Posts

Projeto QualificaSUS da Fiocruz Amazônia inicia especialização em Saúde em Tabatinga (AM)

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) iniciou no dia 19/8, o primeiro curso realizado pelo Projeto QualificaSUS. Trata-se da pós-graduação Lato Sensu em Vigilância em Saúde na Rede de Atenção Primária à Saúde voltado para profissionais de nível superior que atuam na tríplice fronteira Brasil – Colômbia – Peru, região do Alto Solimões.

Esta é a segunda turma do curso de especialização em Tabatinga. A nova turma inicia com 53 alunos dos três países, sendo 22 brasileiros e 31 estrangeiros. O curso acontece nas dependências do Instituto Federal do Amazonas (Ifam).

São parceiros do ILMD/Fiocruz Amazônia nesta atividade a Assessoria de Assuntos Internacionais de Saúde do Ministério da Saúde (Aisa-MS), Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), Organização Panamericana de Saúde (Opas), o Conselho dos Secretários Municipais de Saúde do Amazonas  (Cosems-AM) e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

‘Nosso sentimento é de agradecimento a todas as instituições que contribuem para criar condições para que a gente tenha melhorias na saúde no Amazonas. Este curso inaugura uma série de outros cursos que estão sendo viabilizados por meio do Projeto QualificaSUS, da Fiocruz Amazônia, uma ação que permitirá a realização de cursos em todos os 62 municípios, entre cursos de atualização, especialização e mestrado, este, a acontecer em Manaus. O curso de Vigilância em Saúde na Rede de Atenção Primária à Saúde une profissionais de saúde que atuam nessa região de fronteira para capacitá-los a agir e pensar na resolução dos problemas de saúde enfrentados nessa região, portanto, sejam todos bem-vindos”, disse Sérgio Luz, diretor do ILMD/Fiocruz Amazônia durante a abertura do curso.

Para Rawlinson Dias Rodrigues, chefe da Divisão de Cooperação Internacional da AISA-MS, “o sistema nacional de saúde na região de fronteira não pode pensar única e exclusivamente pelo nosso lado, haja vista que a doença não tem fronteira, então, realizar pela segunda vez um curso nessa região é uma importante iniciativa para que os sistemas de saúde dos países possam dar o passo subsequente que é o de melhoria da saúde nessa área. Fico muito feliz porque é a Fiocruz que está fazendo isso aqui, uma instituição que tem essa capacidade de desenvolver esse tipo de atividade em caráter regional”.

Participaram da mesa de abertura do curso, o presidente do Cosems-AM, Januário Carneiro da Cunha Neto, o secretário municipal de saúde de Tabatinga, Marlen Riglison Silva Ferreira, o secretário de saúde Departamental do Amazonas da Colômbia, Jose Hernan Espejo, os representantes do Hospital de Guarnição de Tabatinga, Major Marcelo dos Santos Storch, do Ifam-Campus Tabatinga, Geasi Pavão Soares, a diretora vice-diretora de Ensino Comunicação e Informação do ILMD/Fiocruz Amazônia, Claudia Ríos Velasquez e a coordenadora do curso, Maria Luiza Garnelo, além de Rawlinson Dias Rodrigues e Sérgio Luz.

 

NOVA TURMA

Alunos egressos do curso prestigiaram o evento e aproveitaram para encorajar a nova turma a seguir em frente, pois o curso lhes proporcionou conhecimentos que são aplicados no dia a dia de trabalho, além da integração entre os profissionais de saúde dos países da tríplice fronteira.

Para o médico peruano Róger Reátegui Gomes, que atua na atenção primaria à saúde em Loreto-Peru, a expectativa com o curso é adquirir novos conhecimentos com os profissionais de saúde da Colômbia e do Brasil. “A parte da atenção primária à saúde, a preventiva e de gestão nos interessam bastante para fortalecer a capacidade que temos que ter todos os médicos, enfermeiros e demais profissionais de saúde”, disse o novo aluno.

