construir conhecimento e relações nesse território, que precisa ser visto como um território único”, disse.

 

No primeiro dia de evento, a vice-diretora de Ensino, Informação e Comunicação da Fiocruz Amazônia, Claudia Rios, realizou uma apresentação institucional sobre a Unidade da Fiocruz em Manaus, destacando a importância da formação, e apresentando os programas de pós-graduação e cursos de especialização. Na ocasião, foi abordada também a promoção do Curso de Especialização em Vigilância em Saúde na Rede de Atenção Primária à Saúde, oferecido pela Fiocruz Amazônia, em formato presencial em Tabatinga (AM).

O Vice-Diretor de Pesquisa e Inovação da Fiocruz Amazônia, apresentou o projeto “Vigilância genômica de vírus emergentes e reemergentes na Amazônia ocidental brasileira”. Já o pesquisador Lee Crainey, apresentou o projeto “Doenças filariais na Amazônia brasileira”.

Representando Sérgio Luz, coordenador do projeto “Controle de Aedes Spp. Com Estações Disseminadoras de Larvicida em Tabatinga (Brasil) e Leticia (Colombia)”, o pesquisador José Joaquim, abordou a implantação do projeto na tríplice fronteira. O estudo iniciou em 2014 nas cidades de Manaus e Manacapuru, no Amazonas. Atualmente, está sendo testado em outras cidades brasileiras e tem apresentado resultados animadores mesmo em diferentes paisagens geográficas e escalas.

Confira a programação do evento

Durante o evento, outros pesquisadores apresentaram trabalhos, representando a Fiocruz Amazônia: Sully Sampaio, do Laboratório de Situação de Saúde e Gestão do Cuidado de Populações Indígenas e outros grupos vulneráveis (SAGESPI), apresentou o projeto “Atenção diferenciada: a formação técnica de agentes Indígenas de saúde do alto rio negro”. Bernardino Albuquerque, coordenador do curso de Especialização em “Vigilância em Saúde na Atenção Básica”, em Tefé, abordou “A importância da implantação de uma sala de situação em Saúde na tríplice fronteira”.

SALA DE SITUAÇÃO EM SAÚDE

Representando a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), José Juan Cortez, apresentou as “Experiência da Organização Pan-americana de Saúde com sala de situação”.  A Sala de Situação em Saúde do Ministério da Saúde, tem por objetivo disponibilizar informações, de forma executiva e gerencial, para subsidiar a tomada de decisão, a gestão, a prática profissional e a geração de conhecimento. Além disso, demonstra a atuação governamental no âmbito do SUS, fornece referencial para projeções e inferências setoriais, além de contribuir para a transparência acerca das ações desenvolvidas na área da saúde.

A sala é dividida em quatro módulos: O socioeconômico apresenta aspectos socioeconômicos, demográficos e territoriais que permitem identificar a situação conjuntural brasileira. Reúne dados políticos de estados e municípios, bem como as representações no poder Legislativo e sua atuação na área da saúde, por meio de emendas e convênios. Já o módulo “Ações em saúde”, possibilita o acompanhamento das metas físicas, coberturas e repasses financeiros relacionados às principais ações e programas do Ministério da Saúde.

“Situação de saúde” é o módulo que disponibiliza indicadores epidemiológicos e operacionais relacionados a doenças e agravos caracterizados como problema de saúde pública, além de auxiliar na elaboração de análises contextuais, utilizadas na formulação de políticas e na avaliação de intervenções específicas no campo da saúde.

Outro setor importante é o de “Gestão em saúde”, que aborda a execução orçamentária do Ministério da Saúde, por unidade orçamentária, programas e ações. Informa os limites financeiros por empenho e por fontes de recurso. Detalha a situação de convênios e apresenta as transferências fundo a fundo, particularizando os repasses financeiros. Exibe informações sobre estabelecimentos e profissionais de saúde em atuação no SUS. Através da sala é possível mostrar indicadores de processo e resultados do monitoramento do Pacto pela Saúde.

“Participamos com muito agrado deste simpósio, para podermos conhecer e apoiar em todas as políticas que estão sendo planejadas e desenvolvidas, a partir de uma experiência que temos vivenciado em outros cenários, também de fronteira. Esperamos estar contribuindo, para fortalecermos dessas políticas através de nossas experiências”, destacou Juan José Cortez Escalante, representante da OPAS.

