Fiocruz Amazônia promove I Encontro da Pós-Graduação

Com o tema One Health, o Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promove entre os dias 29/10 a 1/11, o I Encontro da Pós-graduação da Instituição. Um evento científico direcionado aos pesquisadores, alunos de pós-graduação e iniciação científica, com o objetivo de divulgar as pesquisas realizadas e promover a integração dos Programas de pós-graduação existentes, além de fomentar discussões sobre os estudos que estão sendo desenvolvidos de acordo com a especificidade de cada área.

Podem participar alunos de iniciação científica, de pós-graduação e pesquisadores, vinculados ou não a Instituição. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas através do site do evento: https://www.doity.com.br/encontro-de-pos-graduacao-do-ilmd

O evento é realizado pela comissão organizadora, composta por pesquisadores da Fiocruz Amazônia e discentes de pós-graduação do Programa de Pós-Graduação em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA) e Programa de Pós-Graduação em Biologia da Interação Patógeno Hospedeiro (PPGBIO-Interação).

ONE HEALTH

Segundo a organização, o tema foi escolhido pelo fato de estarmos vivendo um momento sem precedentes na história da humanidade, onde nunca se discutiu tanto a saúde do planeta e sua relação direta com a continuação da existência de muitas espécies, incluindo a humana. A percepção da comunidade científica e sociedade vem crescendo sobre a conectividade da saúde humana, animal e dos ecossistemas naturais, como também os questionamentos sobre as políticas públicas efetivas que possam pautar esse tema e melhorar as perspectivas futuras.

Nesse sentido, o tema One Health permeia diversas pesquisas científicas na Fiocruz Amazônia, que possuem diferentes abordagens e perspectivas. Um dos objetivos do encontro é mostrar o que está sendo realizado na instituição para a sociedade e estudantes de pós-graduação.

SAÚDE ECOSSISTÊMICA

A primeira mesa de discussão, destinada a abordar o conceito One Health, tema central do evento, irá debater o impacto da ação do homem no ambiente e a sua influência na saúde ecossistêmica e o contexto amazônico. A atividade contará com a presença dos pesquisadores Philip Fearnside, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), Diogo Cesar Lagroteria do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio) e Alessandra Nava do ILMD/Fiocruz Amazônia.

Nos três dias de evento, a Fiocruz Amazônia irá promover outras mesas destinadas a discussão sobre políticas públicas, com enfoque para a Amazônia, realização de práticas integrativas e apresentação de pesquisas concluídas dos discentes de mestrado, entre outras atividades.

Confira mais informações no site do Evento: https://www.doity.com.br/encontro-de-pos-graduacao-do-ilmd

ASCOM – ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagens: Mackesy Nascimento

Divulgada a homologação das inscrições do curso de mestrado do PPGBIO-Interação

Divulgado hoje (21/10), o resultado da primeira etapa do processo seletivo do curso de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Biologia da Interação Patógeno-Hospedeiro (PPGBIO-Interação), do Instituo Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia). O resultado refere-se à homologação das inscrições e fornece informações sobre o local da prova escrita.

O período para interposição de recursos das inscrições não homologadas ocorre no dia 22/10, na sede da Fiocruz Amazônia, situada à Rua Teresina, 476, Adrianópolis, Manaus (AM).

Os candidatos que tiveram suas inscrições homologadas estão aptos a seguir para a segunda etapa, que compreende a submissão à prova escrita, a ser realizada no ILMD/Fiocruz Amazônia, no dia 25/10, de 9h às 12h.

O resultado da homologação das inscrições está disponível no sistema Sigass em: http://www.sigass.fiocruz.br/pub/inscricao.do?codP=127

A Chamada Pública Nº 008/2019 do Programa oferece 20 vagas, distribuídas entre duas linhas de pesquisa: Eco epidemiologia das doenças transmissíveis; e Bioquímica, biologia celular e molecular de patógenos e seus vetores.

O início das aulas está previsto para ocorrer no dia 2/3/2020.

SOBRE O PPGBIO-INTERAÇÃO

O Programa de Pós-Graduação em Biologia da Interação Patógeno-Hospedeiro é curso strictu sensu que tem como essência a dinâmica de transmissão das doenças e as interações moleculares e celulares da relação patógeno-hospedeiro no âmbito da maior biodiversidade mundial.