Sonia Valencia Rodrígues, bacterióloga, laboratorista clínica e epidemióloga da Colômbia, destacou que pretende adquirir muitos conhecimentos sobre atenção primária à saúde. “Todos que viemos da Colômbia trabalhamos com saúde pública e queremos fortalecer nossos conhecimentos e alcançar novos para aplicá-los em nossas atividades diárias”, comentou.

Da mesma forma, a enfermeira brasileira, Cristiane Ferreira da Silva, que atua há 14 anos na saúde indígena no Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Alto Rio Solimões (AM), disse que participar deste curso lhe proporciona muita alegria, pois não conseguiu inscrever-se na primeira turma, e agora quer aproveitar muito a nova oportunidade. “Pra gente que atua na saúde indígena o curso é muito importante. Espero atualizar meus conhecimentos e compartilhar experiências com colegas que atuam nos outros países”.

O curso terá duração de um ano e será realizado presencialmente, com módulos a acontecerem uma vez ao mês.

SOBRE O QUALIFICASUS

O Projeto QualificaSUS  é uma iniciativa do ILMD/Fiocruz Amazônia  que tem como objetivo qualificar o corpo de trabalhadores no nível da gestão e do serviço das Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Amazonas e órgãos parceiros, a fim de proporcionar um serviço de melhor qualidade e efetividade aos usuários do SUS.

São cursos de atualização, especialização e mestrado que adotarão modelo pedagógico pautado na integração ensino-serviço, na problematização da realidade local, na valorização do conhecimento e experiência do aluno trabalhador, entendido como sujeito das práticas de gestão e sanitárias desenvolvidas nas unidades de saúde.

Os cursos serão ofertados em todos os 61 municípios, além da capital Manaus. A iniciativa conta com apoio da bancada parlamentar do Amazonas e com parceria do Cosems-AM.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Marlúcia Seixas

Fiocruz Amazônia divulga resultado final do processo seletivo para o curso de especialização em Vigilância em Saúde

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) divulgou nesta terça-feira 6/8, o resultado final do processo seletivo da Chamada Pública Nº004/2019 – para o Curso de Especialização em Vigilância em Saúde na Rede de APS, realizado em Tabatinga (AM).

O curso é modular e será realizado em Tabatinga(AM). Para esta edição estão sendo oferecidas 50 vagas, distribuídas entre profissionais de saúde do Brasil, Peru, Colômbia e Equador. As vagas destinadas aos candidatos estrangeiros são de responsabilidade exclusiva da Assessoria de Assuntos Internacionais de Saúde doo Ministério da Saúde (Aisa-MS).

Acesse o resultado AQUI

Os candidatos aprovados devem, no primeiro dia de aula, apresentar os documentos originais, conforme solicitado no item 8 do edital, para conferência e autenticação. As aulas iniciam no dia 19/8.

A oferta do curso integra as ações de Educação definidas no Projeto QualificaSUS, do ILMD/Fiocruz Amazônia, e nesta atividade conta com em parceria da Assessoria de Assuntos Internacionais de Saúde do Ministério da Saúde (Aisa-MS), Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), Organização Panamericana de Saúde (Opas), do Conselho dos Secretários Municipais de Saúde do Amazonas  (Cosems) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

SOBRE O QUALIFICASUS

O Projeto QualificaSUS  é uma iniciativa do ILMD/Fiocruz Amazônia  que tem como objetivo qualificar o corpo de trabalhadores no nível da gestão e do serviço das Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Amazonas e órgãos parceiros, a fim de proporcionar um serviço de melhor qualidade e efetividade aos usuários do SUS.

São cursos de atualização, especialização e mestrado que adotarão modelo pedagógico pautado na integração ensino-serviço, na problematização da realidade local, na valorização do conhecimento e experiência do aluno trabalhador, entendido como sujeito das práticas de gestão e sanitárias desenvolvidas nas unidades de saúde.

Os cursos serão ofertados em todos os 61 municípios, além da capital Manaus. A iniciativa conta com apoio da bancada parlamentar do Amazonas e com parceria Cosems-AM.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

Último dia de inscrição no curso de especialização em Vigilância em Saúde na Rede de Atenção Primária à Saúde

As inscrições para o curso de especialização em Vigilância em Saúde na Rede de Atenção Primária à Saúde, oferecido pelo Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), encerram nesta terça-feira, 9/7.