Ascom – ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes

Fotos: Eduardo Gomes

Fiocruz Amazônia lança exposições durante simpósio na tríplice fronteira entre Brasil, Colômbia e Peru

A popularização da ciência é tema essencial para sociedades atuais e, em particular, para os países em desenvolvimento ou emergentes, como o Brasil. Mais do que nunca, o cidadão está sendo chamado a participar ativamente dos rumos da sociedade e apropriar-se dos conteúdos de CT&I.

Pensando nisso, o Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) lançou esta semana, duas exposições que visam popularizar o conhecimento produzido pela Instituição. “Malária – O caminho da gota espessa” e “DigiCiência”, projetos aprovados no edital N. 009/2019 – POP CT&I, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), foram apresentadas ao público, entre os dias 27 e 29/11, durante a “Feira Ciência & Saúde Para Você”, realizada no município de Tabatinga (AM) e em Letícia, na Colômbia.

As exposições fazem parte da Política de Extensão, Divulgação e Popularização da Ciência do  ILMD/Fiocruz Amazônia, visando o compromisso com a disseminação e compartilhamento de conhecimento e tecnologias voltadas para o fortalecimento e a consolidação do Sistema Único de Saúde (SUS), que contribuam para a promoção da saúde e da qualidade de vida da população, redução das desigualdades sociais e dinâmica nacional de inovação, tendo em vista a defesa do direito à saúde. O circuito de atividade promovidas pela Fiocruz Amazônia, comtemplam também a 16ª Semana Nacional de Ciência & Tecnologia (SNCT).

Mais de 200 visitantes passaram pelo Instituto Federal do Amazonas (Ifam/Campus Tabatinga), para conferir as exposições que retratam pesquisas, o trabalho de pesquisadores e alunos da Unidade, além de contar a trajetória da Instituição na Amazônia.

MALÁRIA – O CAMINHO DA GOTA ESPESSA

A região amazônica concentra quase totalidade dos casos de malária do Brasil. Para se ter o diagnóstico da doença, é realizado o exame de Gota Espessa. A técnica é muito simples e eficaz no diagnóstico e combate à malária, e atende às especificidades do território amazônico, além do acesso aos serviços de saúde.

No entanto, há um longo caminho construído pelo sistema de saúde até se chegar ao exame amplamente conhecido pela população. Uma forma de buscar a diminuição das desigualdades construídas no acesso aos tratamentos de saúde, passa pela compreensão das ações necessárias ao seu enfrentamento.

Cientes desse quadro, pesquisadores e estudantes do ILMD/Fiocruz Amazônia, sobretudo do Laboratório Ecologia de Doenças Transmissíveis na Amazônia (EDTA), vêm desenvolvendo ações de pesquisa nesta área, utilizando esta técnica de coleta, tendo gerado, inclusive, publicações científicas.

Ao lado disso, o grupo também empreende esforços na estratégia de sensibilizar a população para a importância de um diagnóstico rápido e eficaz, o que é oportunizado pelo exame da Gota Espessa. A exposição abre a possibilidade de uma sensibilização coletiva para a importância da realização do exame.

Painéis, cartilhas e 25 expositores destacam, de forma didática, as fases de execução do exame da Gota Espessa para o diagnóstico da malária, potencializando a ampliação da divulgação do conhecimento acerca do exame.

O projeto pretende beneficiar os moradores da Comunidade Rural do Rio Pardo, em Presidente Figueiredo e Lago do Limão, Iranduba, Amazonas, onde o ILMD/Fiocruz Amazônia mantém estações de trabalho, além do município de Tabatinga, fronteira com Colômbia e Peru, onde o Instituto tem ações com parceiros Panamazônicos, visando dar continuidade às atividades de pesquisa, extensão e popularização científica que já vêm ocorrendo nessas comunidades.

Eric Fabrício Marialva, membro do laboratório, explicou que estas ocasiões são extremamente relevantes para aproximar ciência e comunidade. “Ter participado desse evento foi muito gratificante, pois nos possibilita ter um contato maior com a comunidade. Nós que desenvolvemos pesquisa, geralmente temos dificuldade de passar os resultados para a população de uma maneira mais acessível. Foi uma experiência muito boa”, disse.

