Posts

Fiocruz Amazônia promove curso sobre propriedade intelectual

De 26 a 28 de junho será realizado em Manaus, no Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), o curso “Propriedade intelectual e busca da informação tecnológica em documentos de patentes”. O curso é oferecido pelo Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT/ILMD), através da Coordenação de Gestão Tecnológica (Gestec), da Vice-Presidência de Produção e Inovação em Saúde (VPPIS), da Fundação Oswaldo Cruz com apoio financeiro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq.

O curso terá duração de 20h e será ministrado por Leila Longa e por Leonardo Leite. O conteúdo programático compreende aulas teóricas e práticas, que serão realizadas no Laboratório de Informática do ILMD/Fiocruz Amazônia, à rua Teresina, 476, Adrianópolis.

Serão abordados os seguintes assuntos: Fundamentos de propriedade intelectual e de propriedade industrial (Propriedade Intelectual – Convenções e Tratados), Propriedade Industrial (Tratados), Patentes e suas modalidades, Requisitos de patenteabilidade, Documento de Patente X Artigos Científicos, A quem pertence a Invenção?; Documento de patente como fonte de informação tecnológica, Conceito de Informação tecnológica, Classificação Internal de patentes, Códigos de documentos de patentes: INID – Status – Países;  Busca de Informação, Tipos de busca, Estratégia de busca (Operadores booleanos, Truncagem, palavras-chave, classificação internacional), Bases de dados para realização de busca; Prática de Patente (Exercícios), Busca em bases gratuitas, Busca em base contratada pela Fiocruz, e outras bases a serem mencionadas.

O curso é destinado a colaboradores do ILMD, no entanto 8 (oito) vagas gratuitas são destinadas ao público externo. As inscrições podem ser feitas por e-mail para nit.ilmd@fiocruz.br, com as seguintes informações: nome do participante, instituição a que está vinculado, telefone, RG, CPF.

As aulas acontecem nos dois turnos e os certificados serão emitidos pela Coordenação de Gestão Tecnológica (Gestec).

Ascom/ILMD, por Marlúcia Seixas
Imagem: divulgação

 

Sérgio Luz anuncia nomes dos vices-diretores durante CD do ILMD

Conselheiros, chefes de laboratório, bolsistas e colaboradores do Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) participaram hoje, 19/6, no Salão Canoas, de Reunião Ordinária do Conselho Deliberativo (CD/ILMD).

No encontro foram apresentados e deliberados os seguintes assuntos: aprovação da Política de Qualidade do ILMD; apresentação pelo  Serviço de Gestão do Trabalho (Seget/ILMD) do novo procedimento para programação/reprogramação de férias “Férias-Web”, novo ciclo de Avaliação de Desempenho, transferência da servidora Raquel Scopel, MPF/Cogepe (Fiocruz) – Controle e Registro do início e fim da jornada diária de trabalho e do início e fim do intervalo intrajornada, dos servidores e terceirizados da Fiocruz, e recomendação do MPF quanto ao cumprimento da jornada diária de trabalho – conforme Ofício nº 4728/2017-PR-RJ-AMLC –SEGET; anúncio da nova diretoria do Instituto; aprovação do Regimento Interno do ILMD; e formação da comissão eleitoral para conselheiros  do CD/ILMD  -quadriênio 2017-2021.

O CD/ILMD foi conduzido pelo diretor do Instituto, Sérgio Luiz Bessa Luz, que na oportunidade anunciou os nomes dos vice-diretores de ensino, de gestão e de pesquisa. Claudia Maria Rios Velasquez, assume a Vice-diretoria de Ensino, Informação e Comunicação; Felipe Naveca permanece na Vice-diretoria de Pesquisa e Inovação; Carlos Henrique Carvalho também continua na Vice-diretoria de Gestão e Desenvolvimento Institucional. Severina Reis assume a chefia de gabinete.

