Posts

Fiocruz Amazônia promove II seminário de projetos de discentes do PPGVIDA

O Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA) do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia) realizou entre os dias 26 e 28 de setembro, o II Seminário de Projetos de Discentes do Programa PPGVIDA.

O Seminário aconteceu sob coordenação dos pesquisadores seniores Bernardo Horta e Carlos Coimbra, além da pesquisadora e chefe do Serviço de pós-graduação do ILMD/ Fiocruz Amazônia, Rosana Parente. Na ocasião, foram apresentados 25 trabalhos de mestrandos das turmas de 2016 e 2017 do PPGVIDA.

Segundo o pesquisador, Carlos Coimbra, o objetivo do seminário “é expor os projetos desenvolvidos pelos alunos, para que o mestrando possa sair um pouco da zona de conforto, que é a relação entre ele, o orientador e os colegas mais próximos”. Além disso, a atividade possibilita que eventualmente os trabalhos possam receber sugestões, e apontamentos sobre questões que não estão muito claras.

Coimbra destacou a originalidade dos temas e a relevância das dissertações para a saúde coletiva. O pesquisador enfatizou que “trazer essas informações para um cenário maior, com participação da comunidade acadêmica, comunicólogos, jornalistas, visando ampliar e fazer circular essa informação, é uma enorme contribuição para a própria reflexão sobre os determinantes de saúde na região, no intuito de reduzir as desigualdades existentes no Amazonas e no Brasil”.

Para a mestranda, Priscilla Correia, a iniciativa foi de grande relevância para o desenvolvimento do projeto de pesquisa. “A realização do seminário foi muito importante para o delineamento e construção das pesquisas que serão desenvolvidas, a partir da contribuição dos pesquisadores. Conseguimos conhecer melhor o funcionamento do programa, das linhas de pesquisa e dos projetos em desenvolvimento, tendo como fim uma experiência muito positiva para nossa formação enquanto pesquisadores”, explicou.

SOBRE O PROGRAMA

O PPGVIDA tem como objetivo capacitar profissionais para desenvolver modelos analíticos capazes de subsidiar pesquisas em saúde, apoiar o planejamento, execução e gerenciamento de serviços e ações de controle e monitoramento de doenças e agravos de interesse coletivo e do Sistema Único de Saúde (SUS) na Amazônia.

O programa também visa planejar, propor e utilizar métodos e técnicas para executar investigações na área de saúde, mediante o uso integrado de conceitos e recursos teórico-metodológicos advindos da saúde coletiva, biologia parasitária, epidemiologia, ciências sociais e humanas aplicadas à saúde, comunicação e informação em saúde e de outras áreas de interesse acadêmico, na construção de desenhos complexos de pesquisa sobre a realidade amazônica.

Para mais informações sobre o Mestrado em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia, clique.

Ascom-ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes

Pesquisa descreve a distribuição epidemiológica das notificações de leishmaniose visceral no Brasil e a relação com fatores climáticos e ambientais em área de maior incidência no país

A leishmaniose visceral  (LV) é uma doença infecciosa sistêmica que compromete o fígado e o baço, além de ocasionar a perda de peso, fraqueza, redução da força muscular, anemia, dentre outras manifestações.

A doença, que tem como principal vetor o flebotomíneo Lutzomyia longipalpis, conhecido como mosquito palha e como agente etiológico, o protozoário, Leishmania infantum, é classificada como Doença de Clima Tropical Negligenciada, e está em franca expansão geográfica no Brasil.

O estudo intitulado “Fatores associados à distribuição epidemiológica e espacial das notificações de leishmaniose visceral, Brasil, 2001 a 2014” foi apresentado, no último dia 29/8, por Lisiane Lappe dos Reis, para obtenção do título de mestre pelo Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA), do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), sob orientação da Prof.ª Dr.ª Maria Jacirema Ferreira Gonçalves.

A pesquisa teve como objetivos descrever a distribuição epidemiológica, espacial e temporal das notificações de leishmaniose visceral no Brasil, além de identificar as diferenças entre os períodos 2001 a 2006 e 2007 a 2014 e correlacionar fatores ambientais e climáticos com a taxa de incidência de LV no estado de Tocantins (maior incidência de LV no país, no período estudado).