O PPGBIO-Interação se enquadra na grande área em Parasitologia devido a pesquisa e ensino terem ênfase na eco-epidemiologia e biodiversidade de micro-organismos e vetores; fatores de virulência, mecanismos fisiopatológicos e imunológicos associados na interação parasito-hospedeiro.

Estes diversos aspectos são os principais delineadores para escolha da área de concentração da Ciências Biológicas III, por esta ser uma área multidisciplinar e baseada no eixo bioquímica, genética, biológico, celular e molecular. Os alunos recebem uma formação em áreas estratégicas por sua importância e que precisam ser desenvolvidas no Estado.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

Projeto da Fiocruz Amazônia é apresentado na Feira do Conhecimento, em Fortaleza

O projeto “Controle de Aedes aegypti e Ae. albopictus com Estações Disseminadoras de Larvicida” foi apresentado na Feira do Conhecimento 2019, ocorrida de 16 a 19/10, no Centro de Eventos do Ceará,  em Fortaleza-CE.

O projeto é do pesquisador e diretor do Instituto Leônidas &Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), Sérgio Luz, que durante o evento ministrou palestra sobre o assunto e apresentou resultado parcial dos ensaios feitos com as Estações Disseminadoras de Larvicida, instaladas no bairro São João do Tauape, em Fortaleza, e em outras cidades brasileiras.

Segundo o pesquisador em seis meses do projeto em Fortaleza, já foi verificada uma redução significativa do número de ovos  de Aedes encontrados em São João do Tauape,que recebeu as estações,  quando comparados com o bairro Álvaro Weyne. Cabe ressaltar que o primeiro bairro foi de intervenção e o outro de controle. Além disso, observou-se também uma diminuição no número de larvas e mosquitos adultos.

O projeto conta com apoio do Ministério da Saúde, por meio do Departamento de Ciência e Tecnologia, e do Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis (Decit & Devit/MS), da Organização Pan-Americana da Saúde-Organização Mundial da Saúde (Opas-OMS), e com apoio de secretarias municipais e estaduais de Saúde, para que ensaios possam ser feitos em diferentes regiões do Brasil, visando avaliar a eficácia da tática do uso das Estações Disseminadoras de Larvicida.

Durante a Feira do conhecimento o projeto foi apresentado em dois estandes: da Fiocruz – na Feira de Soluções para a Saúde –  e no 1º. Congresso dos Municípios Cearenses (ICoMCe).

Nos estandes, os pesquisadores explicaram didaticamente o funcionamento das Estações Disseminadoras de Larvicida para o controle de Aedes, e enfocaram o princípio da polinização realizada pelos insetos, que os inspirou como tática, pois nas estações os mosquitos carregam o larvicida nas patas e no corpo, disseminando o produto para os criadouros. Um vídeo sobre a tática também foi apresentado.

SUPERVISÃO DO PROJETO

No mesmo período, a equipe do projeto fez a supervisionou as atividades em Fortaleza. Essa supervisão tem como finalidade avaliar as atividades em campo e laboratório, bem como a organização dos dados para a construção das análises preliminares. Participaram desse momento gestores de saúde e profissionais de apoio às atividades do projeto.

Na oportunidade, agentes comunitários de saúde e agentes de combates a endemias da Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza, que participaram do “Curso de Atualização em Orientações Técnicas para Utilização das Estações Disseminadoras de Larvicida no Controle de  Mosquitos Urbanos”, ministrado pelos pesquisadores, em março deste ano, receberam certificados.

O curso capacitou 47 profissionais e  teve por objetivo treiná-los para a instalação e manutenção das Estações Disseminadoras de Larvicida. “Esses agentes são as pessoas que fazem o trabalho de campo e acompanham o projeto na cidade, portanto têm uma participação fundamental para o andamento das ações”, explica o coordenador técnico do projeto, Jose Joaquin Cortes.

SOBRE AS ESTAÇÕES DISSEMINADORAS

As Estações Disseminadoras de Larvicida são baldes plásticos, cobertos com pano preto impregnados de larvicida, e que para funcionarem necessitam de uma certa quantidade de água para atrair os mosquitos.