“DIGICIÊNCIA”

Apresentar através de conteúdos audiovisuais o trabalho de pesquisadores e alunos da Fiocruz Amazônia é uma das metas do projeto “DigiCiência – Oficina de Vídeos Digitais para Divulgar Ciência (II Edição)”. Nesse sentido, alunos da Instituição, selecionados durante a Oficina promovida pelo projeto, estiveram em Tabatinga (AM), para apresentar os resultados dos vídeos produzidos e dialogar com os visitantes sobre a produção de conteúdos multimídia, de fácil entendimento ao público em geral.

A primeira etapa do projeto, promoveu oficinas de comunicação com a finalidade de orientar os alunos de pós-graduação a promoverem a divulgação científica, de forma criativa e lúdica, utilizando a tecnologia e uso do smartphone no processo de comunicação da ciência.

Os vídeos produzidos durante a oficina foram expostos, em Tabatinga, e posteriormente devem ser disponibilizados na homepage institucional, nas mídias sociais digitais da instituição, além de apresentados em eventos científicos e distribuídos em forma de DVD a parceiros e interessados.

A ideia dos organizadores é gerar um produto de divulgação e conscientização que chegue, em linguagem fácil e acessível, ao grande público e que tenha um caráter mais duradouro e menos ocasional, contribuindo, para o alcance de um importante compromisso institucional.

Ana Elizabeth Reis, mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA), foi uma das selecionadas para participar da ação em Tabatinga. “Foi uma experiência muito exitosa. Precisamos mostrar para a sociedade o que o ILMD faz, o que a pesquisa pode gerar de benefícios. Essa atividade deu a oportunidade para os estudantes se aproximarem mais da pesquisa. Estou levando as experiências dessa ação para serem aplicadas no laboratório onde estou atuando”, destacou.

SOBRE A SNCT

A Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) é uma ação do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e tem o objetivo de aproximar Ciência e Tecnologia da população, promovendo eventos que congregam centenas de instituições, a fim de realizarem atividades de divulgação científica em todo o País. A SNCT tem como premissa levar a ciência em uma linguagem acessível à população, por meios inovadores que estimulem sua curiosidade e motivem a discutir as implicações sociais da Ciência, além de aprofundarem seu conhecimento sobre o tema.

Com 25 anos de atuação, o ILMD/Fiocruz Amazônia, por meio de seus pesquisadores, tecnologistas, técnicos e bolsistas, promove e protagoniza ações de extensão, divulgação e popularização científica, o que tem gerado um conjunto de projetos e produtos, que estabelecem um diálogo direto e efetivo com a sociedade.

Ascom – ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Fotos: Edmilson Bibiani

SNCT: Fiocruz Amazônia promove “Feira Ciência & Saúde Para Você”, em Tabatinga (AM) e Letícia, na Colômbia

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) em parceria com a Universidade Nacional da Colômbia (UN) – Sede Amazônia – Letícia (COL), e o Instituto Federal do Amazonas – Ifam/Campus Tabatinga, promoveu entre os dias 27 e 29/11, o I Simpósio de Pesquisadores em Saúde da Tríplice Fronteira entre Brasil, Colômbia e Peru. As atividades iniciaram na manhã da última quarta-feira, 27/11, em Letícia (COL) e Tabatinga (AM), com a realização da “Feira Ciência & Saúde Para Você”, projeto aprovado edital N. 009/2019 – POP CT&I, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam).

Exposições de vídeos para divulgação e popularização da ciência; Malária – O caminho da gota espessa; Controle de mosquitos Aedes com estações disseminadoras de larvicida; Exposição Institucional – Instituto Leônidas & Maria Deane, foram algumas das exposições apresentadas pela equipe da Fiocruz Amazônia para o evento. O público poderá conferir de perto as exposições que estiveram em circulação durante os 3 dias de evento.