Os resultados foram alcançados a partir da análise das notificações de LV e taxas de incidência agrupadas por estados, regiões e municípios brasileiros. Também foram analisados dados sociodemográficos, clínicos e evolução dos casos no conjunto dos anos e apresentados pelo número e percentual.

Foram notificados 47.859 casos de LV entre 2001 e 2014 no Brasil, com predomínio na macrorregião Nordeste, que também é a única a apresentar diminuição da taxa.

RESULTADOS E CONCLUSÕES

O estudo concluiu que no País, a LV está predominando na zona urbana e em menores de 4 anos, embora tenha ocorrido aumento em maiores de 40 anos no segundo período. Além de Tocantins, destacam-se novos focos na macrorregião Sul e leve decréscimo no Nordeste.

Constatou-se também que a LV é uma doença influenciada por variáveis climáticas e ambientais, as quais podem proporcionar condições ideais de desenvolvimento do vetor.

Tocantins apresentou a maior taxa bruta de incidência, o que contribuiu para o aumento da LV na macrorregião Norte. Neste estado, também foi identificada correlação significativa entre a taxa de incidência de LV e variáveis climáticas e ambientais, cuja tendência é linear e significativa.

O estudo apontou a expansão territorial da LV no Brasil, verificada no mapeamento da taxa bruta de incidência por município e da situação do registro de casos caninos autóctones e do vetor nos estados que não apresentam casos humanos autóctones. Em relação à distribuição temporal, esta mostrou estabilidade da taxa no Brasil, com diferenças regionais.

Da esquerda à direita: Miriam Rocha, Lisiane Reis, Jacirema Gonçalves e Jorge Augusto Guerra

Foram membros da banca os professores Dr. Jorge Augusto de Oliveira Guerra, Fundação de Medicina Tropical Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), e  Dr.ª Miriam da Silva Rocha, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

SOBRE O PPGVIDA

O PPGVIDA tem como objetivo capacitar profissionais para desenvolver modelos analíticos capazes de subsidiar pesquisas em saúde, apoiar o planejamento, execução e gerenciamento de serviços e ações de controle e monitoramento de doenças e agravos de interesse coletivo e do Sistema Único de Saúde (SUS) na Amazônia.

O programa também visa planejar, propor e utilizar métodos e técnicas para executar investigações na área de saúde, mediante o uso integrado de conceitos e recursos teórico-metodológicos advindos da saúde coletiva, biologia parasitária, epidemiologia, ciências sociais e humanas aplicadas à saúde, comunicação e informação em saúde e de outras áreas de interesse acadêmico, na construção de desenhos complexos de pesquisa sobre a realidade amazônica.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Marlúcia Seixas e  Eduardo Gomes

Fique por dentro do calendário de defesas do PPGVIDA-ILMD

Já estamos na temporada de defesas da primeira turma do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA), do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia). Os alunos da turma de 2015 têm até novembro deste ano para defender suas dissertações.

As defesas são abertas ao público. Assistir às apresentações pode contribuir para o aprimoramento de quem vai passar pela experiência de ter seu trabalho avaliado por uma banca de professores, seja em nível de graduação, mestrado ou doutorado.

Acesse aqui ao calendário de defesas do PPGVIDA.

O PPGVIDA tem como objetivo capacitar profissionais para desenvolver modelos analíticos capazes de subsidiar pesquisas em saúde, apoiar o planejamento, execução e gerenciamento de serviços e ações de controle e monitoramento de doenças e agravos de interesse coletivo e do Sistema Único de Saúde (SUS) na Amazônia.

O programa também visa planejar, propor e utilizar métodos e técnicas para executar investigações na área de saúde, mediante o uso integrado de conceitos e recursos teórico-metodológicos advindos da saúde coletiva, biologia parasitária, epidemiologia, ciências sociais e humanas aplicadas à saúde, comunicação e informação em saúde e de outras áreas de interesse acadêmico, na construção de desenhos complexos de pesquisa sobre a realidade amazônica.

