Posts

Fiocruz Amazônia promove edição especial do Centro de Estudos dia 29/5, terça-feira

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promove na próxima terça-feira, 29/5, a partir de 9h, na Sala 101 da Unidade, edição especial do Centro de Estudos, com a palestra “Leishmania goes retro”, a ser ministrada pelo pesquisador Fabiano Oliveira, do National Institute of Health (NIH),

A pesquisa a ser apresentada foi capa da revista Nature Microbiology, em maio de 2018, na qual Fabiano é co-autor. O pesquisador já esteve na Fiocruz Amazônia, e na oportunidade apresentou seu estudo sobre a descoberta de uma proteína, presente na saliva, que consegue proteger macacos Rhesus da leishmaniose cutânea.

SOBRE O PALESTRANTE

Fabiano Oliveira é mestre em patologia experimental, doutor em patologia humana pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e pós-doutor pela National Institues of Health.

Possui experiência na área de medicina, com ênfase em anatomia patológica e patologia clínica. Atua principalmente nos seguintes temas: leishmaniasis, imunologia celular, lutzomyia longipalpis, Lutzomyia intermedia, Saliva e Phlebotomus.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos são gratuitos e ocorrem às sextas-feiras. As atividades são destinadas a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

Centro de Estudos abordará combinação de citocinas inflamatórias em pacientes com hepatite C crônica

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promove nesta sexta-feira, 25/5, a partir de 9h, no Salão Canoas, auditório do Instituto, a palestra “Impacto combinado do genótipo 1 do vírus da hepatite C e polimorfismos nas citocinas IL-6 e TNF-α nos níveis séricos de citocinas pró-inflamatórias em pacientes infectados pelo VHC”, a ser ministrada por Andrea Monteiro Tarragô, doutoranda do Programa de Pós-graduação em Imunologia Básica e Aplicada, da Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

De acordo com a palestrante, existem substâncias em nosso organismo que são produzidas pelas nossas células de defesa, na tentativa de eliminar o agente causador da infecção, no caso o HCV, contudo nesse processo há um agravamento da doença no fígado. A palestra irá abordar aspectos epidemiológicos, principal via de transmissão, tratamento e aspectos imunogenéticos relacionados ao desenvolvimento da hepatite C crônica.

A pesquisadora destacou também a importância do impacto dessas combinações. “Quantos aos impactos pode-se dizer que as alterações imunológicas podem contribuir com o desfecho da doença hepática causada pelo HCV”

SOBRE A PALESTRANTE

Andrea Tarragô é graduada em Farmácia e Bioquímica pela Universidade Paulista (UNIP), Especialista em Hematologia Laboratorial pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Mestre em Imunologia Básica e Aplicada pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Atualmente é Doutoranda em Imunologia Básica e Aplicada pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

Possui experiência na área de Imunologia, Genética e Células-tronco, com ênfase em Imunogenética, Genética Humana e Médica. Desenvolve pesquisas na área de Imunogenética, Imunidade Celular e Resposta imune ao HCV/ HBV, atuando em específico aos polimorfismos dos genes de citocinas e quantificação de Citocinas.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos são gratuitos e ocorrem às sextas-feiras. As atividades são destinadas a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

Palestra do centro de estudos vai abordar Interação patógeno-vetor na malária vivax

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promove na próxima sexta-feira, 18/5, a partir de 9h, no Sala 2, prédio anexo do Instituto, a palestra “Interação patógeno-vetor na malária vivax: descrição da ultraestrutura do intestino médio de Anopheles aquasalis e de aspectos envolvidos na interação”, a ser ministrada pela pesquisadora Djane Clarys Baia da Silva, da Faculdade de Ciência Farmacêuticas da Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

SOBRE A PALESTRANTE

Djane Clarys é graduada em Farmácia, mestra em Biologia de Agentes Infecciosos e Parasitários pela Universidade Federal do Pará ((UFPA),) e Doutora em Doenças infecciosas e Parasitárias. Têm experiência em cultivo in vivo de P. vivax e Plasmodium falciparum, avaliação in vitro e em ensaios de bloqueio de transmissão utilizando compostos sintéticos.

