Posts

SNCT: Oficina incentiva popularização da ciência através de conteúdo audiovisual

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promoveu entre os dias 12 e 14/11, uma oficina gratuita de vídeos digitais para divulgar ciência. Intitulada Digiciência, a atividade reuniu pesquisadores, pós-graduandos e bolsistas de Iniciação Científica.

Em sua 2ª edição, a ação teve o objetivo de promover oficinas de comunicação com a finalidade de orientar os alunos de pós-graduação a desenvolverem a divulgação científica, de forma criativa e lúdica, utilizando a tecnologia e uso do smartphone no processo de comunicação da ciência.

A atividade faz parte da programação da Semana Estadual de Ciência & Tecnologia e conta com fomento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) por meio do Edital POP CT&I e com recursos do edital de Divulgação Científica da Fiocruz. As aulas foram ministradas pelo jornalista Rômulo Araújo.

“Foi bem interessante ver como eles se encantaram com a possibilidade de cumprir etapas de produção de um vídeo, para divulgar suas próprias pesquisas. Sairão daqui bons materiais, e creio que essa seja mais uma mídia que eles terão para divulgar seus estudos, e consequentemente fazer com que as pessoas envolvidas com o tema que eles atuam, possam ter conhecimento disso”, destacou Araújo.

Através das aulas, os participantes puderam conhecer e manipular softwares específicos para edição que permitem criar vídeos e disponibilizá-los nas plataformas digitais. Os vídeos produzidos serão disponibilizados também em canais de difusão: plataformas digitais (Youtube, Facebook da Fiocruz Amazônia).

Para a coordenadora técnica da oficina, Cristiane Barbosa, a ideia é “preparar quem produz ciência para levar ao grande público as informações e resultados de pesquisas desenvolvidas nas instituições de pesquisa científica e tecnológica. Além de pós-graduandos e alunos de Iniciação Científica da Fiocruz, estão participando também pessoas que lidam com a ciência de outras instituições”, explicou.

SOBRE A OFICINA

A atividade apresentará possibilidades da utilização de vídeos como recurso tecnológico para popularizar a ciência junto ao público, produzidos pelo próprio aluno de pós-graduação. A ideia central é fornecer aos participantes, algumas ferramentas e estratégias que podem ser utilizadas na produção de conteúdos sobre as pesquisas, experimentos e estudos realizados por eles.

Na oportunidade, o palestrante apresentou também algumas técnicas de produção de vídeos digitais, iniciando pela elaboração do roteiro e elementos de pré-produção, passando pela gravação e pela edição até chegar ao produto final.

Posteriormente, os participantes do evento apresentarão os materiais produzidos (vídeos) a alunos de escolas da rede pública estadual em Manaus, Tabatinga e Presidente Figueiredo. Os vídeos produzidos serão disponibilizados também em canais de difusão: plataformas digitais (Youtube, Facebook da Fiocruz Amazônia); eventos científicos; DVD com os vídeos para distribuição nos materiais institucionais.

“É um trabalho crucial, pois a construção de um vídeo digital, tem o potencial de instigar reflexões sobre o papel do pesquisador enquanto divulgador científico e ao mesmo tempo propiciar ao grande público, o acesso às pesquisas. Neste sentido, o uso da tecnologia do smartphone como ferramenta digital é essencialmente importante no processo criativo da geração de conteúdo de divulgação científica dos projetos desenvolvidos, visto que todo o material produzido será estrategicamente difundido por todos os meios de comunicação”, ressaltou Cristiane Barbosa.

SOBRE O PALESTRANTE

Rômulo Araújo é jornalista, mestrando em Sociedade e Cultura na Amazônia, com especialização em Design, Comunicação e Multimídia e em Divulgação e Jornalismo Científico na Amazônia. É editor de conteúdo na Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom) da Prefeitura de Manaus e professor do curso de Jornalismo no Centro Universitário do Norte – UniNorte/Laureate.