Uma nova turma do PPGVIDA iniciou nesta semana, 28/8. Para mais informações sobre o Mestrado em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia, clique.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Eduardo Gomes 
Arte: Mackesy Pinheiro

53º Medtrop: aluno do PPGVIDA destaca-se no Prêmio Jovem Pesquisador 2017

Jordam William Pereira Silva, aluno de mestrado do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA), do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), orientando do Dr. Felipe Pessoa, ficou em 3º lugar no Prêmio Jovem Pesquisador 2017, na categoria Mestrado, do 53º Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (Medtrop).

O evento da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (SBMT), que ocorre em Cuiabá (MT),  no período de 27 a 30 de agosto, contabilizou 705 trabalhos concorrentes ao Prêmio Jovem Pesquisador, nas categorias graduação, mestrado e doutorado.

O trabalho apresentado por Jordam Silva no Medtrop,  Evidence of Zika virus venereal transmission in Aedes aegypti mosquitoes, foi publicado recentemente (17/8), no periódico Memórias do Instituto Oswaldo Cruz. O artigo foi escrito com outros autores: Valdinete Alves do Nascimento, Heliana Christy Matos Belchior, Jéssica Feijó Almeida, Felipe Arley Costa Pessoa, Felipe Gomes Naveca, e  Claudia María Ríos-Velásquez.

Jordam Silva  defendeu sua dissertação no último dia 23/8, no ILMD/Fiocruz Amazônia, sob o título “Aspectos ecológicos de vetores putativos do vírus mayaro e vírus oropouche em estratificação vertical e horizontal em ambientes florestais e antropizados em uma comunidade rural no Amazonas”.

SOBRE A DISSERTAÇÃO

A coleta de dados da pesquisa de mestrado de Jordam Silva foi realizada  no assentamento rural de Rio Pardo,  no município de Presidente Figueiredo (AM), em área considerada endêmica para vírus mayaro (MAYV) e vírus oropouche (OROV).

O trabalho teve como objetivo estudar as espécies de mosquitos encontradas no assentamento rural de Rio Pardo, avaliar seu papel no ciclo de transmissão de MAYV e OROV, e os fatores de risco a esses vetores na população humana do assentamento. Os mosquitos foram coletados durante os meses de junho, julho, novembro e dezembro de 2016. No total foram capturados 3.750 mosquitos, classificados em 46 espécies  e distribuídos em 17 gêneros.

Além disso, foram entrevistadas 490 pessoas, em 141 domicílios. Dos domicílios pesquisados, 85% ficam perto da floresta, 63% perto do igarapé e 45% perto da roça.

Os resultados alcançados com o estudo  mostram a circulação de importantes vetores de arbovírus e arboviroses emergentes, fortemente influenciados pelas transformações nos ambientes como desmatamento, construção de estradas e criação de assentamentos. Neste estudo também foi registrada a infecção de mosquitos com o OROV no ambiente de floresta,  o que aumenta o risco da população adquirir o vírus.

SOBRE O PESQUISADOR

Jordam é graduado em Biomedicina pela Faculdade Estácio do Amazonas (2015) e mestre em Saúde Coletiva pelo ILMD/Fiocruz Amazônia. Desde 2013 atua no ILMD/Fiocruz Amazônia,  em projetos relacionados à interação patógeno-hospedeiro utilizando como modelo Anopheles aquasalis infectados com Plasmodium vivax e Aedes aegypti infectados com Zika vírus.

Para mais informações, clique.

53º MEDTROP

Esta edição do Medtrop aborda o tema “Ambiente e Doenças Tropicais: desafios para campos e cidades”, com enfoque nas endemias brasileiras das mais diversas regiões e realidades. Arboviroses, AIDS, sífilis, leismanhioses, Chagas, hanseníase, malária e hepatites virais também estão entre os destaques da programação.