POLÍTICA DE QUALIDADE

A nova política do ILMD foi aprovada com seguinte texto: “Promover a saúde e a qualidade de vida da população brasileira, em especial a do estado do Amazonas, atendendo aos requisitos de regulamentos e das normas da qualidade adequadas ao seu escopo de atuação, buscando a melhoria contínua do Sistema de Gestão da Qualidade”.

A política foi formulada em conformidade com a Portaria 1104/2016-PR, que trata do Programa de Gestão da Qualidade (PGQ/Fiocruz) e da Política da Qualidade da Fiocruz.

Durante o encontro também foram lembradas as medidas já adotadas no ILMD, em atendimento aos preceitos da Política da Qualidade da Fiocruz e do PGQ/Fiocruz.

INFORMES

Foi formada a comissão eleitoral que cuidará das eleições para conselheiros do Conselho Deliberativo (CD/ILMD), ficando assim composta: Ormezinda Fernandes, Michele El Kadri, Rita Bacuri, Luciene Araújo, e André Ivan de Oliveira.

Outra novidade foi o informe da aprovação do Regimento Interno do ILMD, pela Coordenação-Geral de Gestão de Pessoas (Cogepe), que sugeriu pequenas mudanças, sendo estas acatadas e aprovadas no CD/ILMD.

Ascom/ILMD por Marlúcia Seixas
Fotos: Eduardo Gomes

Alegria e homenagens marcam a recondução de Sérgio Luz ao cargo de diretor do ILMD

Nesta segunda-feira, 12/6, a presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Nísia Trindade, reconduziu o pesquisador Sérgio Luiz Bessa Luz ao cargo de diretor do Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia). A cerimônia de recondução ocorreu na sede do Instituto e contou com a presença de autoridades, amigos e colaboradores do ILMD.

Sérgio Luz foi reeleito no último dia 5 de maio, com mais de 74% dos votos válidos, para o quadriênio 2017-2021. O pesquisador agradeceu à comunidade ILMD que confiou em sua gestão e o reconduziu a mais um mandato de quatro anos.

Sérgio Luz e Nísia Trindade.

Para o pesquisador, nesse momento, mais do que nunca, é preciso encarar a ciência, tecnologia e saúde como um investimento em um bem fundamental para a produção de riqueza e desenvolvimento, portanto há muito o que se descobrir e redescobrir.

“A plataforma para nossa gestão 2017-2021 está assentada em quatro pilares: consolidar a Fiocruz Amazônia como órgão estratégico; integrar ciência, inovação e saúde para o desenvolvimento ambientalmente sustentável; o compromisso com o combate às iniquidades; e a excelência na gestão”, declarou Sérgio Luz.

FESTA DA DEMOCRACIA

A presidente da Fiocruz ressaltou a importância da manutenção da democracia na instituição. “É uma festa e um compromisso da democracia; agradeço a cada um dos trabalhadores do ILMD, sem os quais seria impossível consolidar o Instituto, como centro de pesquisa, de ensino, de formação e de inovação da Fiocruz, na região Amazônica”.

Ao fazer uma conexão com o discurso de Sérgio Luz sobre ciência e tecnologia, Nísia Trindade reconhece que a visão sobre C&T e democracia ainda é muito centrada no sudeste brasileiro, mas admite que adota um pouco de cada região. “São os vários brasis que dão o sentido maior da nacionalidade brasileira”, disse ao agradecer também a cada colaborador da instituição que de alguma forma contribui para que seja preservada a gestão democrática na Fiocruz.

André Ivan entrega lembrança à Nísia Trindade.

Na oportunidade, o servidor André Ivan Lopes de Oliveira, representando todos os colaboradores do ILMD, entregou à Dra. Nísia uma singela lembrança, feita a partir de matéria-prima da floresta amazônica, uma biojoia produzida pela artesã Kerolayne Kemblin.

RECONHECIMENTO

Durante o evento, a pesquisadora Sônia de Oliveira foi agraciada com uma placa comemorativa pelos 30 anos de serviço dedicado à Fiocruz. Ela começou atuando no Rio de Janeiro, e depois veio para Manaus, onde atua como coordenadora da Comissão de Biossegurança do ILMD.