Com dez anos de experiência na área de comunicação, foi videorrepórter, produtor e roteirista de um telejornal local, repórter e âncora de um programa universitário de rádio, bolsista de comunicação científica e freelancer de um portal nacional de notícias e de uma agência internacional de produção de conteúdos, além de autor de iniciativas de produção independe, como conteúdos audiovisuais em série.

Ascom – ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Fotos: Eduardo Gomes

Fiocruz Amazônia oferece Oficina gratuita de vídeos digitais para divulgar ciência

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) está com as inscrições abertas para a 2ª edição da Oficina de Vídeos Digitais para Divulgar Ciência (DigiCiência). A atividade é gratuita e vai ocorrer nos dias 12, 13 e 14/11, das 8h às 12h, na sede do instituto, na Rua Teresina, 476, Adrianópolis. A oficina é voltada para o público externo e interno (pesquisadores, pós-graduandos e bolsistas de Iniciação Científica). Para os participantes, a atividade conta como 30 horas complementares no certificado.

As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas pelo e-mail: eventos.ilmd@fiocruz.br, por pesquisadores, graduandos e pós-graduandos interessados em divulgar pesquisas em vídeos. Basta informar o nome, CPF, instituição.

O objetivo é de promover oficinas de comunicação com a finalidade de orientar os alunos de pós-graduação a desenvolverem a divulgação científica, de forma criativa e lúdica, utilizando a tecnologia e uso do smartphone no processo de comunicação da ciência.

A atividade faz parte da programação da Semana Estadual de Ciência & Tecnologia e conta com fomento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) por meio do Edital POP CT&I e com recursos do edital de Divulgação Científica da Fiocruz.

Na oportunidade, os participantes irão conhecer e manipular softwares específicos para edição que permitem criar vídeos e disponibilizá-los nas plataformas digitais. Os vídeos produzidos serão disponibilizados também em canais de difusão: plataformas digitais (Youtube, Facebook da Fiocruz Amazônia).

SOBRE A OFICINA

A atividade apresentará possibilidades da utilização de vídeos como recurso tecnológico para popularizar a ciência junto ao público, produzidos pelo próprio aluno de pós-graduação.

Na sequência, serão apresentadas algumas técnicas de produção de vídeos digitais, iniciando pela elaboração do roteiro e elementos de pré-produção, passando pela gravação e pela edição até chegar ao produto final.

Serão apresentados softwares específicos para edição, que permitirão aos participantes criar vídeos e disponibilizá-los nas plataformas digitais. Em momento posterior, os participantes do evento apresentarão os materiais produzidos (vídeos) a alunos de escolas da rede pública estadual em Manaus, Tabatinga e Presidente Figueiredo.

Os vídeos produzidos serão disponibilizados também em canais de difusão: plataformas digitais (Youtube, Facebook da Fiocruz Amazônia); eventos científicos; DVD com os vídeos para distribuição nos materiais institucionais.

PROGRAMAÇÃO:

Dia: 12/11 – Local: Laboratório de Informática do ILMD/Fiocruz Amazônia: 8h  –   12h: Apresentação do plano de atividades da oficina; Introdução à linguagem de roteiro. À tarde: participantes deverão captar imagens para a edição do vídeo no dia seguinte.

Dia:13/11 – Local: Laboratório de Informática do ILMD/Fiocruz Amazônia: 8h     –     12h: Produção e edição do vídeo.

Dia: 14/11 – Apresentação dos vídeos e avaliação dos mesmos.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Cristiane Barbosa

Oficina de Comunicação Científica divulga acesso gratuito a informações na área de saúde nas Bibliotecas Virtuais de Saúde

O acesso gratuito e de qualidade a informações científicas sobre saúde foi a tônica da Oficina de Comunicação Científica – ComunicaCiência, realizada na manhã desta quarta-feira, 9/10, na sede do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), com a condução dos facilitadores Ycaro Verçosa e Cristiane Barbosa.