O Congresso é realizado anualmente e visa estimular o intercâmbio com pesquisadores nacionais e internacionais e parcerias com órgãos públicos e privados, gerando recomendações que possam contribuir para o aprimoramento da formação de profissionais de saúde e da atenção à saúde, em seus diferentes níveis, com ações de promoção, prevenção, recuperação e reabilitação à saúde, na perspectiva da integralidade da assistência, com responsabilidade social e compromisso com a cidadania.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas

Foto: Eduardo Gomes

Aula inaugural do PPGVIDA aborda relevância das pesquisas em saúde

“Por que fazer pesquisa em saúde?” foi o questionamento trazido no tema da aula inaugural do curso de mestrado acadêmico do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA), do Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), ocorrida nesta segunda-feira, 28/8.

O tema foi apresentado pelo Dr. Bernardo Lessa Horta, pesquisador visitante sênior do Instituto, professor associado da Universidade Federal de Pelotas e bolsista de produtividade em pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico nível 1A.

Para Horta, a temática proporciona uma ampla reflexão sobre temas que merecem ser pesquisados no campo da saúde. “A ideia dessa apresentação foi discutir um pouco sobre qual a relevância da gente fazer pesquisa na área da saúde, principalmente na saúde pública, quais diferentes aspectos podemos abordar em uma pesquisa e também como identificar temas importantes de serem pesquisados, explicou.

Esta é a terceira turma do mestrado PPGVIDA, o curso tem como objetivo capacitar profissionais para desenvolver modelos analíticos capazes de subsidiar pesquisas em saúde, apoiar o planejamento, execução e gerenciamento de serviços e ações de controle e o monitoramento de doenças e agravos de interesse coletivo e do Sistema Único de Saúde na Amazônia.

Horta destacou a importância de ao término do curso os alunos apresentarem produtos de relevância para a ciência e também para a sociedade. “Nossa expectativa é que futuramente os alunos possam gerar bons produtos, que sejam relevantes do ponto de vista científico e também para a comunidade, abordando perguntas que mereçam respostas”.

Compuseram a mesa de abertura da aula inaugural, o pesquisador e palestrante Bernardo Lessa Horta, a coordenadora do PPGVIDA, Maria Luiza Garnelo, e a chefe do serviço de pós-graduação do ILMD, Rosana Parente.

A coordenadora do PPGVIDA, Dra. Luiza Garnello, parabenizou os alunos pela seleção no mestrado. “É um grande prazer receber essa nova turma de mestrandos. Quero parabeniza-los pelo sucesso da aprovação na seleção, foi um processo bastante concorrido, com bastante dificuldades pra que eles chegassem onde estão, e lembrar que esse é o primeiro degrau, existe uma rota longa pela frente, muito trabalhosa, mas certamente muito prazerosa”, disse.

Compõem o corpo docente permanente do curso os pesquisadores doutores Ana Cyra dos Santos Lucas, Ana Lúcia de Moura Pontes, Ani Beatriz Jackish Matsuura, Cláudia Maria Rios Velasquez, Evelyne Marie Therese Mainbourg, Felipe Arley Costa Pessoa, Felipe Rangel de Souza Machado, Flor Ernestina Martinez Espinosa, Jaime Larry Benchimol, James Lee Crainey, Julio César Schweickardt, Maria Jacirema Ferreira Gonçalves, Maria Luiza Garnelo Pereira, Maximiliano Loiola de Ponte Souza, Ormezinda Celeste Cristo Fernandes, Raquel Paiva Dias Scopel, Rodrigo Tobias de Sousa Lima, Rosana Cristina Pereira Parente, Sérgio Luiz Bessa Luz.

O curso conta ainda com a colaboração dos professores Adenilda Teixeira Arruda, Arlete Batista de Lima, Elsia Nascimento Belo, Evangeline Maria Cardoso e Karla Geovanna Moraes Crispim.

SOBRE O PPGVIDA

O programa visa planejar, propor e utilizar métodos e técnicas para executar investigações na área de saúde, mediante o uso integrado de conceitos e recursos teórico-metodológicos advindos da saúde coletiva, biologia parasitária, epidemiologia, ciências sociais e humanas aplicadas à saúde, comunicação e informação em saúde e de outras áreas de interesse acadêmico, na construção de desenhos complexos de pesquisa sobre a realidade amazônica

A aula inaugural ocorreu no Salão Canoas, no ILMD/Fiocruz Amazônia. Durante a manhã, os alunos participaram de uma recepção realizada pela equipe do ensino, onde foram apresentados o regulamento do Ensino, regimento do PPGVIDA, manual do aluno e calendário acadêmico.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes

Fotos: Eduardo Gomes/ ILMD/ Fiocruz Amazônia

 

PPGVIDA e PPGBIO-INTERAÇÃO divulgam resultado de seleção para aluno especial

Os Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA), e em Biologia da Interação Patógeno Hospedeiro (PPGBIO-INTERAÇÃO), do Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia) divulgaram nesta quinta-feira, 20/7, o resultado da seleção de candidatos para vagas de aluno especial.