Ao pousarem na superfície da Estação, partículas do larvicida são aderidas às pernas e corpo dos mosquitos, que acabam levando esse produto para outros criadouros e, com isso, conseguem matar larvas e pupas, inclusive em criadouros que muitas vezes não poderiam ser localizados pela população e equipes de vigilância.

O estudo iniciou em 2014 nas cidades de Manaus e Manacapuru, no Amazonas. Atualmente, está sendo testado em outras cidades brasileiras e tem apresentado resultados animadores mesmo em diferentes paisagens geográficas e escalas.

FEIRAS 

A Feira do Conhecimento é um evento promovido pelo Governo do Ceará, através da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior e Instituto Centec. O evento reúne instituições de ensino e pesquisa, empresas e instituições públicas para apresentar aos visitantes projetos de ciência e  tecnologia que  podem contribuir para a redução das desigualdades.

Este ano, a Feira de Soluções para a Saúde – Saúde Digital para Territórios Saudáveis e Sustentáveis fez parte da programação da Feira do Conhecimento.

 

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Marlúcia Seixas

Potencial de plantas amazônicas é abordado durante palestra na Fiocruz Amazônia

Na manhã desta segunda-feira, 21/10, o Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promoveu a palestra “Histórico de uso das plantas amazônicas”, ministrada por Fabiana Frickmann, gestora das RedesFito Amazônia. A atividade faz parte da programação da 16a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), cujo tema na Instituição é “Fiocruz Amazônia e você na semana de C&T (2ª edição): Bioeconomia: Diversidade e Riqueza para o Desenvolvimento Sustentável”.

A palestra ocorreu na sede da Fiocruz Amazônia e contou, na abertura, com a presença da coordenadora do Programa de Iniciação Científica e Tecnológica (PIC), Priscila Aquino, da assessora da diretoria, Maria Olívia Simão, e da vice-diretora de Ensino, Informação e Comunicação, Claudia Ríos.

Na abertura do evento, Maria Olívia falou da importância da divulgação científica para o esclarecimento da sociedade sobre assuntos relacionados a ciência e tecnologia, e pediu aos participantes que falem mais sobre ciência com as pessoas no seu entorno, com a finalidade de disseminar a importância da pesquisa para a obtenção de novos saberes. Como convite aos presentes, Dra. Claudia María Ríos Velásquez, ressaltou a intensa agenda de atividades da SNTC da Fiocruz Amazônia.

Pesquisadores, técnicos e bolsistas de iniciação científica participaram da atividade, que teve como principal objetivo capacitar e disseminar informações sobre o histórico da Bioeconomia na Região Amazônica, bem como as possibilidades de plantas medicinais como potenciais fármacos, propriedades industriais e intelectuais.

“Quando se desenvolve uma tecnologia, não se deve ficar guardada. Estratégias de políticas públicas podem ser usadas para isso. O processo evolutivo como se deu e, a partir disso, aprender e fazer de uma forma melhor e mais inovadora. Toda ciência deve ser feita para saúde e prosperidade, correndo o risco de ser utilizada para fins negativos. Mas por isso ninguém mais vai inventar? Não. Mesmo que possa ser utilizada para o mal, o pesquisador tem que estar focado no bem social dessa inovação”, afirmou a pesquisadora.

Durante a palestra, uma linha cronológica foi apresentada, começando em 1835, com as plantas produtoras de látex extraídas da Amazônia para a Malásia, até 2019, com novos produtos com indicação geográfica amazônica, selos de comprovação com o intuito de proteger a natureza das espécies, como a farinha do Vale do Juruá e o abacaxi do Novo Remanso.

Além disso, foram apresentados exemplos de potenciais consolidados de Bioecomia na região, como o caso da Borracha (Hevea brasiliensis), Guaraná de Maués (Paullinia cupana) e Pau-rosa (Aniba rosaeodora). Fabiana ressaltou a importância de engajamento dos estudantes como possíveis pesquisadores do assunto, focando em estudos sobre manejo e pesquisa, a fim de evitar a extração desenfreada e o risco de extinção das espécies.

SOBRE A PALESTRANTE

Fabiana é professora Visitante do Programa de Pós Graduação em Biotecnologia (PPG-BIOTEC/BIONORTE) da Universidade Federal do Amazonas, Doutora em Biotectologia Vegetal (UFRJ), 2012. Atuou como Coordenadora das RedesFito, Professora e orientadora da Pós-Graduação do Curso de “Gestão em Inovação de Fitomedicamentos”. Desenvolve projetos nas áreas de: prospecção biotecnológica, etnoecologia, sustentabilidade socioambiental e gestão nas áreas de Ciência, Tecnologia, Inovação & Saúde. 

Atualmente trabalha na área de Gestão da inovação de produtos de origem natural, ecologia e biotecnologia Vegetal da RedesFito Amazônia.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Diovana Rodrigues
Fotos: Marlúcia Seixas

Fiocruz Amazônia mobiliza escolas públicas através do graffiti com o “Projeto Escola Olímpica: Obsma na SNCT 2019”

Entre os dias 22 e 27/11, o Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promove atividades de popularização da ciência, através do “Projeto Escola Olímpica: Obsma na SNCT 2019”. A ação faz parte da programação da Instituição, durante a 16a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT).

A atividade tem como principal objetivo a divulgação da Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente (Obsma) em escolas públicas da capital, utilizando como estratégia a produção de painéis sobre Saúde e Meio Ambiente, em alusão aos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030.

A ação pretende sensibilizar professores e estudantes, por meio da arte do graffiti nos muros de escolas públicas de Manaus, além da distribuição de folders, cartazes e regulamentos da Obsma para a comunidade escolar.

Participarão da mobilização 10 Escolas Públicas de Manaus, selecionadas pela Secretaria de Estado de Educação (SEDUC) e Secretaria Municipal de Educação (SEMED): Colégio Brasileiro Pedro Silvestre, Escola Estadual Vicente Schettini, Escola Estadual Maria Amélia do Espírito Santo, IFAM/Zona Leste, Escola Estadual Márcio Nery, Escola Estadual Altair Severiano Nunes, Escola Estadual Ângelo Ramazzotti, Escola Estadual Sant’ana, Escola Estadual de Tempo Integral Prof. Djalma Batista, Instituto Batista Ida Nelson.

O projeto beneficiará cerca de 500 pessoas, entre estudantes, corpo técnico das escolas e a comunidade ao entorno. Durante os dias do evento serão realizados 10 painéis de graffiti, com o intuito de enfatizar os seguintes temas: Saúde, Bioeconomia e Desenvolvimento Sustentável. A Grafiteira Deborah de Lemos Vieira Cabral (Deborah Erê) será responsável pela concepção e pintura dos painéis.

Na oportunidade, a equipe da Regional Norte da Obsma levará os materiais de divulgação nas Escolas Olímpicas e dialogará com a gestão, os professores e os alunos, a fim de incentivar a participação na Olimpíada e o desenvolvimento de projetos de Saúde e Meio Ambiente. Após a conclusão da pintura, será entregue para a escola o certificado de Escola Olímpica e cartaz comemorativo pelo título ganho.

Para a coordenadora Regional Norte da Obsma, Rita Bacuri, do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), o evento é uma oportunidade de “divulgação do principal trabalho da Obsma, despertar a divulgação científica em nível de educação básica, a fim de que os alunos encontrem na Olimpíada um caminho a se trilhar. A Semana concede o espaço de divulgação, ampliação e popularização da divulgação científica. Desse modo, Fiocruz e Obsma têm a oportunidade de articular com outras instituições e levar a proposta da Olimpíada a todos”.

Confira a programação do evento: 

 

                                                         

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Diovana Rodrigues
Imagens: Cael Fernando

Fiocruz Amazônia promove ciclo de atividades durante 16ª SNCT

Outubro é o mês nacional da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Com atividades coordenadas pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), a celebração tem o objetivo de mobilizar a população, em especial os jovens, para atividades científico-tecnológicas. O mês vai expandir as atividades já realizadas anualmente na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT).

Com o tema “Fiocruz Amazônia e você na semana de C&T (2ª edição): Bioeconomia: Diversidade e Riqueza para o Desenvolvimento Sustentável”, o Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia) promove entre os dias 21 e 27/10, um ciclo de atividades, que buscam dialogar com a sociedade por meio de estratégias variadas.

Na próxima segunda-feira, 21/10, a instituição abre a programação da 16ª SNCT, com a realização da Intervenção Reflexiva: “Inovação no SUS”. A atividade consiste em uma profunda reflexão que sugere o encontro de olhares e sentidos dos estudantes de Iniciação Científica, sobre o cotidiano do trabalho do SUS e sua repercussão nas formas de fazer ciência na Fiocruz e nesses locais.

As ações promovidas pelo ILMD/Fiocruz Amazônia ocorrerão até novembro, com atividades que abrangerão a divulgação da Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente (Obsma), em escolas públicas de Manaus. A atividade utilizará como estratégia a produção de painéis sobre saúde e meio ambiente, em alusão aos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da agenda 2030, com a arte do graffiti em muros de escolas públicas de capital. A programação ainda inclui a distribuição de folders, cartazes e regulamentos da Obsma para a comunidade escolar.

Ao longo dos dois meses, a Fiocruz Amazônia ainda irá realizar a segunda exposição: “Aqui tem ciência, Aqui tem Fiocruz”. Outra atividade realizada durante a 16ª SNCT da Fiocruz Amazônia será o “Digiciência”, uma oficina de vídeos digitais para divulgar a ciência. O projeto vai beneficiar estudantes, pesquisadores e professores de pós-graduação da Instituição.

Ainda está previsto na programação, a realização de oficinas de produção e divulgação do material didático “Malária – o caminho da gota espessa”, além da feira Ciência & Saúde para Você, a ser realizada no município de Tabatinga (AM), em parceria com o Instituto Federal do Amazonas (IFAM).

SOBRE A SNCT

A SNCT tem o objetivo de aproximar ciência e tecnologia da população, promovendo eventos que congregam centenas de instituições, a fim de realizarem atividades de divulgação científica em todo o país.

As atividades do Mês Nacional de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações serão coordenadas pelo MCTIC, com a colaboração de instituições públicas e privadas, universidades, museus, fundações de amparo à pesquisa, parques ambientais, jardins botânicos e zoológicos, secretarias estaduais e municipais, e outras entidades que tratem do tema. A finalidade é mobilizar a população, em especial crianças e jovens, em torno de temas e atividades de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, valorizando a criatividade, a atitude científica a inovação e a comunicação.

Segundo a organização da SNCT, as atividades realizadas durante o mês irão se aliar à missão Institucional do MCTIC, de apresentar a produção de conhecimento e riqueza, alinhadas à melhoria na qualidade de vida da população brasileira, de modo a permitir o debate acerca dos resultados, relevância e impactos da pesquisa científico-tecnológica, principalmente daquelas realizadas no Brasil, e suas aplicações.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Cael Fernando

 

PPGVIDA da Fiocruz Amazônia prorroga inscrições do processo seletivo para candidatos estrangeiros até 29/10

Foram prorrogadas até o dia 29/10, as inscrições para processo de seleção pública de candidatos estrangeiros, para ingresso no Curso de Mestrado Acadêmico do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA), do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), conforme Chamada Pública N.007/2019.

Para a republicação CLIQUE AQUI

As vagas são destinadas a candidatos estrangeiros. O ingresso de alunos estrangeiros ao Curso de Mestrado será realizado mediante processo seletivo simplificado, nos termos da chamada pública e cronograma com todos os eventos das etapas, conforme disponível no edital.

Para esta Chamada Pública, serão oferecidas seis vagas, devendo o candidato, obrigatoriamente, escolher uma das duas linhas de pesquisa e os respectivos projetos: Fatores sócio biológicos no processo saúde-doença na Amazônia, com 3 vagas; Processo Saúde, Doença e Organização da Atenção a populações indígenas e outros grupos em situações de vulnerabilidade, com 3 vagas. O curso, cujas vagas são oferecidas, terá sede em Manaus – AM.

Poderão participar do processo de seleção, candidatos que até a data da matrícula institucional, possuam diploma de graduação de duração plena, devidamente reconhecido pela instância competente de seu país. O Curso será ministrado em regime integral, com duração mínima de 12 meses e máxima de 24 meses, incluindo a realização da defesa de dissertação.

Os candidatos estrangeiros interessados em cursar o Mestrado em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia no ILMD/Fiocruz Amazônia devem encaminhar a documentação descrita no edital para o e-mail selecaoppgvida.ilmd@f iocruz.br

O resultado do processo seletivo será divulgado no dia 6/12.

SOBRE O CURSO

O curso de Mestrado de Condições de vida e situações de saúde na Amazônia tem como objetivo capacitar profissionais para desenvolver modelos analíticos, capazes de subsidiar pesquisas em saúde, apoiar o planejamento, execução e gerenciamento de serviços e ações de controle e o monitoramento de doenças e agravos de interesse coletivo e do Sistema Único de Saúde na Amazônia.

O programa também visa planejar, propor e utilizar métodos e técnicas para executar investigações na área de saúde, mediante o uso integrado de conceitos e recursos teórico-metodológicos advindos da saúde coletiva, biologia parasitária, epidemiologia, ciências sociais e humanas aplicadas à saúde, comunicação e informação em saúde e de outras áreas de interesse acadêmico, na construção de desenhos complexos de pesquisa sobre a realidade amazônica.

Ascom/ILMD Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

Palestra na Fiocruz Amazônia apresentará estudos sobre nova via de ação do Mycobaterium tuberculosis

Na próxima sexta-feira, 18/10, às 10h, o Centro de Estudos do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promove a palestra “Mycobaterium tuberculosis regula a diferenciação mielóide associada à gravidade da tuberculose”, a ser ministrada por André Luiz Barbosa Báfica, professor da Universidade Federal de Santa Catarina.

Segundo o pesquisador, durante a palestra serão apresentadas evidências recentes do laboratório onde atua, demonstrando a manipulação do Mtb em células tronco hematopoeiéticas humanas. “Os dados revelam uma nova via de ação do Mtb, que envolve um módulo gênico compartilhado entre IL-6 e IFNs”, destacou.

A apresentação ocorrerá na Sala de aula 2, no prédio anexo, na sede da Fiocruz Amazônia, situada à rua Teresina, 476, Adrianópolis, em Manaus.

SOBRE A PALESTRANTE

André é graduado em Medicina pela Universidade Federal da Bahia e doutor em Patologia Humana na Fundação Oswaldo Cruz. Realizou pós-doutorado no Laboratory of Parasitic Diseases, National Institutes of Health, USA, onde estudou as vias de reconhecimento de patógenos intracelulares durante a infecção.

Atualmente é professor associado de Imunologia na Universidade Federal de Santa Catarina, onde estuda mecanismos imunológicos envolvidos na regulação de eventos infecciosos, empregando como modelo a interação co-evolutiva entre Mycobacterium tuberculosis e Homo sapiens.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos são gratuitos e ocorrem às sextas-feiras. As atividades são destinadas a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

Prorrogadas as inscrições para o processo seletivo do curso de Mestrado PPGBIO-Interação

Foram prorrogadas nesta quarta-feira, 16/10, as inscrições para o processo seletivo do curso de Mestrado Acadêmico do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Biologia da Interação Patógeno Hospedeiro – PPGBIO-Interação, do Instituto Leônidas & Maria Deane  (ILMD/Fiocruz Amazônia). Interessados podem se inscrever até 18/10.

Confira aqui a Republicação da Chamada Pública.

A Chamada Pública Nº 008/2019 do Programa oferece 20 vagas, distribuídas entre duas linhas de pesquisa: Eco epidemiologia das doenças transmissíveis; e Bioquímica, biologia celular e molecular de patógenos e seus vetores.

O início das aula está previsto para ocorrer no dia 2/3/2020.

SOBRE O PPGBIO-INTERAÇÃO

O Programa de Pós-Graduação em Biologia da Interação Patógeno-Hospedeiro é curso strictu sensu que tem como essência a dinâmica de transmissão das doenças e as interações moleculares e celulares da relação patógeno-hospedeiro no âmbito da maior biodiversidade mundial.