Sônia de Oliveira recebe de Nísia a placa comemorativa.

“Quero agradecer a Deus pela oportunidade de ter entrado nesta instituição, que muitos almejam entrar. Quero agradecer ao diretor Dr. Sérgio, meu orientador, e à nossa presidente, Dra Nísia, pela homenagem”, disse lembrando também dos momentos dedicados ao trabalho em campo e de suas ausências da família, em função do trabalho.

AMAZÔNIAS

Na oportunidade, foi lançado o livro “Amazônias em tempos contemporâneos: entre diversidades e adversidades”, organizado por Jane Felipe Beltrão e por Paula Mendes Lacerda.

O livro reúne trabalhos de vinte autores.

Os autores da coletânea são de formação diversificada e têm em comum a luta por um Brasil plural e democrático. São eles: Ana Lúcia Pontes, Antonio Carlos de Souza Lima, Antonio Motta, Assis da Costa Oliveira, Bruno Pacheco de Oliveira, Camille Gouveia Castelo Branco Barata, Clarisse Callegari Jacques, Jane Felipe Beltrão, Katiane Silva, Laise Lopes Diniz, Luiza Garnelo, Mariah Torres Aleixo, Paula Mendes Lacerda, Rita de Cássia Melo Santos, Rodrigo de Magalhães Oliveira, Rosani de Fatima Fernandes, Rhuan Carlos dos Santos Lopes, Sully Sampaio, Thiago Lopes da Costa Oliveira, e William César Lopes Domingues.

ANTONIO LEVINO

Como parte da celebração, também, foi homenageado Antonio Levino da Silva Neto, pesquisador do ILMD, falecido recentemente, e que agora empresta seu nome à biblioteca do Instituto, que em 2017 completa 15 anos.

Descerramento da placa da biblioteca Antonio Levino da Silva Neto.

A placa com o nome da biblioteca foi descerrada pela família de Levino, esposa e filhas, e pela presidente da Fiocruz. Em suas palavras, a viúva agradeceu a homenagem e falou do carinho que o esposo tinha pela instituição, em especial pelo conhecimento e dedicação a formação de pessoas na região.

A biblioteca atualmente é conduzida pelo bibliotecário Ycaro Verçosa dos Santos, que acompanhou a atividade, e aproveitou para apresentar o espaço à presidente e convidados, bem como falar do acervo local.

CANTO E ALEGRIA

Orquestra Puxirum

O dia foi de homenagens e celebrações no ILMD/ Fiocruz Amazônia. Para propiciar ainda mais alegria e brilhantismo ao evento, convidados e comunidade foram agraciados com a belíssima voz da cantora regional Márcia Siqueira, e depois pela Orquestra Puxirum, de música popular instrumental.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Eduardo Gomes

14ª Reunião Anual de Iniciação Científica do ILMD encerra com a apresentação de 23 projetos de pesquisa

A 25ª Reunião Anual de Iniciação Científica (RAIC) da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e 14ª RAIC do Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) reuniu 23 trabalhos de bolsistas do Programa de Iniciação Científica (Paic) e do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic) da Fiocruz Amazônia, de 2016/2017. As apresentações aconteceram na quinta-feira (8/6), no Salão Canoas, na sede do Instituto.

As bolsas do Paic e Pibic são concedidas com recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), respectivamente.

Segundo o coordenador do Programa de Iniciação Científica  e Tecnológica (PIC), do ILMD/Fiocruz Amazônia, Dr. Felipe Pessoa, os projetos de pesquisa apresentados são de graduandos de diferentes instituições de ensino superior de Manaus, nas áreas de epidemiologia, parasitologia, imunologia, microbiologia, inovação tecnológica, científica e social.

“A RAIC é uma oportunidade para se avaliar e fazer uma reflexão sobre os trabalhos, de fazermos também uma avaliação indireta do orientador, no intuito de sabermos se ele soube formar aquele estudante, se soube despertar vocação científica no aluno”, destacou Pessoa.