O curso é modular e será realizado em Tabatinga(AM). Para esta edição estão sendo oferecidas 50 vagas, distribuídas entre profissionais de saúde do Brasil, Peru, Colômbia e Equador. As vagas destinadas aos candidatos estrangeiros são de responsabilidade exclusiva da Assessoria de Assuntos Internacionais de Saúde doo Ministério da Saúde (Aisa-MS).

As inscrições podem ser feitas presencialmente ou por e-mail. Presencialmente, estão sendo recebidas no campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (Ifam/Campus Tabatinga), que fica no bairro Vila Verde, na sala de Departamento de Administração e Planejamento – DAP, no horário de 8h30 às 12h e de 14h às 17h, por Valderice Mendes, secretária do curso, no município. Por e-mail, devem ser enviadas para inscriçaolato.ilmd@fiocruz.br.

Acesse o edital do curso em no site da Fiocruz Amazônia em  https://amazonia.fiocruz.br  ou clique.

A oferta do curso integra as ações de Educação definidas no Projeto QualificaSUS, do ILMD/Fiocruz Amazônia, e nesta atividade conta com em parceria da Assessoria de Assuntos Internacionais de Saúde do Ministério da Saúde (Aisa-MS), Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), Organização Panamericana de Saúde (Opas), do Conselho dos Secretários Municipais de Saúde do Amazonas  (Cosems) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Esclarecimentos sobre os documentos e envio da inscrição podem ser solicitados somente pelo e-mail duvidaslato.ilmd@fiocruz.br

SOBRE O QUALIFICASUS

O Projeto QualificaSUS  é uma iniciativa do ILMD/Fiocruz Amazônia  que tem como objetivo qualificar o corpo de trabalhadores no nível da gestão e do serviço das Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Amazonas e órgãos parceiros, a fim de proporcionar um serviço de melhor qualidade e efetividade aos usuários do SUS.

São cursos de atualização, especialização e mestrado que adotarão modelo pedagógico pautado na integração ensino-serviço, na problematização da realidade local, na valorização do conhecimento e experiência do aluno trabalhador, entendido como sujeito das práticas de gestão e sanitárias desenvolvidas nas unidades de saúde.

Os cursos serão ofertados em todos os 61 municípios, além da capital Manaus. A iniciativa conta com apoio da bancada parlamentar do Amazonas e com parceria Cosems-AM.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas

 

Fiocruz Amazônia recebe inscrições para curso de especialização em Vigilância em Saúde na Rede de Atenção Primária à Saúde, até 9/7

Profissionais da área de saúde que atuam na Região do Alto Solimões que compreende os municípios de Amaturá, Atalaia do Norte, Benjamin Constant, Fonte Boa, Jutaí, Santo Antônio do Içá, São Paulo de Olivença, Tonantins e Tabatinga têm até o dia 9 de julho para fazer suas inscrições no Curso de Especialização em Vigilância em Saúde na Rede de Atenção Primária à Saúde.

 O curso é uma atividade do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) e será realizado em Tabatinga. Para esta edição estão sendo oferecidas 50 vagas, sendo 20 para brasileiros e 30 para profissionais de saúde estrangeiros, dos seguintes países: Peru, Colômbia e Equador. As vagas destinadas aos candidatos estrangeiros são de responsabilidade exclusiva da Assessoria de Assuntos Internacionais de Saúde doo Ministério da Saúde (Aisa-MS).

As inscrições estão sendo recebidas no campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (Ifam/Campus Tabatinga), que fica no bairro Vila Verde, na sala de Departamento de Administração e Planejamento – DAP, no horário de 8h30 às 12h e de 14h às 17h, por Valderice Mendes, secretária do curso, no município.

Acesse o edital do curso em no site da Fiocruz Amazônia em  https://amazonia.fiocruz.br  ou clique.

