Posts

Simpósio municipal discute Plantas Medicinais e Fitoterápicos

Iniciou ontem, 9/8, o I Simpósio Municipal de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, evento vinculado à III Semana Municipal de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, e organizado pela Comissão Executiva da Gerência de Assistência Farmacêutica da Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (Semsa), em conjunto com a comissão científica da qual fazem parte  representantes da Prefeitura Municipal de Manaus, da Semsa, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz),   da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa)  e da Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

A abertura do simpósio ocorreu no auditório Belarmino Lins, da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas. Na ocasião Lubélia Sá Freire, subsecretária Municipal de Saúde de Manaus, defendeu a permanência de políticas públicas que garantam a produção e distribuição de plantas medicinais e fitoterápicos.

Sérgio Luz, diretor do Instituto Leônidas & Maria Deane  (ILMD/Fiocruz Amazônia), lembrou que há muito que se caminhar para a produção desses medicamentos no Amazonas, daí a importância da formação de parcerias institucionais  que possam ampliar à população brasileira o acesso seguro e o uso racional de plantas medicinais e fitoterápicos. Além disso, o desenvolvimento dessa cadeia produtiva, pode promover o uso sustentável da biodiversidade regional.

A mesa de abertura do Simpósio foi composta por Kátia Torres, do Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde (DAF/SCTIE/MS); por Celso Paulo de Azevedo, pesquisador, Chefe Geral da Embrapa Amazônia Ocidental; Glauco Kruze Villas Bôas, Coordenador do Curso de Pós graduação Lato sensu “Gestão da Inovação em Medicamentos da Biodiversidade modalidade (EAD – ENSP-Farmanguinhos-Fiocruz), coordenador do sistema nacional de redes do conhecimento voltado para a inovação em medicamentos da biodiversidade (RedesFito); por Débora Ohana, Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF/Ufam); Sérgio Luz; e Lúbelia Sá Freire.

O Simpósio tem como objetivo proporcionar a atualização de conhecimentos, com compartilhamento de saberes e valorização dos aspectos culturais locais, de forma a sensibilizar e mobilizar a sociedade para a implementação e manutenção, no âmbito do Sistema Único de Saúde – SUS, de ações que visem  promoção do uso de plantas medicinais e fitoterápicos, em consonância com as diretrizes da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPICS) e da Política Nacional e do Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos (PPNPMF).

O evento será realizado até o dia 11/8. Confira aqui a programação.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Eduardo Gomes

Inscrições abertas para o Simpósio Avançado de Virologia Hermann Schatzmayr

Estão abertas as inscrições para o 4º Simpósio Avançado de Virologia Hermann Schatzmayr, que será realizado de 10 a 12 de maio de 2017, no campus da Fiocruz em Manguinhos, no Rio de Janeiro. O prazo para inscrição vai até 30 de abril, mas os interessados em submeter trabalhos precisam se inscrever e enviar o resumo até 23 de abril. Com foco na apresentação e discussão de resultados de pesquisas desenvolvidas na área da virologia no âmbito da pós-graduação, o evento conta com algumas novidades este ano. Uma delas é a oportunidade de participação de pós-doutorandos, além de estudantes de mestrado e doutorado, com estudos em andamento e com resultados ou concluídos nos últimos 12 meses. A atividade é promovida pelo Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), com apoio da presidência da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), da Editora Fiocruz, dos Programas de Pós-graduação em Biologia Celular e Molecular e em Medicina Tropical do IOC, da Prefeitura de Campo Novo do Parecis, no Mato Grosso, e das Sociedades Brasileiras de Medicina Tropical, Virologia, Infectologia e Mastozoologia.

“Nosso objetivo é valorizar a produção científica da pós-graduação, reunindo estudantes que realizam trabalhos na área de virologia e oferecendo um espaço para discussão de resultados, com a participação de pesquisadores seniores”, ressalta a pesquisadora Elba Lemos, chefe do Laboratório de Hantaviroses e Rickettsioses do IOC e uma das organizadoras do Simpósio. Segundo ela, a duração do evento vem sendo ampliada anualmente em resposta à grande demanda. “Este ano, teremos dois dias e meio de programação e contaremos com a participação de professores de universidades do Mato Grosso, além de pesquisadores de diversas instituições do Rio de Janeiro na moderação das sessões e no comitê científico”, comemora. Na sexta-feira, 12/05, as atividades da parte da manhã serão integradas à programação do Centro de Estudos do IOC.

Destaque para pôsteres

Entre os estudos submetidos para o Simpósio, 24 serão selecionados para as quatro sessões de apresentação oral, nas quais os autores terão 15 minutos para expor seus resultados. O melhor trabalho de cada sessão será premiado. Pela primeira vez, os projetos aceitos para a sessão de pôsteres também poderão ser divulgados em sessões de apresentação oral resumida, com único slide e cinco minutos para exposição. “O objetivo é que os estudantes destaquem os principais pontos das suas pesquisas para que os interessados possam procurá-los e aprofundar as discussões durante as sessões de pôsteres”, explica Elba. Todos os estudos apresentados no evento serão publicados em uma edição especial do periódico Virus Reviews and Research.

No primeiro dia da atividade, após a mesa de abertura, haverá uma mesa redonda sobre temas atuais da virologia. O infectologista Rivaldo Venâncio, pesquisador da Fiocruz, vai abordar a situação atual das arboviroses no Brasil. Já o pesquisador Fábio Gouveia, da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz), discutirá a divulgação da ciência na mídia. Em seguida, ocorrerá a apresentação de um grupo indígena do Mato Grosso.

Como se inscrever

A inscrição deve ser realizada através do formulário online. Para submeter um trabalho, é preciso estar inscrito no Simpósio e ter um projeto de mestrado, doutorado ou pós-doutorado na área da virologia em fase de desenvolvimento e com resultados ou concluído nos últimos doze meses. O resumo em inglês deve ser enviado para o e-mail viroses@ioc.fiocruz.br. O texto deve ter, no máximo, 1.500 caracteres (na contagem sem espaços), em um único parágrafo, com espaçamento simples e fonte Times New Roman de tamanho 12. O conteúdo deve trazer breve introdução, materiais e métodos, discussão dos resultados e conclusão. Além do nome e e-mail do autor, devem constar os nomes dos orientadores, dos coautores e da instituição onde o trabalho está sendo realizado. O texto não deverá conter citações bibliográficas, nem lista de referências bibliográficas. Notas de rodapé e abreviações não definidas não devem ser utilizadas no resumo. Acesse o modelo de resumo.

Para mais informações  e programação clique.

IOC/Fiocruz, por Maíra Menezes