Posts

Estudo apresentado na 15ª Raic da Fiocruz Amazônia aborda transmissão de doenças parasitárias por vetores, em São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas.

“Incriminação de vetores incriminados de Mansonella ozzardi e Mansonella perstans no município de São Gabriel da Cachoeira, Amazonas, Brasil” é um dos projetos apresentados durante a 15ª Reunião Anual de Iniciação Científica (Raic), do Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia).

Orientado pelo pesquisador, James Lee Crainey, o bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIC) da Fiocruz Amazônia, Luiz Henrique Narzetti, estudante de biomedicina, da Universidade Estácio de Sá – Unidade Manaus, apresentou os resultados parciais do estudo faz parte de um projeto guarda-chuva, chamado “Eco-epidemiologia de filarioses na Amazônia”, que está sendo desenvolvido pelo pesquisador, Túlio Romão, doutorando do Programa de Doutorado em Ciências, fruto de uma parceria entre a Fiocruz Amazônia e o Instituto Oswaldo Cruz (IOC).

O objetivo do projeto é incriminar espécies que atuam como vetores de Mansonella ozzardi e Mansonella perstans, no município de São Gabriel da Cachoeira, distante 852 km de Manaus. A proposta apresentada pelo estudante pretendia descrever ao nível de espécie, simulídeos coletados no município, além de detectar e identificar Mansonella spp nos insetos coletados.

Os resultados do estudo possuem grande relevância para a região, uma vez que uma espécie vetora importante foi encontrada infectada no município de São Gabriel da Cachoeira. Para identificar qual espécie do parasito e de seu vetor está circulando no município, novas pesquisas serão realizadas, com as cabeças dos insetos correspondentes dissecadas, já que nas mesmas pode ser encontrado o parasito em sua fase infectante.

Para Narzetti, a experiência de participar do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIC) da Fiocruz Amazônia é bastante satisfatória, principalmente pelo conhecimento adquirido. “Apesar de vir da biomedicina, e estar trabalhando atualmente no ILMD com vetores, em uma área que foge bastante da minha, considero a experiência extremamente importante. Para todo pesquisador, é necessário um item chave, que é a curiosidade em saber mais, pois não existe um teto para o limite do conhecimento”

SOBRE A 15ª RAIC

Encerra nesta sexta-feira, 6/8, a 15ª Raic, do ILMD/Fiocruz Amazônia. Projetos de pesquisa de 33 graduandos, de diferentes Instituições de ensino superior de Manaus estão sendo apresentados nas temáticas: eco-epidemiologia, saúde, sociedade e ambiente, biotecnologia, microbiologia, e parasitologia.

O objetivo da reunião é divulgar e avaliar os resultados parciais das atividades de pesquisa desenvolvidas pelos estudantes nos últimos oito meses. Durante o encerramento, os trabalhos que mais se destacaram em casa sessão serão premiados.

SOBRE O PIC

O Programa de Iniciação Científica (PIC) do ILMD/Fiocruz Amazônia é desenvolvido em parceria com o CNPq e Fapeam, com o objetivo de despertar a vocação científica e incentivar novos potenciais entre estudantes de graduação, além de estimular pesquisadores a envolverem os estudantes em suas atividades científicas, tecnológicas e profissionais. “A ideia é apresentar o mundo científico para os estudantes de graduação de diferentes cursos, no âmbito da Fiocruz, por meio do desenvolvimento de projetos de pesquisa que possuem atuação frente ao Sistema Único de Saúde (SUS)”, explicou Stefanie Lopes.

Acesse aqui a programação da 15ª Raic, da Fiocruz Amazônia.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes

Foto: Eduardo Gomes

Reunião Anual de Iniciação Científica da Fiocruz Amazônia começa com reflexões sobre o conhecimento científico

“2045, o ano em que o homem se tornou imortal”. Este foi o título da palestra ministrada hoje (6/6) pelo professor emérito do Instituto de Química da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Gilberto Barbosa Domont, na abertura da 15ª Reunião Anual de Iniciação Científica (Raic), do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia).

O evento, que acontece até a sexta-feira (8/8), no Salão Canoas, à rua Teresina, 476, Adrianópolis, Zona Centro-Sul de Manaus, contou em sua abertura com a participação de bolsistas do Programa de Iniciação Científica e Tecnológica (PIC-ILMD/Fiocruz Amazônia), professores, pesquisadores, representantes de instituições de ensino e pesquisa, estudantes e público em geral.

A mesa de abertura da 15ª Raic-Fiocruz Amazônia foi composta por Suelânia Figueiredo (coordenadora de Pesquisa do Centro Universitário Fametro), por Jamal Chaar (diretor do Departamento de Pesquisa da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade Federal do Amazonas – Propesp/Ufam), Kátia Torres (diretora de Ensino e Pesquisa da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas – FCecon),  Marcus Guerra (diretor-presidente da Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado – FMT-HVD), Stefanie Lopes (coordenadora do PIC-ILMD/Fiocruz Amazônia), e Sérgio Luz (diretor do ILMD/Fiocruz Amazônia).

Sérgio Luz falou da importância da iniciação científica para os estudantes de graduação, e do quanto o Estado ganha com o investimento em bolsas para jovens pesquisadores. “Temos vivido várias situações adversas no País, mas continuamos a fazer pesquisa, acima de tudo”, destacou ao agradecer o apoio à iniciação científica recebido das instituições de fomento à pesquisa e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), em especial.