Para José Joaquim, pesquisador da Fiocruz Amazônia e coordenador da feira, o evento é uma relevante oportunidade de conhecer os estudos sobre saúde produzidos na tríplice fronteira. “Desde o início do ano estamos nos comunicando com os pesquisadores da Universidade Nacional da Colômbia para aproximarmos a pesquisa e estabelecer o fortalecimento da pós-graduação. A estratégia é promover um intercâmbio de conhecimento, justamente para conhecermos a realidade das pesquisas em saúde promovidas aqui na tríplice fronteira”, explicou.

Visando a popularização do conhecimento nos dois países, as exposições aconteceram simultaneamente nas dependências da Universidade Nacional da Colômbia (UN) – Sede Amazônia – Letícia (COL), e no Instituto Federal do Amazonas – Ifam/Campus Tabatinga. Estudantes de ensino médio, graduação, pós-graduação e comunidade dos dois países passaram pelo local.

O CAMINHO DA GOTA ESPESSA

Com o intuito de sensibilizar o grande público sobre a importância do exame da Gota Espessa para o diagnóstico da malária, demonstrando a cadeia de ações realizadas até a entrega do resultado ao usuário, a exposição “Malária – O caminho da gota espessa” visa facilitar o entendimento de um processo complexo da saúde, valorizando as ações do cidadão, dos agentes comunitários de saúde e das agências de governo no combate e tratamento da doença.

A exposição abre a possibilidade de uma sensibilização coletiva para a importância da realização do exame. Painéis, cartilhas e 25 cartazes destacam, de forma didática, as fases de execução do exame da Gota Espessa para o diagnóstico da malária, potencializando a ampliação da divulgação do conhecimento acerca do exame.

DIGICIÊNCIA

Outra atividade que também obteve destaque durante a feira foi a mostra de vídeos “DigiCiência”. A exibição dos vídeos é uma das etapas do projeto “DigiCiência – Oficina de vídeos digitais para divulgar ciência (II Edição)”, que utiliza vídeos como ferramenta para instigar a essência da divulgação científica nos pesquisadores ainda na fase de formação.

Na primeira etapa, pesquisadores e alunos de pós-graduação do ILMD/Fiocruz Amazônia, participaram de uma oficina de capacitação, onde foram apresentadas técnicas de produção de vídeos digitais, iniciando pela elaboração do roteiro e elementos de pré-produção, passando pela gravação e pela edição até chegar ao produto final.

Os vídeos produzidos estão sendo apresentados durante ações de popularização realizadas pelo Instituto em Manaus, e nos municípios de Tabatinga e Presidente Figueiredo, em encontros previamente agendados. Estima-se que mais de 100 alunos das escolas públicas terão a oportunidade de assistir os vídeos que são resultantes das oficinas. Após a exposição dos vídeos, os visitantes podem tirar dúvidas e debater com os produtores do material apresentado.

O projeto “Controle de Aedes aegypti e Ae. albopictus com Estações Disseminadoras de Larvicida” também foi apresentado durante a Feira. O projeto é do pesquisador e diretor do ILMD/Fiocruz Amazônia, Sérgio Luz. Durante o evento a equipe técnica do projeto apresentou resultados parciais dos ensaios feitos com as Estações Disseminadoras de Larvicida.

O projeto conta com apoio do Ministério da Saúde, por meio do Departamento de Ciência e Tecnologia, e do Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis (Decit & Devit/MS), da Organização Pan-Americana da Saúde-Organização Mundial da Saúde (Opas-OMS), e com apoio de secretarias municipais e estaduais de Saúde, para que ensaios possam ser feitos em diferentes regiões do Brasil, visando avaliar a eficácia da tática do uso das Estações Disseminadoras de Larvicida.

SOBRE AS ESTAÇÕES DISSEMINADORAS

As Estações Disseminadoras de Larvicida são baldes plásticos, cobertos com pano preto impregnados de larvicida, e que para funcionarem necessitam de uma certa quantidade de água para atrair os mosquitos. Ao pousarem na superfície da Estação, partículas do larvicida são aderidas às pernas e corpo dos mosquitos, que acabam levando esse produto para outros criadouros e, com isso, conseguem matar larvas e pupas, inclusive em criadouros que muitas vezes não poderiam ser localizados pela população e equipes de vigilância.

O estudo iniciou em 2014 nas cidades de Manaus e Manacapuru, no Amazonas. Atualmente, está sendo testado em outras cidades brasileiras e tem apresentado resultados animadores mesmo em diferentes paisagens geográficas e escalas.

