Posts

Fiocruz Amazônia abre processo seletivo para pesquisador visitante

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) lança chamada pública para seleção simplificada de candidatos à bolsa de Pesquisador Visitante para brasileiros e estrangeiros.   As inscrições iniciam amanhã (18/10) e vão até o próximo dia 3 de novembro.

Para esta chamada pública está sendo oferecida uma bolsa na modalidade Pesquisador Visitante, no entanto, pode haver ampliação para até três bolsas, dependendo da disponibilidade orçamentária e financeira do ILMD/Fiocruz Amazônia. A linha de pesquisa da oferta é Processo Saúde, Doença e Organização da Atenção a Populações Indígenas e Outros Grupos em Situações de Vulnerabilidade do Programa de Pós-graduação Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA).

O valor mensal da bolsa é de R$ 6.136,00 (seis mil e cento e trinta e seis reais), e terá a duração de dois anos, podendo ser prorrogada por mais dois.

O processo seletivo é realizado em conformidade com a Portaria ILMD N.044/2017, que institui o Programa de Pesquisador Visitante (PV/ILMD/Fiocruz Amazônia), no âmbito do Programa de Fomento ao Ensino e à Pesquisa do Instituto, sob contrato Nº 26/2016, com a Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico em Saúde (PFEP/ILMD/Fiotec).

Acesse aqui ao edital do processo seletivo.

SOBRE O PV/ILMD/FIOCRUZ AMAZÔNIA

O Programa de Pesquisador Visitante tem por objetivos fixar temporariamente pesquisadores com título de doutor, para atuar na Instituição; viabilizar a participação de pesquisadores e profissionais de alto nível nas equipes de pesquisadores e docentes da Instituição, visando o intercâmbio cientifico, tecnológico e a inovação;  possibilitar a participação de pesquisadores e profissionais de alto nível em projetos de pesquisa científica e/ou de desenvolvimento tecnológico, e de desenvolvimento e aperfeiçoamento qualitativo dos Programas de Pós-graduação Stricto e Lato Sensu; além de colaborar com o Programa de Iniciação Científica e Tecnológica (PIC/ILMD), nas áreas de saúde, ciências biológicas e das ciências sociais e humanas em saúde.

Informações sobre o processo seletivo podem ser solicitados através do e-mail posgradvida.ilmd@fiocruz.br

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Foto: divulgação

Projeto da Fiocruz Amazônia concorre ao Prêmio de Incentivo em CT&I para o SUS

O pesquisador Felipe Naveca, do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), é um dos indicados ao Prêmio de Incentivo em Ciência, Tecnologia e Inovação para o SUS, edição XVI, promovido pela Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde (Decit/SCTIE/MS).

A indicação do projeto “Desenvolvimento e avaliação de metodologias simplificadas, com potencial utilização pela rede básica de saúde, para o diagnóstico molecular de agravos importantes na região Amazônica” ao Prêmio foi feita pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) e pela Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas  (Susam).

Felipe Naveca recebeu com entusiasmo a indicação e disse que o projeto teve como objetivo principal avaliar e desenvolver alguns protocolos para detecção de patógenos de interesse da Região Norte, como tuberculose, dengue, malária e outros arbovírus.

“A ideia do projeto era desenvolver um protocolo que fosse o mais simples possível para ser utilizado em laboratórios com pouca estrutura, como por exemplo os laboratórios do interior do Amazonas, que têm uma estrutura menor; para isso trabalhamos com uma metodologia chamada LAMP, e junto com o Instituto Senai de Inovação e Microeletrônica, em Manaus, desenvolvemos o protótipo de um equipamento pensado com esse desafio de ser simples e capaz de nos dar as respostas que necessitamos. O ensaio é realizado dentro desse equipamento, que mantem a temperatura ideal, e o próprio equipamento faz a detecção se a amostra é positiva ou não.  O sistema foi todo desenvolvido pelas equipes da Fiocruz Amazônia e Senai”, explica Naveca.

O pesquisador revelou ainda que foi desenvolvido um aplicativo para celular que se comunica com o equipamento para que ele mostre os resultados, tornando-o mais simples e  fácil de ser levado para qualquer lugar.

O projeto foi financiado pelo Ministério da Saúde inscrito numa chamada do Programa Pesquisa para o SUS: gestão compartilhada em saúde (PPSUS), através do Decit/SCTIE/MS e Fapeam.

A premiação ocorrerá em São Paulo, durante o evento “Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde: conectando pesquisas e soluções”, nos dias 29 e 30 de novembro, promovido pela Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde (Decit/SCTIE/MS).

Além da entrega do Prêmio, estão previstas palestras, painéis,  feira de oportunidades e rodas de conversas para que os pesquisadores possam apresentar seus produtos/processos a empresas e a gestores como estratégia de investimento no desenvolvimento tecnológico em saúde.

Confira a programação em  http://portalsaude.saude.gov.br/ctis2017

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Eduardo Gomes

Pesquisadores da Fiocruz testam em BH alternativa de combate aos mosquitos transmissores da Dengue, Zika, Chikungunya e febre amarela

Belo Horizonte é uma das capitais contempladas por projeto de pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) que avalia a eficácia de uma promissora alternativa no controle do Aedes aegypti e A. albopictu, transmissores dos vírus da Dengue, Zika, Chikungunya e febre amarela.

O projeto dos pesquisadores Sérgio Luz e Elvira Zamora-Perea (do Instituto Leônidas & Maria Deane – ILMD/Fiocruz Amazônia) e Fernando Abad-Franch (do Instituto René Rachou – IRR/Fiocruz Minas) verifica a capacidade de utilização dos próprios mosquitos para disseminar o larvicida (pyriproxyfen) em criadouros, através do uso de um instrumento que eles denominam “estação disseminadora de larvicida”.

A pesquisa iniciou em Manaus e em Manacapuru, no Amazonas, onde apresentou resultados promissores na eliminação de larvas dos mosquitos, mesmo em ambientes adversos. Agora, com o apoio do Ministério da Saúde, por meio do Departamento de Ciência e Tecnologia, e do Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis (Decit & Devit/MS), da Organização Pan-Americana da Saúde-Organização Mundial da Saúde (Opas-OMS), e  com apoio de secretarias municipais e estaduais de Saúde, os ensaios ocorrerão em diferentes regiões do Brasil, visando avaliar a eficácia da tática do uso das estações disseminadoras de larvicida com pyriproxyfen para o controle do Aedes aegypti e A. albopictus, em diferentes paisagens geográficas e escalas.

Em BH as atividades iniciaram no último dia 2/10 com a capacitação dos agentes de endemias e implantação das estações disseminadoras de larvicida, em 3 mil imóveis localizados em três áreas da Regional Noroeste de Saúde.

Segundo Sérgio Luz, o trabalho de implantação será realizado até 11/10 e está sendo feito por equipe composta por técnicos do ILMD/Fiocruz Amazônia e IRR/Fiocruz Minas, atuando em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte. O controle será realizado pelo período de um ano.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: arquivo da pesquisa

ILMD prepara contribuições para o VIII Congresso Interno da Fiocruz

Nos dias 11, 12 e 13 de dezembro será realizada a plenária do VIII Congresso Interno da Fiocruz com o tema “A Fiocruz e o futuro do SUS e da democracia”. As contribuições à versão do documento apresentado pela comissão organizadora do Congresso serão recebidas até o próximo dia 30/10.

Em reunião do Conselho Deliberativo (CD) do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) foi aprovado o modelo de discussões internas, que iniciaram nesta segunda-feira, 9/10, e se estendem até o dia 25/10. Nos dias 26 e 27 ocorrem as plenárias na Unidade.

Confira aqui o cronograma das discussões internas.

O Documento Base do VIII Congresso Interno está dividido em introdução, dinâmica e metodologia, contexto internacional e nacional, contexto institucional, questões estratégicas para a instituição, e nove teses para debates, cada uma tratando de um tema específico.

Após as discussões internas, as contribuições de cada unidade técnico-científica da Fiocruz serão encaminhadas à comissão organizadora do Congresso, para que componham a versão do Documento Base, que será deliberado pelo CD da Fiocruz, em novembro.

A eleição para delegados que vão participar do VIII Congresso Interno deve ocorrer de 13 a 23 de novembro.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Eduardo Gomes e Marlúcia Seixas

Alunos do ILMD são aprovados em Programa de Mobilidade Acadêmica da Fiocruz

A Coordenação Geral de Pós-graduação (CGPG) da Vice-Presidência de Educação, Informação e Comunicação (VPEIC) da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) divulgou lista dos candidatos aprovados para o Programa de Mobilidade Acadêmica da Instituição. Dos cinco alunos selecionados, três são do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia).

Thayana Cruz de Souza, aluna do Programa de Doutorado em Ciências – Cooperação IOC-ILMD, Eric Fabrício Marialva e Ismael Alexandre da Silva Nascimento, alunos do Programa de Pós-Graduação em Biologia da Interação Patógeno-Hospedeiro (PPGBIO-Interação) foram aprovados na chamada de seleção pública, oferecida para alunos de pós-graduação Stricto sensu, matriculados em programas de mestrado acadêmico, mestrado profissional ou doutorado da Fiocruz.

O objetivo do programa é selecionar alunos, que tenham interesse em desenvolver projetos de pesquisa em unidades ou escritórios da Fiocruz, distintas daquelas nas quais estão regularmente associados. A ideia é induzir a formação de profissionais da saúde, ampliando a possibilidade de capacitação técnico-cientifica dos pós-graduandos, além de amplificar as oportunidades de interdisciplinaridade.

PESQUISA E MOBILIDADE

Com o objetivo de estudar a biologia de L. migonei em condições de laboratório e sua interação com Leishmania infantum chagasi, o mestrando Eric Marialva desenvolverá no Instituto René Rachou (Fiocruz Minas), o estudo “Biologia experimental de Lutzomyia migonei (Diptera, Psychodidae, Phlebotominae): Aprimoramento de técnicas de criação em massa e modelo experimental para infecção e transmissão de Leishmania infantum chagasi.

Segundo Marialva, a Fiocruz Minas “possui expertise em modelos de transmissão experimental de diversos insetos vetores e agentes etiológicos, incluindo modelos flebótomos-leishmânias. Irei desenvolver na unidade: Infecção experimental de Lutzomyia migonei por Leishmania infantum chagasi e Le. braziliensis; transmissão de Leishmania pela picada de L. migonei e qPCR em tempo real para detecção e quantificação das leishmânias, sob a orientação e supervisão da Dra. Nagila Francinete Costa Secundino, entre outubro e dezembro de 2017”.

Sob orientação do Dr. Felipe Gomes Naveca, o mestrando Ismael Nascimento teve aprovado o projeto “Diversidade genética do vírus Chikungunya e sua relação com sintomatologia observada durante a circulação em dois estados da Amazônia Ocidental (Amazonas e Roraima). O objetivo principal do estudo é analisar a diversidade genética intra e inter-hospedeiro, processos evolutivos e manifestações da infecção, relacionados ao vírus Chikungunya circulante nos estados de Roraima e Amazonas, entre os anos de 2014 e 2017.

Segundo Nascimento, outro objetivo deste intercâmbio é o treinamento em ferramentas de bioinformática para a análise da história evolutiva e filogeográfica de agentes virais e análise de dados gerados por Sequenciamento de Nova Geração (NGS).

“As atividades serão desenvolvidas no Instituto Oswaldo Cruz (IOC), sob supervisão do Dr Gonzalo Bello, e compreenderão a inferência filogenética, entre sequências derivadas de genomas virais, reconstrução filogeográfica baseada nas sequencias de nucleotídeo e análises variadas de dados obtidos por NGS, como diversidade genética”, explicou.

A doutoranda Thayana Cruz está desenvolvendo o estudo “Identificação de proteases fibrinolíticas em bactérias e fungos da Coleção Biológica da Fiocruz Amazônia, sua expressão em E. coli, purificação e caracterização bioquímica”, sob coorientação da Dra Ormezinda Fernandes.

Parte da tese será desenvolvida no Laboratório de Genômica Funcional e Bioinformática (LAGFB) do IOC, sob orientação do Dr. Wim Degrave, e pretende identificar e selecionar proteases fibrinolíticas em bactérias e fungos estocados no acervo da Coleção Biológica da Fiocruz Amazônia, visando desenvolver biomoléculas com potencial terapêutico, expressando os mesmos sob forma recombinante em E. coli.

Ascom ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes

Fotos: Eduardo Gomes

 

 

 

Fiocruz Amazônia recebe inscrições para evento sobre Criptococose

Estão abertas as inscrições para o I Encontro de Criptococose em Pacientes Imunocompetentes – Manaus/AM. O evento será  realizado pelo Instituto Leônidas & Maria Deane  (ILMD/Fiocruz Amazônia) e acontecerá no próximo dia 20/10, no Salão  Canoas, na sede do Instituto, à  rua Teresina, 476, Adrianópolis, zona centro-sul de Manaus.

O Encontro tem como público-alvo pneumologistas, infectologistas, biomédicos, biólogos, profissionais da área da saúde e estudantes de graduação e pós-graduação. A organização  é das pesquisadoras do ILMD/Fiocruz Amazônia Joycenea Matsuda, Ormezinda Fernandes, e Ani Beatriz Matsuura.

A abertura do evento será 9h e, em seguida, haverá a palestra da médica e pesquisadora do Laboratório de Micologia do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI/Fiocruz), Márcia dos Santos Lazéra,  que abordará O Panorama da Criptococose no Brasil. Depois, haverá mesa-redonda sobre Cryptococcus sp. e Criptococose no Amazonas, e relatos de casos.

Acesse aqui a programação completa.

A atividade é gratuita e estão sendo oferecidas 60 vagas. Os interessados em participar do evento devem preencher o formulário e enviar para o e-mail joyce.matsuda@fiocruz.br

SOBRE A CRIPTOCOCOSE

A criptococose é uma doença infecciosa causada por um fungo, Cryptococcus neoformans ou pelo Cryptococcus gattii, levando a uma micose sistêmica, pode acometer o homem e mamíferos domésticos. São leveduras encapsuladas podendo causar pneumonia ou meningoencefalite. Estão presentes, principalmente, no solo contaminado por excretas de aves.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas

Sessão especial na Aleam para a Fiocruz Amazônia é marcada por fortes emoções

Emoções, recordações e homenagens calorosas marcam a Sessão Especial em celebração aos 23 anos do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) e ao Ano Oswaldo Cruz: 100 anos de falecimento do patrono da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), ocorrida nesta sexta-feira, 22/9, no Plenário Ruy Araújo, da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam).

A homenagem foi requerida pelo deputado Luiz Castro (Rede/AM) e foi aprovada por unanimidade pelos deputados da Casa Legislativa. A Sessão inicialmente foi presidida pelo deputado Serafim Corrêa (PSB) e contou com a presença da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB), autoridades, convidados e comunidade ILMD/Fiocruz Amazônia, que lotou o plenário.

O deputado Luiz Castro iniciou falando da importante missão da Fiocruz no Amazonas e do trabalho dos cientistas: “nada é mágico ou algo que se faça num repente”, disse o deputado, lembrando também do trabalho de Oswaldo Cruz e de sua passagem pela Amazônia, no início do século XX, para combater a malária e a febre amarela.

“Quando o agente de saúde entra em atuação, saiba que a Fiocruz já esteve ali antes”, complementa o deputado falando da importância da ciência e da necessidade de se integrar o mundo da ciência, tecnologia, saúde e inovação (CTS&I) com a política, e da necessidade de envolvimento dos cientistas na política, para defender e fortalecer a ciência.

A senadora Vanessa Grazziotin reforçou o discurso do deputado Luiz Castro, em relação à necessidade de aproximação entre cientistas e políticos, para a melhoria das condições de vida das populações, e para balizar proposituras e emendas que beneficiem o povo brasileiro. “Não dá para falar de saúde pública sem falar da Fiocruz”, complementa, lembrando que o momento político requer união para defender o povo brasileiro, pois “infelizmente, a saúde tem sido dirigida pela força de mercado”, denuncia a senadora.

Outro emocionante discurso foi feito pelo deputado Serafim Correa sobre o trabalho dos pesquisadores da Fiocruz no Amazonas e do esforço e comprometimento de pessoas como o médico e ex-diretor do ILMD/Fiocruz Amazônia, Dr Marcus Barros, e do pesquisador do Instituto, Antônio Levino, falecido neste ano.

HOMENAGENS

Em reconhecimento às atividades e ações desenvolvidas na educação, pesquisa e desenvolvimento de produtos pelo ILMD/Fiocruz Amazônia, foi entregue ao diretor do Instituto, Sérgio Luz, uma placa alusiva aos 23 anos de oficialização do Instituto.

Na oportunidade, também foram reconhecidos pelo relevante trabalho frente ao ILMD/Fiocruz Amazônia, Marcus Barros (ex-diretor), Luciano Toledo (ex-diretor), Roberto Sena Rocha (ex-diretor), o pesquisador Antônio Levino (in memoriam), a pesquisadora Maria Luiza Garnelo, Carlos Alberto Duarte (servidor mais antigo) e Sérgio Luz, atual diretor. As homenagens representaram todos que contribuíram e contribuem para a atuação da Fiocruz no Amazonas.

Sérgio Luz, em sua fala, homenageou o patrono da Fundação, Oswaldo Cruz, que “lutou por questões que até hoje são caras para o povo brasileiro, como o saneamento básico”,  e nos legou “uma instituição que envolve todo o ciclo do conhecimento: da pesquisa à oferta de produtos e de serviços”.

Na oportunidade, o diretor do ILMD/Fiocruz Amazônia também discorreu sobre o trabalho e comprometimento de pessoas como Marcus Barros e Luciano Toledo, que tendo como exemplo o patrono da Fiocruz, uniram esforços para construir um saber regional e “contribuir para uma Amazônia mais justa através da educação, da ciência e da tecnologia para a saúde”, disse, ao reconhecer também a dedicação daqueles que não mediram esforços para consolidar uma unidade técnico-científica da Fiocruz na Amazônia, .

Representando o Governo do Amazonas, o diretor-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS/AM), Bernardino Albuquerque, ressaltou a importância do trabalho da Fiocruz na Amazônia, e lembrou o quanto é gratificante ler os escritos dos cientistas Oswaldo Cruz e Carlos Chagas. Lembrou com carinho do casal Leônidas e Maria Deane, e da contribuição de Leônidas em sua formação acadêmica, pois ele foi membro de sua banca de mestrado, na década de 70.

PRESIDENTE

Outro momento especial foi marcado pela transmissão de vídeo enviado pela presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima, que devido a compromisso internacional não pode estar presente à Sessão Especial, mas enviou depoimento agradecendo à Aleam e ao deputado Luiz Castro as homenagens a Oswaldo Cruz e seu legado, e aos 23 anos da Fiocruz Amazônia.

Nísia Lima ressaltou a importância do reconhecimento ao legado deixado pelo patrono da Fiocruz, “uma instituição voltada para o desenvolvimento da ciência, tecnologia e inovação, à serviço da vida, à serviço da população brasileira. Na região amazônica e no estado do Amazonas, o Instituto Leônidas & Maria Deane cumpre esse papel de estar realizando pesquisas, ações educacionais e de estar trabalhando em rede com as secretarias de estado e municipais, em prol do benefício da saúde na região, trazendo aportes importantes para todo o Brasil, em suas várias áreas de conhecimento”, disse.

A presidente finalizou seu discurso lembrando suas passagens pelo ILMD/Fiocruz Amazônia, na realização de cursos de pós-graduação, e parabenizou a comunidade Fiocruz no Amazonas pelas homenagens.

APRESENTAÇÃO CULTURAL

A Sessão Especial encerrou com a apresentação musical de Inah Bastet, cantora e compositora, cabocla, nascida às margens do rio Madeira, que imprime em suas canções toques e requintes amazônicos, representando a ancestralidade, cotidiano, amor e demais elementos da região.

A cantora  se apresenta em festivais pelo Brasil, sempre destacando  sua pluralidade musical amazônica, entoando um timbre forte e envolvente. Em sua apresentação em homenagem ao Ano Oswaldo Cruz e 23 anos do  ILMD/Fiocruz Amazônia, Inah Bastet contou com a participação das musicistas Dani Colares (no violino)  e Fúlvia  (no violão).

COMEMORAÇÃO

Após a Sessão Especial, servidores, bolsistas, alunos, terceirizados, prestadores de serviço, homenageados, o deputado Luiz Castro e convidados foram recebidos na sede do Instituto, onde além dos emocionados discursos, cantaram os parabéns e cortaram bolo comemorativo ao aniversário de 23 anos.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Eduardo Gomes

Sessão especial na Aleam contará com presença marcante da comunidade Fiocruz Amazônia

Na sexta-feira, 22/9, às 9h, a comunidade Fiocruz Amazônia comparecerá em sua totalidade à Sessão Especial em homenagem aos 23 anos do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) e ao Ano Oswaldo Cruz: 100 anos de falecimento do médico, sanitarista e pesquisador Oswaldo Cruz.

A homenagem é de autoria do deputado Luiz Castro (Rede/AM), e foi aprovada por unanimidade pelos deputados da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam). O evento será no Plenário Ruy Araújo, que fica na Av. Mário Ypiranga Monteiro, nº 3.950, Parque Dez, Manaus (AM).

Servidores, terceirizados, alunos, prestadores de serviço, bolsistas e instituições parceiras do ILMD/Fiocruz Amazônia estarão presentes à solenidade, que expressa o reconhecimento do poder público pelo trabalho desenvolvido pela Fiocruz no Amazonas.

MOBILIZAÇÃO

O anúncio da Sessão Especial na Aleam foi muito bem recebido pela comunidade ILMD/Fiocruz Amazônia. “Ficamos muito felizes com esta homenagem. Este reconhecimento é de grande importância para a Fiocruz que há 23 anos vem construindo sua história na Amazônia” declarou o diretor do ILMD/Fiocruz Amazônia, Sérgio Luz.

A comunidade ILMD está se mobilizando para o evento e aproveita para refletir sobre os esforços alcançados pela Fiocruz Amazônia até 2017, bem como se enche de garra para cumprir sua missão de contribuir para a melhoria das condições de vida e saúde das populações amazônicas e para o desenvolvimento científico e tecnológico regional, integrando a pesquisa, a educação e ações de saúde pública

“A homenagem é dirigida a todos que juntos estão na luta para construir uma Fiocruz na Amazônia, para a Amazônia”, complementa Sérgio Luz.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Eduardo Gomes

Suframa e Fiocruz Amazônia discutem possibilidade de parceria para produção de biofármacos na ZFM

Em reunião ocorrida na Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) com a presença do diretor do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), Sérgio Luz, e do vice-diretor de gestão do Instituto, Carlos Carvalho, o superintendente da Suframa,  Appio Tolentino, afirmou que o potencial da região para desenvolver produtos com matéria prima local é algo que deve ser explorado e que pode gerar empregos tanto na Zona Franca de Manaus quanto em outras regiões.

Durante o encontro, ocorrido recentemente, foram debatidas oportunidades de parcerias entre as duas instituições com vistas a estabelecer um polo fitoterápico e de biofármacos na região, com aproveitamento da matéria prima regional.

Para Appio Tolentino, a perspectiva de um polo de fitoterápicos “possibilitará a formação de capital humano qualificado tanto para atender as demandas do setor industrial quanto para o setor comercial e de serviços, e isso poderá fomentar o segmento em todo o País”, afirmou.

Outros pontos positivos com o estabelecimento de um polo de biofármacos na Zona Franca será o incremento da produção de ciência e tecnologia na região, além de aperfeiçoar a cadeia produtiva do setor de medicamentos. “Acredito que temos que buscar uma maior aproximação entre a Suframa e a Fiocruz para realizarmos um trabalho em conjunto, que gere resultados imediatos para a sociedade”, destacou Tolentino.

Para o diretor da Fiocruz Amazônia, “há grandes oportunidades na região que podemos identificar e aproveitar, como a produção em escala industrial do anti-inflamatório ‘unha de gato’, tão conhecido localmente e tão efetivo. Parcerias público-privadas podem contribuir neste sentido”, complementou Sérgio Luz.

Como resultado deste encontro, brevemente o superintendente da Suframa irá conhecer as instalações do Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos), unidade da Fundação Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro, com vistas ao aprofundamento de parcerias.

Ascom-ILMD/Fiocruz Amazônia
Informações: Portal Suframa

Em reunião no ILMD/Fiocruz Amazônia, presidente do CNPq  assegura um olhar mais atencioso para Amazônia

Em tom de descontração e esperança o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Mario Neto Borges, esteve nesta segunda-feira, 18/9, em encontro com pesquisadores do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia).

O encontro foi articulado pelo diretor do ILMD/Fiocruz Amazônia, Sérgio Luz, com o objetivo de aproximar a instituição do CNPq, o resultado foi uma reunião animada e participativa onde Mario Neto falou da sua gestão no CNPq, das prioridades e estratégias para o Conselho cumprir seus compromissos, mesmo diante das adversidades.

“A ideia é trazer uma expectativa positiva mesmo num momento de crise e de dificuldade, mas o CNPq está com um olhar muito preocupado, muito dedicado ao potencial que a Amazônia tem, em particular o estado do Amazonas’, declarou Mario Neto ao informar sobre alguns projetos lançados recentemente pelo CNPq, voltados para a região.

“Nós sabemos do potencial que a Amazônia tem, todo brasileiro sabe, então, o CNPq tem essa preocupação no radar. Nós temos desenhados alguns projetos, mesmo nessa dificuldade, como o que foi lançado agora para a biodiversidade da Amazônia; estamos negociando com empresas que têm interesse em explorar a biodiversidade, no sentido de fazer parceria de pesquisa com pesquisadores da área; além de projetos para a questão da saúde, de doenças infecciosas negligenciadas e doenças tropicais”, disse o presidente do CNPq ao defender também a formação de parcerias entre as instituições, inclusive entre as regiões com maior experiência com pesquisa, para o trabalho em conjunto.

Para o diretor do ILMD/Fiocruz Amazônia, a vinda de Mario Neto ao Instituto sinaliza parcerias em projetos na área de saúde, desenvolvimento científico e tecnológico, pesquisa e educação.

Mario Neto assegurou que CNPq em sua gestão terá um olhar atencioso para a Amazônia, para as instituições de ensino e pesquisa da região, em especial para o ILMD/Fiocruz Amazônia.

SOBRE O PRESIDENTE DO CNPq

Mario Neto é graduado em Engenharia Elétrica, mestre em Acionamentos Elétricos, e doutor em Inteligência Artificial Aplicada à Educação. Foi presidente do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) por dois mandatos, e foi membro do conselho da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam). É presidente do CNPq desde 20/10/2016.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Eduardo Gomes