Bibliotecário do ILMD/Fiocruz Amazônia há 13 anos, Ycaro Verçosa compartilhou com o público presente sua vasta experiência em plataformas digitais de informação, destacando nesta Oficina as características e funcionalidades das Bibliotecas Virtuais em Saúde (BVSs) da Fiocruz, divididas por diversas temáticas, como Aleitamento Materno, Saúde Pública, Determinantes Sociais em Saúde, Doenças Infecciosas, Pensamento Social, Bioética e Diplomacia em Saúde, dentre outras.

O especialista em Gestão da Informação também expôs sobre repositórios, em especial o Arca. “Todas as produções científicas desenvolvidas dentro da instituição são publicadas nesse ambiente virtual e podem ser acessadas livremente e de forma gratuita por todos. Basta ter acesso à internet”, explicou ele.

Para o mestre em Biotecnologia, João Victor Verçosa, que participou da Oficina, o conteúdo foi muito esclarecedor e trouxe novas informações para o pesquisador. “Foi muito interessante conhecer essas Bibliotecas Virtuais que podem ser consultadas gratuitamente e com bastante dados na área de saúde”, relatou.

A acadêmica do 6º período do curso de Enfermagem da Faculdade Materdei, Karollyne Coutinho, aprovou a iniciativa da Fiocruz Amazônia na abordagem crucial para interessados na área. “Foi muito profundo todo o conteúdo apresentado por um profissional de alto nível. Quero atuar na pesquisa e essa oficina, sem dúvida, agrega para esse empoderamento do conhecimento”, opinou.

Sobre a ComunicaCiência

A Oficina “ComunicaCiência” faz parte das iniciativas do ILMD/Fiocruz Amazônia em dialogar com a sociedade por meio de estratégias variadas, preconizando que essas ações devam começar com o próprio pesquisador, que deve apresentar seus projetos e resultados, impulsionando a importância do Instituto para a sociedade, por meio das publicações de artigos em revistas e congressos de alta relevância.

A atividade também tem o objetivo de contribuir com o ILMD/Fiocruz Amazônia, visando atingir as metas propostas em seu Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI 2018-2021), em especial o Programa de Consolidação e Excelência na Pesquisa (Proex-CIÊNCIA), que visa organizar as linhas de ação que sustentam e potencializam a realização de pesquisa de excelência na Unidade, por meio de suas parcerias e interação com a sociedade.

Sobre as Bibliotecas Virtuais em Saúde

As bibliotecas virtuais em saúde são um projeto liderado pelo Centro Latino-americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde (Bireme / Opas), em conjunto com o Ministério da Saúde, para a ampliação do livre acesso à informação em saúde. O Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (ICICT) coordena bibliotecas virtuais em temas variados. A Biblioteca Virtual em Saúde Fiocruz (BVS Fiocruz) reúne o conteúdo de dez bibliotecas temáticas e de outras três biográficas

 ILMD/Fiocruz Amazônia, por Cristiane Barbosa
Fotos: Cristiane Barbosa

Fiocruz Amazônia promove Oficina de Comunicação Científica

Como o tema “Plataformas digitais de Comunicação Científica para a área da Saúde”, o Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) realiza na próxima quarta-feira, 4/10, das 9h às 11h, a Oficina de Comunicação Científica “ComunicaCiência”, que terá como facilitadores o bibliotecário da Fiocruz Amazônia, Ycaro Verçosa e a Jornalista Cristiane Barbosa.

As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas pelo e-mail: eventos.ilmd@fiocruz.br, por pesquisadores, graduandos e pós-graduandos interessados na temática. Na ocasião, o bibliotecário do ILMD/Fiocruz Amazônia irá abordar sobre as bibliotecas virtuais em saúde, destacando suas principais temáticas nesse campo de pesquisa.

O “ComunicaCiência” faz parte das iniciativas do ILMD/Fiocruz Amazônia em dialogar com a sociedade por meio de estratégias variadas, preconizando que essas ações devam começar com o próprio pesquisador, que deve apresentar seus projetos e resultados, impulsionando a importância do Instituto para a sociedade, por meio das publicações de artigos em revistas e congressos de alta relevância.