SIMPÓSIO

A abertura do simpósio aconteceu ontem, às 17h, na UN, com apresentação Institucional sobre o ILMD/Fiocruz Amazônia, realizada pela pesquisadora e Vice-Diretora de Ensino, Informação e Comunicação, Claudia María Ríos Velásquez. Claudia falou sobre os programas de pós-graduação da Fiocruz Amazônia, linhas de pesquisa, cursos de especialização, e destacou a importância da realização de capacitação, por meio de cursos realizados em Tabatinga, inclusive ressaltando a realização de um recente processo seletivo para alunos estrangeiros, na tríplice fronteira.

O simpósio visa promover um encontro científico e interinstitucional direcionado aos pesquisadores e profissionais da saúde, alunos de graduação e pós-graduação, para divulgar as pesquisas científicas em saúde realizadas na fronteira e incentivar a criação de uma rede de pesquisadores em saúde da tríplice fronteira.

As atividades foram propostas durante um encontro, realizado em junho de 2019, entre pesquisadores do ILMD/Fiocruz Amazônia, Instituto Oswaldo Cruz – IOC/Fiocruz, Institut de Recherche Pour le Développement (IRD) e pesquisadores da Universidade Nacional da Colômbia – Sede Amazônia (UN), em Letícia (COL), para compartilhar informações sobre ações institucionais e possíveis estratégias para a saúde na fronteira.

O encontro realizado na primeira semana de junho de 2019, teve como enfoque os seguintes temas: incentivo à criação de uma rede de pesquisa sobre questões de saúde com uma perspectiva interdisciplinar e intercultural, articulação para a consolidação da sala de situação em saúde na fronteira entre Brasil e Colômbia, e planejamento de evento científico sobre questões de saúde na fronteira.

Ascom – ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Fotos: Eduardo Gomes, Edmilson Bibiani e Ana Elizabeth Reis

 

Fiocruz Amazônia divulga resultado do Mestrado Profissional em Saúde Pública

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) divulgou nesta quarta-feira, 27/11, o resultado da etapa III da seleção para o Mestrado Profissional em Saúde Pública. Participaram da seleção profissionais de saúde, com diploma de graduação, que atuam em secretarias municipais de saúde do Amazonas e servidores da Fiocruz Amazônia.

O curso é oferecido no âmbito do Projeto QualificaSUS  e será realizado por meio de  parceria entre o Instituto Aggeu Magalhães  (IAM/Fiocruz Pernambuco), ILMD/Fiocruz Amazônia e Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Amazonas  (Cosems/AM).

Para o resultado, clique.

Estão sendo oferecidas 20 vagas, sendo 15 vagas destinadas a profissionais das Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Amazonas e 5 vagas destinadas a servidores do ILMD/Fiocruz Amazônia.

O curso tem como objetivo preparar profissionais para atuar como formadores e indutores de processos de mudança em seus espaços de trabalho, mediante a adoção de novos conceitos e práticas, desenvolvendo produtos de alta aplicabilidade ao desenvolvimento do Sistema Único de Saúde (SUS).

RECURSO 

O prazo para recurso do resultado da etapa III será no dia 28/11, e o resultado final sai no dia 29/11. A matrícula e início das aulas será no dia 2 de dezembro, segunda-feira, as 9h, na Fiocruz Amazônia.

O curso terá a duração de 24 meses, sendo composto por 11 disciplinas, oferecidas de maneira presencial, durante uma semana a cada mês. Nos 13 meses seguintes, ocorrerão módulos semanais presenciais de imersão, para aprofundamento da pesquisa bibliográfica e encontros sistemáticos com os orientadores.

As aulas da primeira disciplina acontecem na semana de 2 a 6/12/2019, nas dependências do ILMD/Fiocruz Amazônia, à rua Teresina, 476, Adrianópolis, Manaus.

SOBRE O QUALIFICASUS

O Projeto QualificaSUS é uma iniciativa do ILMD/Fiocruz Amazônia e tem como objetivo qualificar o corpo de trabalhadores no nível da gestão e do atendimento das secretarias municipais de saúde do Amazonas e órgãos parceiros, a fim de proporcionar um serviço de melhor qualidade e efetividade aos usuários do SUS.