A oferta do curso integra as ações de Educação definidas no Projeto QualificaSUS, do ILMD/Fiocruz Amazônia, e nesta atividade conta com em parceria da Assessoria de Assuntos Internacionais de Saúde do Ministério da Saúde (Aisa-MS), Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), Organização Panamericana de Saúde (Opas), do Conselho dos Secretários Municipais de Saúde do Amazonas  (Cosems) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS

Para a inscrição o candidato necessita preencher Formulário de Inscrição para o Processo Seletivo; Carteira de Identidade Civil ou Militar ou Carteira do Conselho de Classe; CPF; Diploma do curso de graduação; Certidão de casamento; Histórico Escolar do curso superior; Carta de liberação da chefia imediata para cursar a pós-graduação lato sensu ou Declaração própria de que tem condições de frequentar o curso, durante os 12 meses (para os candidatos sem vínculo funcional) além do Currículo Vitae.

A oferta do curso integra as ações de Educação definidas no Projeto QualificaSUS, do ILMD/Fiocruz Amazônia, e nesta atividade conta com em parceria da Assessoria de Assuntos Internacionais de Saúde do Ministério da Saúde (Aisa-MS), Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), Organização Panamericana de Saúde (Opas), do Conselho dos Secretários Municipais de Saúde do Amazonas  (Cosems) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Esclarecimentos sobre os documentos e envio da inscrição podem ser solicitados somente pelo e-mail duvidaslato.ilmd@fiocruz.br

SOBRE O QUALIFICASUS

O Projeto QualificaSUS  é uma iniciativa do ILMD/Fiocruz Amazônia  que tem como objetivo qualificar o corpo de trabalhadores no nível da gestão e do serviço das Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Amazonas e órgãos parceiros, a fim de proporcionar um serviço de melhor qualidade e efetividade aos usuários do SUS.

São cursos de atualização, especialização e mestrado que adotarão modelo pedagógico pautado na integração ensino-serviço, na problematização da realidade local, na valorização do conhecimento e experiência do aluno trabalhador, entendido como sujeito das práticas de gestão e sanitárias desenvolvidas nas unidades de saúde.

Os cursos serão ofertados em todos os 61 municípios, além da capital Manaus. A iniciativa conta com apoio da bancada parlamentar do Amazonas e com parceria Cosems-AM.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas

 

 

Cinco cidades apresentam resultados positivos com o uso de Estações Disseminadoras de Larvicida para o controle de Aedes

Representantes das secretarias de saúde dos municípios de Parintins, Tefé, Tabatinga, Borba (no Amazonas), de Boa Vista (Roraima) e representantes do Departamento de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde (Decit/MS) participaram de Reunião Técnica de Avaliação e Apresentação de Resultados do Projeto Controle de Aedes spp. com Estações Disseminadoras de Larvicida, ontem, 17/6, em Manaus, na sede do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia)

Sob a reponsabilidade do pesquisador e diretor da Fiocruz Amazônia, Sérgio Luz, o Projeto tem como tática usar os mosquitos para disseminarem larvicida em seus criadouros e assim eliminar suas larvas e pupas.

A adoção dessa estratégia de controle de mosquitos Aedes aegypti e Ae. albopictus, transmissores dos vírus da dengue, zika e chikungunya iniciou em 2014, em Manaus e em Manacapuru (no Amazonas), cidades nas quais a alternativa apresentou resultados promissores no controle desses vetores.

Com apoio do Decit/MS, o projeto foi implantado em outros cenários para que fosse testada a eficácia da disseminação do larvicida pelos mosquitos em escalas espaciais diferentes e maiores.

Sérgio Luz explica que o objetivo do encontro foi compartilhar com a equipe do Decit/MS os resultados alcançados pelo projeto nas cidades de Parintins, Tefé, Tabatinga, Borba e Boa Vista.

“Com a reunião foi possível discutir os resultados e traçar novas estratégias para o futuro do projeto, uma vez que o Decit/MS sinalizou a possibilidade de dar continuidade ao apoio financeiro, numa nova edição. Então, vamos alinhar as diversas metodologias para que os resultados sejam padronizados em todas as regiões e possamos analisar o todo, mesmo considerando as diferentes localidades”, explica Sérgio Luz.