O ILMD/Fiocruz Amazônia articula de forma estratégica a formação de base para os discentes e pesquisadores na área de comunicação científica, ofertando uma sequência de oficinas temáticas denominada “ComunicaCiência: – Oficina de Comunicação Científica para pós-graduandos e bolsistas do ILMD/Fiocruz Amazônia”.

A atividade também visa contribuir com o ILMD/Fiocruz Amazônia, visando atingir as metas propostas em seu Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI 2018-2021), em especial o Programa de Consolidação e Excelência na Pesquisa (Proex-CIÊNCIA), que visa organizar as linhas de ação que sustentam e potencializam a realização de pesquisa de excelência na Unidade, por meio de suas parcerias e interação com a sociedade.

Ascom ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

PPGVIDA promove oficina para discentes sobre publicações científicas

O Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA) do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia) realizou entre os dias 11 e 15 de dezembro, a oficina Publicações Científicas, voltada para discentes do programa. A atividade foi ministrada pelos pesquisadores sêniores do ILMD, Bernardo Horta, da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), e Carlos Coimbra, da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Segundo a coordenadora do PPGVIDA, Maria Luiza Garnelo, a oficina visa apoiar os discentes que concluíram o mestrado, no intuito de agilizar as publicações que expressarão produtos do processo formador no PPGVIDA, e que também são requisito de avaliação do programa na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Para Horta, o trabalho de construção junto aos alunos tem o objetivo principal de desenvolver produtos que possam ser publicados em periódicos da área. “A ideia é trabalhar com os alunos que já concluíram o mestrado a transformação das dissertações em artigos, para que sejam submetidos a periódicos científicos. Estamos trabalhando com eles aspectos relacionado a como escrever um artigo”, explicou Horta.

Indexação, país da revista, classificação no Qualis da CAPES para a área de Saúde Coletiva, foram alguns dos temas abordados durante a oficina, em relação ao maior questionamento dos discentes: Em qual revista publicar? “Conversamos para que eles saibam o que é, como funciona, mas deixando aberto para que eles possam fazer suas escolhas”, salientou Coimbra.

O Qualis Periódicos é uma das ferramentas utilizadas para a avaliação dos programas de pós-graduação no Brasil. Tem como função auxiliar os comitês de avaliação no processo de análise e de qualificação da produção bibliográfica dos docentes e discentes dos programas de pós-graduação credenciados pela CAPES. Ao lado do sistema de classificação de capítulos e livros, o Qualis Periódicos é um dos instrumentos fundamentais para a avaliação do quesito produção intelectual, agregando o aspecto quantitativo ao qualitativo.

Coimbra destacou ainda que a iniciativa do programa é de grande relevância nesse processo acadêmico. “Essas oficinas são importantes, pois o tempo do mestrado raramente é suficiente para os alunos defenderem, cumprirem com todos os créditos e ter um artigo publicado, visto que esse é um processo que demora muito. Alguns estão escrevendo o primeiro artigo científico, então essa oportunidade que está sendo oferecida para os alunos aqui do ILMD é extremamente relevante, pois abre portas para estimular os alunos a tornem público os resultados dos seus estudos.

SOBRE O PPGVIDA

O Programa tem como objetivo capacitar profissionais para desenvolver modelos analíticos capazes de subsidiar pesquisas em saúde, apoiar o planejamento, execução e gerenciamento de serviços e ações de controle e o monitoramento de doenças e agravos de interesse coletivo e do Sistema Único de Saúde na Amazônia.

O PPGVIDA visa planejar, propor e utilizar métodos e técnicas para executar investigações na área de saúde, mediante o uso integrado de conceitos e recursos teórico-metodológicos advindos da saúde coletiva, biologia parasitária, epidemiologia, ciências sociais e humanas aplicadas à saúde, comunicação e informação em saúde e de outras áreas de interesse acadêmico, na construção de desenhos complexos de pesquisa sobre a realidade amazônica.

ILMD Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Fotos: Eduardo Gomes