São cursos de atualização, especialização e mestrado que adotam modelo pedagógico pautado na integração ensino-serviço, na problematização da realidade local, na valorização do conhecimento e experiência do aluno trabalhador, entendido como sujeito das práticas de gestão e sanitárias desenvolvidas nas unidades de saúde.

Os cursos são ofertados nos 61 municípios, além da capital Manaus. A iniciativa conta com recursos oriundos de emenda da bancada parlamentar do Amazonas e com parceria do Cosems-AM.

Acesse chamadas públicas do ILMD/Fiocruz Amazônia.

 

Ascom ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Imagem: Mackesy Nascimento

Fiocruz Amazônia lança livro e biblioteca virtual sobre formação e saúde indígena

A saúde indígena foi destaque ontem, 25/11, no Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), com dois lançamentos que demonstram o compromisso de pesquisadores da Fiocruz com a saúde dos povos indígenas. Primeiro, foi lançado o livro “Atenção diferenciada: a formação técnica de agentes indígenas de saúde do Alto Rio Negro”, de autoria de Luiza Garnelo, Sully de Souza Sampaio e Ana Lúcia Pontes. Depois, foi a vez da biblioteca virtual BVS Saúde dos Povos.

O evento reuniu no Salão Canoas, auditório da Fiocruz Amazônia, pesquisadores, indígenas, representantes das instituições envolvidas com a saúde, formação e capacitação dos povos indígenas, e demais interessados.

Luiza Garnelo explicou que o livro é resultado da formação dos agentes indígenas de saúde do Alto Rio Negro, a demanda dos próprios índios foi para o curso ofertado lhes permitisse elevar a escolaridade dos participantes, ao nível de ensino médio. “Muita gente ajudou. Fazer uma coisa dessas não é simples. De uma demanda dos índios do Rio Negro, com o apoio da a Federação das Organizações Indígenas e de outras entidades, e do próprio Conselho Distrital de Saúde do Alto Rio Negro deu-se o processo de qualificação da força de trabalho dos agentes de saúde”, comentou a pesquisadora, reconhecendo a importância das parcerias para a realização do Curso Técnico de Agentes Comunitários de Saúde,  em especial o apoio da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz).

Ana Lúcia Pontes falou da importância do curso técnico oferecido no Alto Rio Negro, especialmente porque favoreceu o protagonismo dos agentes indígenas de saúde em sua área de atuação.

Sully Sampaio lembrou dos desafios enfrentados para a realização do curso e as histórias que marcaram alunos e professores, relatos que ainda hoje emocionam quem viveu a experiência da construção, implementação e execução do Curso Técnico de Agentes Comunitários Indígenas de Saúde, que foi concluído em 2015.

Na ocasião do lançamento do livro foi entregue uma simbólica lembrança ao  então, secretário de Estado de Educação e Cultura (Seduc-AM), professor Gedeão Amorim, que na época empreendeu todos os esforços para o êxito do curso.

O livro “Atenção diferenciada: a formação técnica de agentes indígenas de saúde do Alto Rio Negro”, integra a Coleção Fazer Saúde, da Editora Fiocruz. Para saber mais sobre a editora e outros títulos, acesse o site da editora ou clique.

 

BVS SAÚDE DOS POVOS

A biblioteca virtual BVS Saúde dos Povos é um projeto do grupo de pesquisas Saúde, Epidemiologia e Antropologia dos Povos Indígenas da Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca (ENSP/Fiocruz) e equipe da Seção de Informação (CTIC) do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica (ICICT/Fiocruz), em parceria com o Grupo de Trabalho em Saúde Indígena da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) e a Bireme/OPAS/OMS.

Sua finalidade é divulgar materiais e produções sobre a saúde dos povos indígenas para diferentes públicos. A BVS reúne, até o momento, mais de 3 mil itens, que estão sendo progressivamente disponibilizados para acesso. Esse acervo representa parte da diversidade das pesquisas, projetos e atividades sobre saúde de diferentes povos indígenas do Brasil.

Para mais informações sobre a BVS, clique

Ao final do evento, para comemorar as conquistas alcançadas foi servido um coquetel com iguarias amazônicas e indígenas.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Marlúcia Seixas