Para Janio Obando, gerente de endemias de Tabatinga, onde foram instaladas Estações Disseminadoras de Larvicida, em outubro do ano passado, os resultados alcançados pelo projeto são bastante expressivos e motivaram a cidade de Letícia, na Colômbia, a também aderir ao projeto, diante da queda do número de casos notificados de dengue, zika e chikungunya em Tabatinga.

ESTAÇÕES DISSEMINADORAS

As Estações Disseminadoras de Larvicida são baldes plásticos, cobertos com pano preto impregnados de larvicida, e que para funcionarem necessitam de uma certa quantidade de água para atrair os mosquitos.

Ao pousarem na superfície da Estação, partículas do larvicida são aderidas às pernas e corpo dos mosquitos, que acabam levando esse produto para outros criadouros e, com isso, conseguem matar larvas e pupas, inclusive em criadouros que muitas vezes não poderiam ser localizados pela população e equipes de vigilância.

A equipe  técnica que trabalha no projeto na capacitação de agentes, implantação das Estações, planejamento de atividades e gestão também participou da Reunião Técnica de Avaliação.

Os dados recebidos serão analisados pelos pesquisadores e posteriormente estarão disponíveis em publicações científicas e para a sociedade.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Marlúcia Seixas

 

 

Pesquisadores e profissionais de saúde participam de encontro para discutir estratégias de saúde nas fronteiras

Pesquisadores do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia),  Instituto Oswaldo Cruz – IOC/Fiocruz,  Institut de Recherche Pour le Développement (IRD) reuniram-se com gestores e pesquisadores da Universidade Nacional da Colômbia – Sede Amazônia (UNAL), em Letícia (COL), para compartilhar informações sobre ações institucionais e possíveis estratégias para a saúde na fronteira, sob um olhar interdisciplinar e intercultural, visando alinhar esforços conjuntos de cooperação internacional, contemplando principalmente, a zona fronteiriça entre Brasil e Colômbia.

O encontro realizado na primeira semana de junho, dias 5 e 6, teve como enfoque os seguintes temas: incentivo à criação de uma rede de pesquisa sobre questões de saúde com uma perspectiva interdisciplinar e intercultural, articulação para a consolidação da sala de situação em saúde na fronteira Brasil e Colômbia, e planejamento de evento científico sobre questões de saúde na fronteira. O primeiro dia de atividade ocorreu na UNAL.

Para o diretor da Fiocruz Amazônia, Sérgio Luz, o encontro foi um passo para se fazer uma estratificação em vigilância em saúde na fronteira, na qual os parceiros possam colaborar.

Participaram também do Encontro na UNAL, o representante da Assessoria de Assuntos Internacionais do Ministério da Saúde (Aisa-MS), Edgard Magalhães, e o representante da Secretaria Departamental de Salud Amazonas, Jose Hernan Becerra.

O segundo dia de apresentações e debates ocorreu no auditório do Hospital de Guarnição de Tabatinga (HGuT), momento em que participaram profissionais que atuam na área de saúde, além da diretora-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS/AM), Rosemary Costa Pinto, e da subdiretora do Hospital de Guarnição de Tabatinga, TC Christina, e demais profissionais de saúde.

ESPECIALIZAÇÃO EM VIGILÂNCIA EM SAÚDE

Na oportunidade, Sérgio Luz, anunciou a realização da segunda turma do Curso de Especialização em Vigilância em Saúde na Rede de Atenção Primária à Saúde, oferecido pela Fiocruz Amazônia, em formato presencial em Tabatinga (AM).

O curso é gratuito e destina-se a profissionais de nível superior que atuam em unidades básicas de saúde ou em unidades de saúde da família na região amazônica. Serão ofertadas 50 vagas, distribuídas entre Brasil (20), Colômbia (10), Equador (10) e Peru (10). Os candidatos estrangeiros serão indicados pelos órgãos competentes de seus países.

A segunda edição do curso é resultado de parceria entre Assessoria de Assuntos Internacionais de Saúde do Ministério da Saúde (Aisa-MS), Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), Organização Panamericana de Saúde (Opas), e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Para mais informações sobre o curso que recebe inscrições até o dia 25 de junho, clique.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Marlúcia Seixas

Saúde 4.0 é um dos assuntos da Fiocruz Amazônia Revista

Já está disponível no site do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) a 3ª edição da Fiocruz Amazônia Revista, um veículo de popularização da ciência, por meio da divulgação científica, com publicação semestral e em formato digital.