Os selecionados devem confirmar sua participação nas disciplinas as quais foi selecionado, através de mensagem eletrônica para selecaoalunoespecial.ilmd@fiocruz.br nos dias 25 e 26 de julho de 2017. Os candidatos que não confirmarem sua participação, dentro do período definido serão considerados desistentes, e estarão automaticamente excluídos da(s) disciplina(s).

Acesse a lista dos selecionados para o PPGVIDA e PPGBIO-INTERAÇÃO

LMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes

Foto: Eduardo Gomes ILMD/Fiocruz Amazônia

Divulgado resultado final da seleção de candidatos para o PPGVIDA

A comissão de seleção do Mestrado do Programa de Pós-graduação Strictu Senso em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA), do Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia), divulgou nesta sexta-feira, 14/7, o resultado final do processo de seleção de candidatos para ingresso no 2º semestre de 2017, referente a chamada pública nº 001/2017.

Neste processo seletivo foram oferecidas 12 vagas, divididas em duas linhas de pesquisa: Fatores sócio biológicos no processo saúde-doença na Amazônia, com nove vagas; e Processo Saúde-Doença e Organização da Atenção a populações indígenas e outros grupos em situações de vulnerabilidade, com três vagas.

Confira aqui o resultado.

Os candidatos aprovados deverão efetuar a matrícula institucional nos dias 26 e 27/7, pela manhã (8h às 12h) ou no período da tarde (13h às 16h), na Secretaria Acadêmica (SECA), localizada no prédio anexo da Unidade, situado à Rua Teresina, 476, Adrianópolis, Manaus.

SOBRE O CURSO

O PPGVIDA – ILMD/Fiocruz Amazônia é um programa de pós-graduação que tem como objetivo capacitar profissionais para desenvolver modelos analíticos capazes de subsidiar pesquisas em saúde, apoiar o planejamento, execução e gerenciamento de serviços e ações de controle e o monitoramento de doenças e agravos de interesse coletivo e do Sistema Único de Saúde na Amazônia.

O curso é em regime integral e as aulas estão previstas para iniciar dia 28 de agosto deste ano. Ao final do mestrado, o egresso do curso receberá diploma de Mestre em Saúde Pública.

PPGVIDA abre inscrições para aluno especial

Interessados em participar como aluno especial do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA), do Instituto de Pesquisa Leônidas e Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia) devem realizar as inscrições no período de 03 a 05 de julho de 2017.

Podem se inscrever candidatos que sejam: alunos de outros cursos de pós-graduação stricto e lato sensu da Fiocruz e de outras instituições públicas e/ou privadas; e candidatos com curso de pós-graduação lato sensu concluído, que não estejam no momento da inscrição fazendo outro curso de lato sensu ou cursando stricto sensu.

INSCRIÇÃO

Para o segundo semestre de 2017, o PPGVIDA oferece as seguintes disciplinas: Saúde coletiva, História da Saúde pública, e Bioética em saúde coletiva.

Os interessados poderão se inscrever por meio de formulário, disponível na Plataforma Siga, no endereço eletrônico: http://www.sigass.fiocruz.br/pub/inscricao.do?codP=120, observando os seguintes passos: primeiro clicar em Inscrição; em seguida, em Programa Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia; depois, preencher o formulário de inscrição; salvar em pdf, imprimir e assinar.

Para se inscrever são necessários os seguintes documentos: Carteira de Identidade Civil ou Militar (frente e verso), ou Carteira do Conselho de Classe; CPF; Declaração de matrícula em outro Programa de Pós-graduação lato sensu ou stricto sensu, ou certificado de pós-graduação lato sensu.