Da direita para a esquerda, Dr. Felipe Pessoa, Dra. Rosana Parente, Dr. Sérgio Luz, e Dr. Felipe Naveca.

A 14ª. RAIC do ILMD iniciou às 9h. A mesa de abertura foi composta pelo diretor do Instituto, Dr. Sérgio Luz, pelo vice-diretor de Pesquisa e Inovação, Dr. Felipe Naveca, pela Dra. Rosana Parente (representando a vice-diretora Ensino, Comunicação e Informação), e pelo Dr. Felipe Pessoa.

Após a abertura ocorreu uma palestra e, em seguida, as comunicações orais.

Acesse aqui ao Livro de Resumos – RAIC 2017.

PALESTRA

Bastante entusiasmado com o evento, o reitor da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Cleinaldo Costa, ministrou a palestra “Do dente-de-leite ao profissionalismo”, na qual falou entusiasticamente de sua experiência na pesquisa, que começou no ingresso nos programas de iniciação científica.

Dr. Cleinaldo Costa, reitor da UEA.

“A iniciação científica me fez buscar o conhecimento, abriu as portas para o mundo e me fez buscar entender a realidade da Amazônia’, declarou Cleinaldo Costa.

Na oportunidade, o reitor também apresentou um panorama da UEA, tanto a respeito dos investimentos e dos custos, isso para indicar que o melhor investimento que Estado pode fazer para o cidadão é a educação.

A 14ª Reunião Anual de Iniciação Científica (RAIC) foi considerada um sucesso pela coordenação do evento e o público presente. Após esse encontro está previsto outro que deve ocorrer em agosto, no qual os melhores trabalhos serão reconhecidos.

Acesse as fotos da 14ª. RAIC do ILMD/Fiocruz Amazônia em https://goo.gl/yZHTki. Curta a nossa fanpage.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Eduardo Gomes

Conferência sobre malária reunirá pesquisadores de vários países em Manaus

De 11 a 14 de junho, Manaus receberá pesquisadores de mais de 30 países para a 6th International Conference on Plasmodium vivax Research.  O encontro reunirá grupos de pesquisa de renome, com diversificado leque de conhecimentos, e que trabalham em estreita colaboração com as autoridades locais e internacionais, com o propósito comum do entendimento da malária vivax.

O evento acontecerá no Tropical Manaus Ecoresort, e seu objetivo é promover o intercâmbio de evidências inovadoras e de alta qualidade, para fundamentar o processo de tomada de decisões voltadas para o controle da malária pelo Plasmodium vivax, através de uma rede de pesquisa colaborativa plural e abrangente.

Dr. Marcus Lacerda

Esta edição da Conferência é presidida pelo médico e pesquisador do ILMD/Fiocruz Amazônia e da Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD) Dr. Marcus Lacerda, que coordena o evento juntamente com o professor Dr.  Wuelton Monteiro (da UEA/FMT-HVD) e  com a pesquisadora Dra. Stefanie Lopes (ILMD/Fiocruz Amazônia).

A Conferencia é realizada pela Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (SBMT),  e tem como patrocinadores Bill & Melinda Gates Foundation, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico em Saúde (Fiotec), Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), Fundação de Apoio Institucional Muraki, Advancing the World of Health BD, Emory Vaccine Center, Malaria Foundation International, Grupo Simões, Coca-Cola, AcessBio, Sanofi, Medicines for Malaria Venture, e Malaria Eradication Scientific Alliance (Mesa).

TAFENOQUINA

Um dos destaques desta edição, segundo a coordenação, será a  apresentação dos resultados dos testes clínicos de fase 3 da tafenoquina, medicamento administrado em dose única que pode mudar o paradigma de enfrentamento à malária. A pesquisa é feita  há mais de uma década, e teve como um dos braços do projeto, a cidade de Manaus (AM), além de ter sido ministrada em outros países como  Bangladesh, Peru e  Tailândia.

A terceira fase de um estudo clínico é a última etapa antes do registro e autorização para comercializar um produto farmacêutico – existe ainda a quarta etapa, executada quando a droga já está no mercado.

A tafenoquina age contra a forma hepática do parasita, o que a torna uma potente ferramenta visando à eliminação da malária vivax.

ALCANCE DA CONFERÊNCIA

A expectativa dos coordenadores é de que a partir de um evento deste porte e natureza haja um aumento da colaboração entre instituições e pesquisadores, que permita a concepção de ferramentas e estratégias inovadoras e acessíveis, que podem acelerar o caminho para o controle e eliminação malária.

Outro aspecto importante do evento é a capacitação de pessoal na Amazônia Brasileira, facilitando o intercâmbio de conhecimento com cientistas de renome internacional da área.

EVENTO ECOLÓGICO

A coordenação classifica o evento como ecológico, uma vez que não há distribuição de material impresso, e somente conta com a tecnologia a seu favor.

Para atender a demanda de divulgação de informações, inscrições e de produção científica, está sendo utilizado um aplicativo pelos participantes, que podem acessar pela internet a programação do evento, assim como os resumos dos artigos enviados.

Para mais informações sobre o evento, clique.

O evento inicia no domingo, 11/6. Durante o dia, de 9h às 18h, serão realizados seis cursos, e à noite, às 19h30 ocorrerá a cerimônia de abertura, que será presidida pelo Dr. Marcus Lacerda, contará ainda com o Dr. Kevin Baird (Indonésia), com a presidente da Fiocruz, Dra. Nísia Trindade, com o diretor do ILMD/ Fiocruz Amazônia, Dr. Sérgio Luz, e demais autoridades.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Imagem: divulgação
Foto: Eduardo Gomes

 

Pesquisadores devem estar atentos aos preceitos da nova Lei da Biodiversidade

A nova Lei da Biodiversidade, Lei nº 13.123/2015, regulamentada pelo Decreto nº 8.772/2016, trouxe importantes mudanças para as pesquisas com o patrimônio genético brasileiro, bem como para o desenvolvimento de produtos como nossa biodiversidade. Agora, para realizar pesquisas com a biodiversidade é necessário realizar cadastro eletrônico no Sistema Nacional de Gestão do Patrimônio Genético (SISGen).

Para falar sobre “Nova legislação de acesso ao patrimônio genético e ao conhecimento tradicional associado e seu impacto nas pesquisas”, esteve em Manaus, na última sexta-feira,19/5, na sede do Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), a assessora da Vice-Presidência de Pesquisa e Coleções Biológicas (VPPCB), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), e ex-integrante do Conselho de Gestão do Patrimônio Genético do Ministério do Meio Ambiente (CGEN/MMA), Manuela da Silva.

O Brasil é pioneiro na implementação de uma lei de acesso ao patrimônio genético, ao conhecimento tradicional associado e à repartição de benefícios. Em 2001, com a  MP 2186-16, de 2001, alinhada à Convenção sobre Diversidade Biológica, buscou, de certa forma, evitar a biopirataria e garantir a repartição de benefícios oriundos da biodiversidade. Agora, com a nova lei, o procedimento concentra-se basicamente no cadastro durante a fase da pesquisa e desenvolvimento tecnológico e notificação antes do início da exploração econômica de um produto acabado ou material reprodutivo oriundos do acesso ao patrimônio genético do país e do acesso do conhecimento tradicional associado.

Manuela da Silva alertou os pesquisadores sobre suas responsabilidades em relação ao cadastro, que tanto pode ser feito por pessoa física ou jurídica, privada ou pública. Segundo ela, as Unidades da Fiocruz devem realizar reuniões de projetos para estabelecer a condução desses cadastros.

Pela nova Lei foi criado no âmbito do Ministério do Meio Ambiente (MMA), o Conselho de Gestão do Patrimônio Genético – CGen, e com este a criação de câmaras temáticas e setoriais, dentre essas a Câmara Setorial Acadêmica. As câmaras devem ter a participação paritária do Governo e da sociedade civil, representada pelos setores empresarial, acadêmico e representantes das populações indígenas, comunidades tradicionais e agricultores tradicionais, para subsidiar as decisões do plenário.

Para saber mais sobre o acesso ao patrimônio genético e ao conhecimento tradicional associado clique na página da Fiocruz.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Foto: Marlúcia Seixas

Pesquisadores da Fiocruz Amazônia desenvolvem método de diagnóstico molecular da infecção pelos arbovírus Mayaro e Oropouche

Método desenvolvido por pesquisadores do Instituto Leônidas e Marias Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) recebe aprovação de depósito de patente. Denominado Conjunto de oligonucleotídeos e método para o diagnóstico molecular da infecção pelos vírus Mayaro e Oropouche, a invenção é dos pesquisadores Felipe Gomes Naveca e Valdinete Alves do Nascimento

Com o novo método torna-se possível realizar o diagnóstico molecular da infecção pelos arbovírus Mayaro e Oropouche de maneira simultânea, com alta sensibilidade e especificidade, utilizando a técnica de PCR em Tempo Real.

Valdinete Nascimento e Felipe Naveca. Foto: Eduardo Gomes

Valdinete Nascimento e Felipe Naveca. Foto: Eduardo Gomes

Segundo Naveca, o método já está em uso e o protocolo tem sido utilizado para o estudo de casos humanos suspeitos, mas não confirmados, de Dengue, Zika e Chikungunya, tanto em projetos coordenados por pesquisadores do ILMD, quanto em projetos coordenados por pesquisadores de outras instituições parceiras.

“Temos novos resultados já obtidos com a utilização do protocolo, os quais foram informados ao sistema de vigilância em saúde e estão em fase de redação dos artigos científicos. Fomos contatados por algumas empresas que demonstram interesse pela invenção, estamos conversando”, acrescentou o pesquisador.

OBJETIVOS

A proposta é que o invento se torne uma nova ferramenta na identificação de casos de febre Mayaro e Oropouche, utilizando uma estrutura já existente nos laboratórios centrais dos estados brasileiros.

A ferramenta utiliza estrutura já existente nos laboratórios centrais. Foto Eduardo Gomes

A ferramenta utiliza estrutura já existente nos laboratórios centrais. Foto Eduardo Gomes

Naveca explica que arbovírus são vírus transmitidos por artrópodes como, por exemplo, o vírus da dengue, transmitido principalmente pelo mosquito Aedes aegypti. Existem centenas de arbovírus conhecidos, destes, mais de 30 foram identificados infectando seres humanos.

“Esses números nos mostram que existe o risco de outros vírus se tornarem um importante problema de saúde pública. De fato, a emergência e o avanço epidêmico dos vírus Chikungunya e Zika nos últimos anos, é uma prova irrefutável desse risco. Por este motivo o sistema de vigilância em saúde deve ser dotado de diversas tecnologias, as quais permitam identificar os casos de infecções por vírus emergentes de maneira rápida e confiável”, disse.

O projeto teve como escopo desenvolver e validar estratégias para a detecção de dois arbovírus emergentes e de importância médica, em especial na região Amazônica e foi financiado pelo edital 012/2009 do Programa de Infraestrutura para Jovens Pesquisadores Programa Primeiros Projetos (PPP-CNPq/Fapeam).

PERSPECTIVA

O pesquisador salienta que a experiência com o depósito do pedido de patente permitiu aos pesquisadores reavaliar o potencial de outras invenções desenvolvidas por seu grupo de pesquisa, e adianta que em breve devem ocorrer novos pedidos de patentes, sempre com o foco de inovação para o SUS.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas

Sérgio Luz é reeleito diretor do ILMD/Fiocruz Amazônia  

 

O candidato Sérgio Luiz Bessa Luz foi reeleito com 74,63% dos votos válidos, ao cargo de diretor do Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), para o quadriênio 2017-2021.

Anúncio do resultado da eleição 2017. Foto: Eduardo Gomes

O resultado da eleição 2017 foi divulgado hoje, 5/5. Foto: Eduardo Gomes

A apuração foi realizada pela Comissão Eleitoral no final da tarde de hoje, 5/5. Ao todo, votaram 63 eleitores. O resultado da eleição será homologado em reunião do Conselho Deliberativo (CD) que deve ocorrer na segunda-feira dia, 8/5, no Salão Canoas, na sede do Instituto, no bairro de Adrianópolis.

Após a homologação, o nome do diretor eleito será enviado para a Presidência da Fiocruz.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas

Parceria com a Cogic agiliza demandas do ILMD

A partir da próxima semana o Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) estará habilitado para fazer solicitações de serviços no sistema integrado de administração, Diracweb. A novidade, dentre outras, foi anunciada pelo coordenador-geral de Infraestrutura dos Campi (Cogic/Fiocruz), José Damasceno Fernandes, em visita a Unidade em Manaus, na quinta-feira, 4/5.

Damasceno que esteve no ILMD/Fiocruz Amazônia juntamente com o chefe de gabinete da Cogic, Jorge Luiz Pessanha, considerou a visita proveitosa, diante dos encaminhamentos adotados. Outra novidade, é o início de um acordo de manutenção de equipamentos da Unidade, a ser realizado com a Cogic.

Além disso, a vinda dos técnicos a Manaus objetivou também alinhar junto à direção desta Unidade, questões junto à Superintendência do Patrimônio da União no Amazonas (SPU/AM), para agilizar a publicação no Diário Oficial da União, do termo de cessão do terreno onde será construída a nova sede do ILMD.

Para Sérgio Bessa Luz, diretor do ILMD/Fiocruz Amazônia, a parceria com a Cogic  tem sido muito favorável, não só na resolução de questões que geram entraves para a Unidade, como a questão da manutenção dos equipamentos, mas também na articulação junto à SPU/AM.

MANUTENÇÃO

A Cogic lançou nesta semana um guia de orientações para manutenção de equipamentos científicos. O objetivo da publicação é possibilitar aos usuários encontrar  informações (descrição, modo de solicitação, tempo de espera e prioridades) sobre todos os serviços prestados pelo Departamento de Manutenção de Equipamentos, da Cogic.

No manual estão definidas as prioridades e compromissos da Coordenação com a prestação de serviço de qualidade ao usuário. O documento apresenta a relação dos equipamentos científicos que podem receber algum tipo de manutenção da Cogic, facilitando a solicitação de serviços e compras de novos instrumentos.

Para acessar o material clique aqui.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas

Homenagem a Antônio Levino acontece sexta, 5 de maio

O Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), a família, amigos e colegas realizam nesta sexta-feira, 5/5, a partir das 17h30, homenagem ao médico, pesquisador e professor Dr Antônio Levino da Silva Neto (in memoriam). O evento será na Oca do ILMD/Fiocruz Amazônia, à rua Teresina, 476, Adrianópolis.

Para este encontro estão sendo programadas várias atividades como apresentação musical, declamação de poesias, lembranças e memorias da convivência com Antonio Levino, e demais atividades culturais.

SOBRE LEVINO

Além de pesquisador e professor do ILMD/Fiocruz Amazônia, Antônio Levino também foi docente da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) pesquisador orientador e subcoordenador do Programa Multiinstitucional de Pós-Graduação em Saúde Sociedade e Endemias na Amazônia (PPGSSEA) da Ufam/FIOCRUZ. Sua atuação era na área de Saúde Coletiva com ênfase em Saúde Pública, principalmente em temáticas ligadas a políticas públicas na área de saúde, avaliação de programas e serviços de saúde, saúde em áreas de fronteira, geoprocessamento, epidemiologia e educação em saúde.

HOMENAGEM

A homenagem está sendo organizada pelos colegas do ILMD/Fiocruz Amazônia, juntamente com a família, amigos de Antônio Levino e integrantes do Comitê Municipal do Partido Comunista do Brasil (PCdoB).

O evento é aberto ao público e podem participar todos os que desejarem partilhar memórias vividas ao lado de Levino.

ILMD/Fiocruz, por Marlúcia Seixas