Para acessar a Revista, clique.

Com 78 páginas, a nova edição da Fiocruz Amazônia Revista, aborda com destaque o acesso a tecnologias e inovações na saúde, a chamada Saúde Digital ou Saúde 4.0, e apresenta alguns exemplos inovadores de atuação da Fiocruz Amazônia nesse campo. Confira na página 46, a reportagem “Inovação em saúde para a sociedade:  novos cenários na saúde e qualidade de vida”.

Em entrevista especial, Ildeu de Castro Moreira, presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), fala sobre a trajetória da SBPC, os principais desafios enfrentados pela comunidade científica, bem como sobre o papel da ciência em relação à Amazônia e sobre as estratégias adotadas para fortalecer a divulgação científica no País.

Assim como nas edições anteriores, em breve, será lançado o cartão com o QRCode  (código de barras bidimensional) de acesso à   Fiocruz Amazônia Revista.   Por enquanto, o download pode ser feito no site Fiocruz Amazônia.

SOBRE A REVISTA

Criada com a missão de divulgar à sociedade os frutos de esforços científicos desenvolvidos por pesquisadores da Fiocruz, a “Fiocruz Amazônia Revista” é um veículo de popularização da ciência que adota o jornalismo científico para divulgar pesquisas, cursos, ações e eventos que possam contribuir para a melhoria das condições de vida e saúde das populações amazônicas e para o desenvolvimento científico e tecnológico regional.

No site da Fiocruz Amazônia você também acessa a outras publicações da Fiocruz. Confira.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Imagem: Maloka

Fiocruz Amazônia capacita novos especialistas em Vigilância em Saúde para atuarem na tríplice fronteira do Alto Solimões

Apresentações de trabalhos nas modalidades de pôsteres e comunicações orais marcaram o encerramento do Curso de Especialização em Vigilância em Saúde na Rede de Atenção Primária à Saúde (APS) na Tríplice Fronteira do Alto Solimões. O simpósio de encerramento aconteceu no período de 7 a 9 de novembro, no município de Tabatinga, no Amazonas.

Participaram da especialização profissionais da Colômbia, Peru e Brasil, especialmente área da Saúde que atuam na tríplice fronteira. Concluíram no tempo previsto 23 alunos e 8 estão em processo de entrega do trabalho final.

O curso  foi oferecido pelo Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) em parceria com a Organização Panamericana de Saúde (Opas), Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), Assessoria de Assuntos Internacionais de Saúde do Ministério da Saúde (Aisa/MS)  Programa de Doenças Sexualmente Transmissíveis – Aids do Ministério da Saúde, Secretaria Estadual de Saúde do Amazonas (Susam), Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Amazonas (Cosems-AM), Instituto Federal do Amazonas (Ifam/Campus Tabatinga), Associação Brasileira de Profissionais de Epidemiologia de Campo (ProEpi) e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Para o diretor da Fiocruz Amazônia, Sérgio Luz, a realização do curso em Tabatinga foi uma experiência muito rica, não só para os alunos, mas para as instituições envolvidas na atividade. “É uma sensação boa, de que fizemos a coisa certa, de que escolhemos os parceiros certos e que foram essenciais para que o curso acontecesse, e sabemos que essa experiência vai ficar marcada na vida profissional dos alunos, como está marcada na Fiocruz Amazônia”.

Os trabalhos desenvolvidos pelos alunos foram divididos em 8 temas, que integraram uma Carta de Recomendações elaboradas pela turma, com propostas de aprimoramentos das ações de vigilância em Saúde na região do Alto Solimões e da saúde pública para a população da fronteira.

Para Bernardino Albuquerque, diretor-presidente da FVS-AM, os trabalhos apresentados pelos alunos são muito importantes para o contexto da saúde no Amazonas. “A questão da vigilância em saúde é trabalhada e as vezes tratada como se fosse uma área de segundo plano dentro do contexto geral da saúde, o que na realidade não é; ela quando bem entendida, quando bem trabalhada é o carro-chefe de todo contexto da saúde, e que fornece informações necessárias para que o gestor possa utilizá-las de forma eficiente, dentro do planejamento de determinada ação.