Nos últimos cinco anos vem dedicando-se ao estudo de interação Anopheles aquasalis-Plasmodium vivax, descrevendo aspectos ultraestruturais de intestino médio e de Matriz peritrófica, assim como aspectos que interferem na dinâmica da infecção de P. vivax em A. aquasalis, a exemplo da administração de quitinase exógena, inibidores de tripsina e também da concentração de células vermelhas presentes ao longo do repasto sanguíneo.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos são gratuitos e ocorrem às sextas-feiras. As atividades são destinadas a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes

Centro de Estudos abordará prevalência de bactéria causadora da meningite meningocócica em populações indígenas do Amazonas

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promove na próxima sexta-feira, 11/5, a partir de 9h, na sala de aula 2, prédio anexo da Instituição, a palestra “Investigação da infecção subclínica de Neisseria meningitidis em populações indígenas do Amazonas”, a ser ministrada pela pesquisadora, Kátia Maria da Silva Lima, Tecnologista do Laboratório Diversidade Microbiana da Amazônia com Importância para a Saúde (DMAIS/ILMD Fiocruz Amazônia).

O estudo que será apresentado faz parte dos resultados da tese de doutorado da pesquisadora. “Nosso objetivo foi estudar a prevalência da infecção assintomática por Neisseria meningitidis, bactéria que causa a meningite meningocócica (tipo C). Estudamos a prevalência dessa bactéria nos indígenas assintomáticos, ou seja, aqueles indígenas que não estão com a doença, mas que ao fazermos a coleta na nasofaringe, identificamos a presença da bactéria”, explicou.

A meningite meningocócica é um tipo de meningite bacteriana que é causada pela bactéria Neisseria Meningitidis. Para a pesquisadora, o estudo possui grande importância ao identificar a prevalência da bactéria entre os indígenas, por ser uma população que reside em lugares de difícil acesso, longe de laboratórios e hospitais que possam dar uma assistência adequada para casos de meningite.

Segunda Kátia, a pesquisa possibilitou o levantamento de dados secundários sobre a doença em populações indígenas no Amazonas, além de importantes informações sobre a cobertura vacinal, através da carteira de vacinação dos indígenas, visando entender um pouco mais a epidemiologia da doença nessas áreas. Participaram da pesquisa três aldeias indígenas de etnias diferentes: Mura, Munduruku e Mura Pirahã.

SOBRE A PALESTRANTE

Katia Lima é doutora em Ciências pelo Programa de Pós-graduação em Medicina Tropical do Instituto Oswaldo Cruz (IOC), mestra em Sociedade e Cultura na Amazônia, graduada em Serviço Social pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Atualmente é Tecnologista do ILMD/ Fiocruz Amazônia. Possui experiência na área da Saúde Pública, com ênfase em Análise das Condições socioambientais e Saúde na Amazônia, atuando principalmente nos seguintes temas: Políticas de Saúde, Saúde Indígena, Meningite, Leptospirose.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos são gratuitos e ocorrem às sextas-feiras. As atividades são destinadas a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes

Estudantes de medicina da Imperial College London ministram palestra no Centro de Estudos da Fiocruz Amazônia

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promoveu nesta sexta-feira, 4/5, a palestra “National Health Service (NHS): Passado, presente e futuro do sistema de saúde inglês”, ministrada pelos estudantes Tanaraj Perinpanathan, Joe Kempton e Kavian Kulasabanathan, da faculdade de medicina, da Imperial College London.

Os estudantes estão em intercâmbio na Fiocruz Amazônia, sob orientação do pesquisador Rodrigo Tobias, do Laboratório de História, Políticas Públicas e Saúde na Amazônia (LAHPSA). O objetivo dos alunos é desenvolver atividades para promover e prevenir doenças prevalentes na região amazônica, no âmbito da atenção primária à saúde.

O encontro abordou a atenção primária no Sistema de Saúde Inglês, além do trabalho das equipes multiprofissionais, compostas principalmente por médicos, enfermeiros, dentistas, psicólogos e fisioterapeutas.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos são gratuitos e ocorrem às sextas-feiras. As atividades são destinadas a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde.

ILMD Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes

Palestra no ILMD aborda micologia médica e bioprospecção de substâncias de interesse farmacêutico

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promove na próxima sexta-feira, 27/4, a partir de 9h, no Salão Canoas, auditório da Instituição, a palestra “Atuação do laboratório de Micologia do INPA em micologia médica e na bioprospecção de substâncias de interesse farmacêutico”, a ser ministrada pelo pesquisador, João Vicente Braga de Souza, Biotecnólogo do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa).

Durante a apresentação, o pesquisador irá abordar as pesquisas em candidose, hostoplasmose e criptococose, realizadas no Laboratório de Micologia do Inpa. “Falaremos das pesquisas de bioprospecção de substâncias de interesse farmacêutico, especificamente, dos bioprocessos para produção de pigmentos, biosurfactantes e antimicrobianos, Além disso, abordaremos os estudos que nosso laboratório vem trabalhando ao longo dos últimos 10 anos no diagnóstico molecular e na caracterização dos agentes causadores de micoses profundas”, destacou.

Para João Vicente, a Amazônia é detentora de rica biodiversidade, ainda que seus fungos e bactérias tenham sido pouco estudados quanto ao valor biotecnológico. “As pesquisas de bioprospecção na Amazônia podem resultar em novos antibióticos, corantes, enzimas de origem microbiana. Esses produtos possuem demanda de indústrias de alimentos e farmacêutica. Acreditamos que o Brasil precisa aumentar o esforço de bioprospecção da Amazônia de forma a vislumbrarmos o potencial econômico que a bioindústria pode ter a partir da nossa diversidade regional.

SOBRE O PALESTRANTE

João Vicente Braga é graduado em Farmácia pela Universidade do Amazonas (UA), Especialista em Biotecnologia pela Universidade Federal de Lavras (UFLA), Doutor em Biotecnologia Industrial pela Escola de Engenharia de Lorena da Universidade de São Paulo (EEL-USP), e possui pós-Doutorado em Biotecnologia pela Cranfield University.

Atualmente é Biotecnólogo do Inpa, onde também atua como responsável pelo Laboratório de Micologia da Instituição. Alem disso, é professor permanente do Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas da Universidade Federal do Amazonas (PPGCF/UFAM) e do Programa de Pós-Graduação de Biodiversidade e Biotecnologia da Rede de Biodiversidade e Biotecnologia da Amazônia Legal (BIONORTE).

Atua no desenvolvimento de pesquisas sobre a produção fúngica de bioativos de interesse farmacêutico (antifúngicos, biosurfactantes e colorantes) e também no desenvolvimento de ferramentas moleculares, aplicadas ao diagnóstico e caracterização de agentes causadores de micoses invasivas.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos são gratuitos e ocorrem às sextas-feiras. As atividades são destinadas a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes

Centro de Estudos vai abordar o uso de modelos teóricos na pesquisa científica

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promove na próxima sexta-feira, 13/4, a partir de 9h, no Salão Canoas, auditório da Instituição, a palestra “Uso de modelos teóricos na pesquisa científica”, a ser ministrada pela pesquisadora Maria Jacirema Gonçalves, docente do Programa de Pós-graduação em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA/ Fiocruz Amazônia).

Segundo a pesquisadora, a reflexão possibilita observar e entender melhor importantes etapas da pesquisa científica, que antecipam a prática. “Os modelos teóricos auxiliam na organização do pensamento científico, para que a partir de uma reflexão teórica possamos pensar a realidade e quais aspectos possuem relação com tal realidade. A ideia é levar o pesquisador a essa reflexão antes de estrutura sua pesquisa”, pontuou.

SOBRE A PALESTRANTE

Maria Jacirema Gonçalves é graduada em enfermagem e obstetrícia pela Escola de Enfermagem de Manaus, mestre em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e doutora em Saúde Coletiva, pelo Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

É Pesquisadora em Saúde Pública na Fiocruz-Amazônia, e docente do Programa de Pós-Graduação em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA/Fiocruz Amazônia). Atua como professora da Universidade Federal do Amazonas nas disciplinas de saúde coletiva, terapias alternativas e complementares, vigilância em saúde e informática em saúde. Desenvolve pesquisas na área de epidemiologia de doenças infecciosas.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos são gratuitos e ocorrem às sextas-feiras. As atividades são destinadas a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes

Como preencher e incrementar seu currículo Lattes?

Apesar da grande utilização no meio acadêmico, especialmente para quem deseja dar continuidade aos seus estudos através de cursos de mestrado e doutorado, ou por aqueles que desde a graduação se interessam por pesquisa e fazem iniciação científica, muitas pessoas ainda não sabem exatamente o que é o currículo Lattes, ou quando sabem, têm dificuldade para preenchê-lo ou atualizá-lo.

O currículo é uma ferramenta criada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), por meio da Plataforma Lattes, com o objetivo de integrar as bases de dados, organizar e padronizar os currículos do território nacional.

Com o tema “Como preencher e incrementar seu currículo Lattes”, a pesquisadora Elizabeth Teixeira, professora do Centro Universitário Luterano de Manaus (CEULM/Ulbra), apresentou nesta sexta-feira, 6/4, no Salão Canoas, auditório do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), palestra com sugestões e dicas sobre o currículo Lattes.

A palestra foi organizada pelo Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia, núcleo que oportuniza encontros, conferências, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa, ensino e promoção da saúde.

Acompanhe a entrevista com Elizabeth Teixeira:

Fiocruz Amazônia: Qual a importância do Lattes no meio acadêmico?

Elizabeth – O Lattes vai começar a espelhar a trajetória da pessoa, vai revelar o que ela tem feito, o que tem buscado, as participações, as movimentações interinstitucionais e extrainstitucionais. Quando se está num campo acadêmico é preciso se preparar para um campo profissional, e o lattes é um elemento representador, um cartão de visitas, um retrato profissional e acadêmico, sem falar nos processos seletivos. Durante a graduação a pessoa pode desejar tornar-se um bolsista de iniciação científica, de um programa ou projeto e o processo seletivo é realizado inicialmente pela análise do Lattes.

Fiocruz Amazônia: Qual a melhor maneira elaborar o resumo do Lattes?

Elizabeth – O resumo pode ser automático, cedido pela própria plataforma Lattes, extremamente quantitativo. Eu sugiro que as pessoas façam seus próprios textos, na primeira pessoa, apresentando sua trajetória em uma ordem cronológica. Na medida que você vai caminhando, você vai ter outros elementos para destacar, mas não precisa colocar nesse texto a quantidade de coisas que faz, pois o lattes já faz essa tabulação. O resumo é um texto descritivo qualitativo.

Fiocruz Amazônia: Quais as principais dificuldades encontradas no preenchimento do Lattes?

Elizabeth – Como a gente possui uma tendência de acumular, muito certificado, muito papel, e pouco tempo para atualizar, a pessoa acaba ficando parada na mesma tela e não descendo com o cursor, com isso preenche apenas as opções que são obrigatórias para o Lattes. Palavras-chaves não são obrigatória, outras informações também não, o campo das grandes áreas não é obrigatório, e acabam ficando todos em branco. A gente sugere que periodicamente, com maior regularidade, o usuário da plataforma Lattes a atualize, para não acumular papel e querer inserir vários itens de uma só vez.

Fiocruz Amazônia: Como delimitar um bom perfil profissional dentro da plataforma?

Elizabeth – O que vai definir o perfil é a palavra-chave, pois nesse campo você constrói a tendência.

Fiocruz Amazônia: Que eventos devem ser considerados como “formação complementar” e como diferenciá-los do campo  de“participação em eventos”?

Elizabeth – Formação complementar é quando o pesquisador está se formando, podendo ser a institucional formal, e a complementar é a que você pode fazer participando de oficinas, cursos, processos de atualização. Hoje, neste encontro, cada um que aqui esteve fez uma formação complementar, ou seja, são os cursos onde  se aluno ou estudante. No entanto, se durante um evento apresenta-se trabalhos, tipo resumos, pôsteres, banners, neste caso é participação em eventos. É importante salientar que na mesma oportunidade pode-se ter as duas ações.

Fiocruz Amazônia: Como você analisa a presença dos tópicos “inovação” e “popularização da ciência e tecnologia dentro da plataforma?

Elizabeth – Acredito que nos tópicos de inovação e popularização da ciência e tecnologia, nós ainda estamos muito tímidos. As pessoas tendem a imaginar que inovação é apenas quanto se patenteia algo, da mesma forma que imaginam sobre o que é a popularização. Se eu estou em um evento apresentando um trabalho, eu não estou popularizando ciência e tecnologia? É claro que eu estou. Nós precisamos quebrar essas representações que colocam tudo muito longe de nós.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Foto: Eduardo Gomes

Fiocruz Amazônia anuncia programação do Centro de Estudos

O Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) anunciou hoje, 2/4, as próximas atividades do Centro de Estudos da Instituição. Na sexta-feira 6/4, a partir de 9h, no Salão Canoas, auditório da Instituição, a palestra “Como preencher e incrementar seu currículo Lattes”, será ministrada pela pesquisadora Elizabeth Teixeira, professora do Centro Universitário Luterano de Manaus (CEULM/ULBRA).

“A primeira palestra vai enfatizar justamente a construção da carreira científica, abordando o preenchimento e elaboração do Currículo Lattes. É um desafio que a gente possui, um sistema complicado de inserir os dados, principalmente para quem está iniciando na carreira”, destacou Stefanie Lopes, responsável pelo Centro de Estudos e coordenadora do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Biologia da Interação Patógeno Hospedeiro (PPGBIO-Interação).

No dia 13/4, a pesquisadora da Fiocruz Amazônia, Maria Jacirema Gonçalves, irá ministrar a palestra “Uso de modelos teóricos na pesquisa científica”.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

“A ideia é trazer o que temos de mais novo, com pesquisadores convidados, brasileiros que atuam no Amazonas ou em outras instituições do Brasil, e também pesquisadores internacionais, quando temos a possibilidade de tê-los visitando Manaus”, explicou Stefanie.

Os eventos ocorrem às sextas-feiras e deles podem participar estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde. A entrada é franca.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Foto: Eduardo Gomes

Centro de Estudos vai abordar Lipofosfoglicano de Leishmania e seu papel na interação com vetores flebotomíneos

Em edição especial, o Centro de Estudos do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) oferece nesta quinta-feira 5/10, a partir de 14h, no Salão Canoas, auditório da Instituição, a palestra “Lipofosfoglicanos (LPGs) de Leishmania spp e seu papel na interação com vetores do Velho e Novo Mundo”, que será ministrada pelo Dr. Rodrigo Soares, do Laboratório de Parasitologia Celular e Molecular, do Instituto René Rachou (IRR/FIOCRUZ MG).

A palestra vai abordar sobre o Lipofosfoglicano (LPG) de Leishmania e seu papel na interação com vetores flebotomíneos, tanto do Novo quanto Velho Mundo. Segundo o palestrante, “serão enfocados os polimorfismos bioquímicos na molécula de LPG e como isso afeta a infeçcão no intestino médio dos vetores Lutzomyia longipalpis, Lutzomyia migonei, Lutzomyia umbratilis e Phlebotomus papatasi”.

SOBRE O PALESTRANTE

Rodrigo Soares é biólogo, Bacharel em Parasitologia do curso de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), mestre e doutor em Parasitologia pela UFMG.

Possui experiência na área de Parasitologia, com ênfase em Entomologia e Protozoologia. Sua linha de pesquisa atual inclui a glicobiologia de espécies de Leishmania do Novo Mundo, estudando os lipofosfoglicanos (LPGs) e glicoinositolfosfolípides (GIPLs) e seu papel na interação com os hospedeiros vertebrado e invertebrado.

É membro da Sociedade Brasileira de Protozoologia (SBPz), da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e da International Society for Extracelullar Vesicles (ISEV). Atualmente é Líder do Grupo de Pesquisa Cadastrado no Diretório de Pesquisa do CNPq intitulado: Genômica Funcional e Glicobiologia de Leishmania spp. e Trypanosoma cruzi.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde. Os eventos ocorrem orifinalmente às sextas-feiras e deles podem participar estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde. A entrada é franca.

Ascom ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes

Imagem: Acervo do pesquisador