O PPGBIO-Interação se enquadra na grande área em Parasitologia devido a pesquisa e ensino terem ênfase na eco-epidemiologia e biodiversidade de micro-organismos e vetores; fatores de virulência, mecanismos fisiopatológicos e imunológicos associados na interação parasito-hospedeiro.

Estes diversos aspectos são os principais delineadores para escolha da área de concentração da Ciências Biológicas III, por esta ser uma área multidisciplinar e baseada no eixo bioquímica, genética, biológico, celular e molecular. Os alunos recebem uma formação em áreas estratégicas por sua importância e que precisam ser desenvolvidas no Estado.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

Manifesto na Fiocruz Amazônia alerta sobre os riscos da possível fusão entre Capes e CNPq

Durante esta semana, a equipe do ministro da Educação, Abraham Weintraub, encaminhou ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) uma proposta de texto de medida provisória para fundir em uma mesma instituição a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

O Ministério da Educação (MEC) quer transformar as duas agências em uma fundação, que seria gerenciada pela mesma pasta. A fusão é criticada no meio acadêmico e científico, além de gerar diversas manifestações. Nesta quarta-feira, 16/10, pesquisadores, bolsistas, pós-graduandos e comunidade científica do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia) realizaram um abraço simbólico na sede da Instituição, como forma de protesto e alerta sobre os riscos e prejuízos da possível junção das agências de fomento, nesse processo de desmantelamento do Sistema Nacional de Ciência e Tecnologia.

Para o diretor da Fiocruz Amazônia, Sérgio Luz, falta clareza nas informações sobre os motivos para a execução desta fusão entre entidades que necessitam de olhares distintos. “A gente não consegue enxergar qual o benefício que essa fusão pode trazer, tanto ao sistema de pós-graduação no Brasil, quanto ao sistema de pesquisa e inovação tecnológica. CNPq e Capes andam juntos, mas precisam ter seus sistemas diferenciados, como apoios específicos aos programas de pós-graduação, e também ao desenvolvimento científico e tecnológico. Falta um planejamento e uma clareza maior sobre como vai ser feito isso, qual o motivo pelo qual essa fusão vai ocorrer e de que maneira isso vai ser implementado”, explicou.

A Capes é ligada ao Ministério da Educação, enquanto o CNPq está vinculado à pasta de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Os dois órgãos têm atribuições de fomento à pesquisa, mas atuam com objetivos distintos. Responsável pela avaliação e coordenação da pós-graduação, a Capes financia bolsas de pesquisa com foco na qualificação do pessoal de nível superior. Já o CNPq tem foco maior no fomento de atividades de pesquisa e tecnologia. Também fornece bolsas, mais voltadas à pesquisa científica e inovação.

De acordo com a vice-diretora Ensino, Informação e Comunicação da Fiocruz Amazônia, Claudia María Ríos Velásquez, essa junção apresenta impacto direto nas atividades da Instituição. “Nós estamos sendo diretamente prejudicados pelo corte de bolsas, os editais para pesquisa já são muito poucos, então a pesquisa e a pós-graduação estão sendo diretamente afetadas. Essa fusão implica nas nossas atividades, pois haverá um único orçamento e isso significa menos recursos para nossos projetos”, destacou.

O plano de fusão avança em meio a uma crise financeira que ameaça o pagamento de bolsas e a continuidade de grande projetos científicos. 11 entidades da comunidade científica e tecnológica, como a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, a Academia Brasileira de Ciências e o Conselho Nacional de Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa, divulgaram uma carta, enviada ao governo federal e a chefes de Poderes, na qual repulsam a fusão das duas agências.

Para Edilene Martins, aluna do Programa de Doutorado em Ciências – Cooperação IOC-ILMD, a possibilidade de cortes refletirá diretamente no resultado de pesquisas e no retorno dessas descobertas científicas para a sociedade. “Nós desenvolvemos um trabalho que na maioria dos casos é desenvolvido em continuidade, que apresentam resultados com tempo. O corte de bolsas no futuro implica na parada de diversos projetos, na continuação das pesquisas. Esse cenário é muito ruim para a ciência, pois existem projetos excelentes, que no futuro irão gerar retorno positivo para a sociedade, e que correm o risco de parar”, pontuo.

Ascom/ ILMD Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Fotos: Eduardo Gomes