Para Gonçalo Filho, enfermeiro e aluno da especialização, o curso foi muito proveitoso e abriu várias portas para quem trabalha com saúde na tríplice fronteira. “O curso nos deu oportunidade para pensar em projetos na área de epidemiologia, principalmente quando sabemos que ainda existe uma debilidade muito grande de políticas públicas de saúde, para a prevenção, controle e combate de agravos peculiares da região de fronteira. Tenho certeza que os colegas de turma vão fazer a diferença nas unidades de saúde onde trabalham e nos municípios onde residem, pois temos colegas não só de Tabatinga, mas de Amaturá, São Paulo de Olivença, Benjamin Constant, além dos países vizinhos”.

A fisioterapeuta colombiana, Marly Arango Nunes, que trabalha na Secretaria de Saúde Departamental de Letícia, também compartilha opinião favorável ao curso, pois além de ter tido oportunidade de fazer o curso pela Fiocruz, que é referência na área de saúde, e com isso ganhar uma boa bagagem profissional, também lhe foi permitido trocar experiências com os profissionais que atuam nos países vizinhos e em diferentes comunidades e segmentos da saúde.

SEGUNDA TURMA

Durante o simpósio, Sérgio Luz, anunciou que em breve será ofertada uma nova turma do curso de especialização. “Vamos realizar uma segunda turma, conseguimos financiamento junto a Opas. Iremos aumentar as ações nesse território da tríplice fronteira, por que reconhecemos  a importância dessa região, não só estrategicamente por ser uma área de fronteira, mas por todas as situações que encontramos aqui de saúde e meio ambiente, sendo esse um espaço que requer atenção especial, e que precisa estar preparado para o enfrentamento de crises epidemiológicas, com pessoas capacitadas e com o alinhamento de projetos futuros para a identificação rápida de situações e respostas aos desafios da saúde.

CARTA DE RECOMENDAÇÕES

No último dia do simpósio, os alunos apresentaram a Carta de Recomendações da 1ª Turma de Especialização de Vigilância em Saúde na Rede de APS do Alto Solimões, um documento assinado por autoridades e alunos, o qual propõe recomendações para problemas comuns identificados no Alto Solimões .

A carta informa que apesar das diferentes estruturas e organização administrativas, os problemas da saúde dos três países da fronteira são comuns, como alta incidência de agravos como tuberculose, malária, HIV/AIDS, doenças imunopreveníveis, entre outros; falta de recursos humanos locais ou mesmo capacitação, falta de coordenação, organização e planejamento para integração na região da tríplice fronteira, que acabam atingindo diretamente os resultados de saúde para os três países.

Ao final do Simpósio os alunos apresentaram atrações culturais para festejar o encerramento do curso.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Marlúcia Seixas

Fiocruz Amazônia participa da 1ª Jornada Científica do Hospital de Guarnição de Tabatinga (AM)

Encerrou na última quinta-feira, 24/5, a 1ª Jornada Científica do Hospital de Guarnição de Tabatinga (HGuT). A atividade realizada no município de Tabatinga (AM), distante 1.108 km da capital, faz parte da Semana da Saúde e contou com a participação do pesquisador Felipe Gomes Naveca, Vice-Diretor de Pesquisa do Instituo Leônidas & Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia).

Após a abertura do evento, o pesquisador da Fiocruz Amazônia apresentou ao corpo de saúde do Hospital, as pesquisas mais recentes sobre Arboviroses Emergentes (Chikungunya, Dengue, Zika, Mayaro, Febre Amarela, dentre outras).

Naveca destacou a importância de apresentar os estudos e pesquisas desenvolvidos pela Fiocruz Amazônia, além de estreitar relações com o Hospital de Guarnição de Tabatinga. “Nós temos um projeto de pesquisa em Tabatinga, e como o Hospital do Exército é uma unidade de complexidade média no município, é importante envolver esses profissionais, para que eles possam conhecer o que estamos fazendo, e com isso estreitar a colaboração com o exército”, pontuou.

A Jornada Científica contou ainda com outras palestras e apresentação de Banners, onde os setores diretamente ligados ao atendimento em saúde, produziram banner apresentando relatos de casos clínicos e rotina do seu trabalho. Nesta sexta-feira, está previsto como encerramento das atividades uma Corrida de Aventura e um Baile da Saúde.

SOBRE A FIOCRUZ AMAZÔNIA

O ILMD/Fiocruz Amazônia é a unidade técnico-científica da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) no Amazonas.  Sediado em Manaus, sua missão é contribuir para a melhoria das condições de vida e saúde das populações amazônicas e para o desenvolvimento científico e tecnológico regional e do País, integrando a pesquisa, a educação e ações de saúde pública.

Para o desenvolvimento de suas ações conta com instituições parceiras que apoiam projetos de caráter multidisciplinar e interinstitucional, gerando conhecimentos essenciais para a criação de políticas públicas, que contribuam para a melhoria da qualidade de vida da sociedade.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Fotos: 2º Ten Pedro Henrique

Fiocruz Amazônia inicia novo módulo da especialização em Vigilância em Saúde

“Aspectos Conceituais e Arcabouço Jurídico Político da Vigilância em Saúde” será o novo módulo do curso de especialização Vigilância em Saúde na Rede de Atenção Primária à Saúde, na Tríplice Fronteira do Alto Solimões, ofertado pelo Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia). A disciplina será ministrada de 20 a 24 de novembro, por Giovanny Vinícius Araújo de França, mestre e doutor em Epidemiologia pelo Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia da Universidade Federal de Pelotas-RS.

O objetivo do módulo é compreender os aspectos conceituais, as dimensões legais e operacionais da Vigilância em Saúde no Brasil e em regiões de fronteira, além de buscar entender o papel da rede de atenção primária no campo da Vigilância em Saúde.

A disciplina pretende oportunizar ao discentes: conhecer o histórico e conceitos básicos em vigilância em saúde; identificar as dimensões legais e operacionais das ações de Vigilância no Brasil e regiões de fronteira; conhecer o Regulamento Sanitário Internacional; caracterizar as quatro estratégias de Vigilância em Saúde (Vigilância Sanitária, Ambiental, Epidemiológica e da Saúde do Trabalhador) e seus perfis de atuação; identificar os perfis de atuação da rede de APS no campo da Vigilância em Saúde, além de conhecer os processos de trabalho em Vigilância em Saúde.

Na ementa do módulo estão os seguintes temas: histórico e conceitos básicos em vigilância em saúde, Dimensões legais e operacionais das ações de Vigilância no Brasil e regiões de fronteira, Regulamento Sanitário Internacional, Caracterização Geral e Perfil de Atuação das quatro estratégias de Vigilância em Saúde: Vigilância Sanitária, Ambiental, Epidemiológica e da Saúde do Trabalhador, Perfis de atuação da rede de APS no campo da Vigilância em Saúde, e os Processos de trabalho em Vigilância em Saúde.

SOBRE O CURSO

A especialização é resultado de parceria com a Opas, Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), Aisa-MS, Programa de Doenças Sexualmente Transmissíveis – Aids do Ministério da Saúde, Secretaria Estadual de Saúde do Amazonas (Susam), Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Amazonas (Cosems-AM), Ifam/Campus Tabatinga, ProEpi/MS e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

A abertura do curso ocorreu no dia 23/10, no auditório do Instituto Federal do Amazonas (Ifam/Campus Tabatinga) e contou com a presença de autoridades, parceiros e alunos. Participam do curso 45 alunos, sendo 33 brasileiros e 12 profissionais da Colômbia e do Peru.

No primeiro módulo, foi ofertada aos alunos a disciplina “Políticas de saúde, o território e o contexto da APS em regiões de fronteira”, ministrada por professores da Associação Brasileira de Profissionais de Epidemiologia de Campo (ProEpi/MS).

Ascom/ ILMD Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Foto: Marlúcia Almeida