O formulário e demais documentos de inscrição devem ser encaminhados digitalizados, em “formato pdf”, para o endereço eletrônico selecaoalunoespecial.ilmd@fiocruz.br, até 21h59min (hora de Manaus), do dia 5 de julho. No assunto da mensagem a ser enviada, o candidato deverá digitar: “lNSCRlÇÃO DE (NOME COMPLETO DO CANDIDATO) PARA ALUNO ESPECIAL PPGVIDA 2º SEM/2017”.

Informações detalhadas sobre a inscrição podem ser obtidas na Plataforma SIGA. Vale ressaltar que a plataforma só pode ser acessada através do navegador Internet Explorer. A seleção dos candidatos ocorrerá no período de 10 a 17 de Julho 2017.

RESULTADO

A Divulgação da lista dos candidatos selecionados ocorrerá no dia 20 de julho, na Plataforma SIGA no endereço eletrônico http://www.sigass.fiocruz.br/pub/inscricao.do?codP=120 .

Os candidatos selecionados devem confirmar sua participação nas disciplinas as quais foi selecionado, através de mensagem eletrônica para selecaoalunoespecial.ilmd@fiocruz.br nos dias 25 e 26 de julho de 2017. Os candidatos que não confirmarem sua participação, dentro do período definido serão considerados desistentes, e estarão automaticamente excluídos da(s) disciplina(s).

Acesse a plataforma SIGA em: http://www.sigass.fiocruz.br/pub/inscricao.do?codP=120

 

LMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes

Foto: Banco de Imagens ILMD/Fiocruz Amazônia

Divulgada lista de candidatos aptos à 4ª. etapa do processo seletivo do PPGVIDA

O Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), por meio da  Vice-Diretoria de Ensino, Informação e Comunicação, informa  que a lista com os nomes de candidatos que enviaram documentação para a 4ª. etapa do processo seletivo do curso de Mestrado Acadêmico do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA) está publicada na Plataforma SIGA, em http://www.sigass.fiocruz.br/pub/inscricao.do?codP=120

O atraso na publicação ocorreu devido a problemas na Plataforma Siga.

Ascom-ILMD/Fiocruz Amazônia

Divulgado resultado da prova de saúde coletiva para o PPGVIDA

Divulgado hoje (5/6) o resultado da segunda etapa – prova de saúde coletiva –  do processo seletivo, do curso de mestrado do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA), área de Saúde Coletiva.

Os candidatos aprovados nesta etapa devem aguardar a divulgação do resultado da prova de conhecimentos específicos, que será publicado na próxima sexta-feira (9/6). O período para interposição de recursos do resultado da prova de saúde coletiva será nos dias 6 e 7 de junho, de 8h às 12h e de 13h às 15h.

O resultado da prova de saúde coletiva está disponível no site do ILMD/Fiocruz Amazônia em http://www.amazonia.fiocruz.br/doc/resultado_2_etapa_prova_saude_coletiva_ppgvida.pdf ou no sistema Sigass: http://www.sigass.fiocruz.br/pub/inscricao.do?codP=120

SOBRE O CURSO

O PPGVIDA – ILMD/Fiocruz Amazônia é um programa de pós-graduação que tem como objetivo capacitar profissionais para desenvolver modelos analíticos capazes de subsidiar pesquisas em saúde, apoiar o planejamento, execução e gerenciamento de serviços e ações de controle e o monitoramento de doenças e agravos de interesse coletivo e do Sistema Único de Saúde na Amazônia.

Neste processo seletivo foram oferecidas 12 vagas, divididas em duas linhas de pesquisa: Fatores sócio biológicos no processo saúde-doença na Amazônia, com nove vagas; e Processo Saúde-Doença e Organização da Atenção a populações indígenas e outros grupos em situações de vulnerabilidade, com três vagas.

O curso é em regime integral e as aulas estão previstas para iniciar dia 28 de agosto deste ano. Ao final do mestrado, o egresso do curso receberá diploma de Mestre em Saúde Pública.

Ascom-ILMD/Fiocruz Amazônia