ENTREVISTA COM GILBERTO DOMONT

Com 83 anos e um projeto de pesquisa para 10 anos, o professor Gilberto Barbosa Domont provocou o público com o tema inquietante da sua palestra “2045, o ano em que o homem se tornou imortal”. Entre reflexões sobre a ciência, ele estimulou o público ao pensamento crítico sobre o fazer ciência.

Confira abaixo a entrevista que Gilberto Domont concedeu à Assessoria de Comunicação (Ascom/Fiocruz Amazônia).

Ascom: “2045, o ano em que o homem se tornou imortal”. Por que o uso do verbo no passado, no título da palestra?

poster
Entrevista - Gilberto Domont - Início
00:00
--
/
--

Ascom:  Ainda pequenas, as crianças são muito curiosas e passam pela “fase dos porquês”, com o tempo, passam a perguntar menos. Em que a falta de interesse em perguntar pode afetar o conhecimento?

poster
Entrevista Gilberto Domont - parte 2
00:00
--
/
--

Ascom:  Por que é tão difícil formular boas perguntas de pesquisa?

poster
Entrevista Gilberto Domont - Parte 3
00:00
--
/
--

Ascom: Que sugestões e orientações você pode dar a alguém que esteja ingressando na pesquisa?

poster
Entrevista Gilberto Domont - Final
00:00
--
/
--

SOBRE A RAIC

A Raic é um evento que acontece anualmente em todas as unidades da Fiocruz. Durante a Raic, os bolsistas do PIC-ILMD/Fiocruz Amazônia apresentam os resultados dos projetos desenvolvidos no período de vigência do Programa, por meio da exposição e discussão de seus trabalhos, para avaliação dos projetos e intercâmbio de experiências entre estudantes, pesquisadores e demais profissionais. Essa experiência reforça a importância da iniciação científica na construção do conhecimento e incentiva os jovens pesquisadores a prosseguirem nas carreiras acadêmicas.

Acesse aqui a programação da 15ª Raic, da Fiocruz Amazônia.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos e vídeos: Eduardo Gomes
Edição de vídeos: Mackesy Pinheiro

Palestra abordará a ciência no caminho da imortalidade, durante abertura da 15ª Raic da Fiocruz Amazônia

Entre os dias 6 e 8 de junho, o Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) realizará a 15ª Reunião Anual de Iniciação Científica (Raic), no âmbito do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIC) da Fiocruz Amazônia de 2017/2018, com recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). PFEP

O evento Inicia nesta quarta-feira, 6/6, às 8h30, com a palestra “2045, o ano em que o homem se tornou imortal”, que será ministrada pelo pesquisador, Gilberto Barbosa Domont, professor emérito do Instituto de Química, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). As apresentações ocorrem no Salão Canoas, auditório da Instituição, situado à rua Teresina, 476, Adrianópolis, zona centro-sul de Manaus.

Segundo o palestrante, a apresentação “é uma tentativa de explicar que o homem vai viver muito”. Ele acrescenta: “as pessoas nesse século vão passar a viver mais de 100 anos normalmente, pois a ciência vai permitir que isso aconteça, por meio da biologia sintética, no estudo do proteôma humano, na genômica, na inteligência artificial”.

Gilberto Domont considera relevante a oportunidade de palestrar para os estudantes que participam do processo de iniciação científica. “Acho extraordinário falar para esse público. É uma oportunidade de tentar trazer aos jovens a modernidade científica, as consequências sociológicas e filosóficas, a história da ciência. É algo encantador, e eu espero que os jovens se motivem muito mais no estudo das ciências, dedicando-se com amor e comprometimento ao trabalho científico”, disse.

SOBRE O PALESTRANTE

Gilberto é doutor e Livre-Docente pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), membro da Academia Brasileira de Ciências. É revisor de revistas nacionais e internacionais, membro do corpo editorial do Journal of Proteomics e editor associado do Journal of Proteome Research. Recebeu o título de Professor Emérito da UFRJ. Atua principalmente na área de proteômica aplicada a sistemas biológicos.

15ª RAIC DO ILMD

Segundo a coordenadora do PIC-ILMD/Fiocruz Amazônia, Stefanie Lopes, o objetivo da reunião é divulgar e avaliar 33 projetos de pesquisa de graduandos de diferentes Instituições de ensino de Manaus. “A atividade serve como uma avaliação para os alunos que pretendem continuar o desenvolvimento dos seus projetos. Os alunos vão apresentar os resultados parciais das atividades que desenvolveram nos últimos oito meses, e serão avaliados por uma banca. Dessa forma eles poderão receber um retorno de como esse trabalho vem sendo desenvolvido”, explicou.

Os trabalhos apresentados serão divididos nas seguintes sessões temáticas: eco-epidemiologia, saúde, sociedade e ambiente, biotecnologia, microbiologia, e parasitologia. Na sexta-feira, 8/6, acontece a premiação anual da Raic.

SOBRE O PIC

O Programa de Iniciação Científica (PIC) do ILMD/Fiocruz Amazônia é desenvolvido em parceria com o CNPq e Fapeam, com o objetivo de despertar a vocação científica e incentivar novos potenciais entre estudantes de graduação, além de estimular pesquisadores a envolverem os estudantes em suas atividades científicas, tecnológicas e profissionais. “A ideia é apresentar o mundo científico para os estudantes de graduação de diferentes cursos, no âmbito da Fiocruz, por meio do desenvolvimento de projetos de pesquisa que possuem atuação frente ao Sistema Único de Saúde (SUS)”, explicou Stefanie Lopes.

Confira a programação AQUI.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes