PPGVIDA abre inscrições para aluno especial

Interessados em participar como aluno especial do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA), do Instituto de Pesquisa Leônidas e Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia) devem realizar as inscrições no período de 03 a 05 de julho de 2017.

Podem se inscrever candidatos que sejam: alunos de outros cursos de pós-graduação stricto e lato sensu da Fiocruz e de outras instituições públicas e/ou privadas; e candidatos com curso de pós-graduação lato sensu concluído, que não estejam no momento da inscrição fazendo outro curso de lato sensu ou cursando stricto sensu.

INSCRIÇÃO

Para o segundo semestre de 2017, o PPGVIDA oferece as seguintes disciplinas: Saúde coletiva, História da Saúde pública, e Bioética em saúde coletiva.

Os interessados poderão se inscrever por meio de formulário, disponível na Plataforma Siga, no endereço eletrônico: http://www.sigass.fiocruz.br/pub/inscricao.do?codP=120, observando os seguintes passos: primeiro clicar em Inscrição; em seguida, em Programa Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia; depois, preencher o formulário de inscrição; salvar em pdf, imprimir e assinar.

Para se inscrever são necessários os seguintes documentos: Carteira de Identidade Civil ou Militar (frente e verso), ou Carteira do Conselho de Classe; CPF; Declaração de matrícula em outro Programa de Pós-graduação lato sensu ou stricto sensu, ou certificado de pós-graduação lato sensu.

O formulário e demais documentos de inscrição devem ser encaminhados digitalizados, em “formato pdf”, para o endereço eletrônico selecaoalunoespecial.ilmd@fiocruz.br, até 21h59min (hora de Manaus), do dia 5 de julho. No assunto da mensagem a ser enviada, o candidato deverá digitar: “lNSCRlÇÃO DE (NOME COMPLETO DO CANDIDATO) PARA ALUNO ESPECIAL PPGVIDA 2º SEM/2017”.

Informações detalhadas sobre a inscrição podem ser obtidas na Plataforma SIGA. Vale ressaltar que a plataforma só pode ser acessada através do navegador Internet Explorer. A seleção dos candidatos ocorrerá no período de 10 a 17 de Julho 2017.

RESULTADO

A Divulgação da lista dos candidatos selecionados ocorrerá no dia 20 de julho, na Plataforma SIGA no endereço eletrônico http://www.sigass.fiocruz.br/pub/inscricao.do?codP=120 .

Os candidatos selecionados devem confirmar sua participação nas disciplinas as quais foi selecionado, através de mensagem eletrônica para selecaoalunoespecial.ilmd@fiocruz.br nos dias 25 e 26 de julho de 2017. Os candidatos que não confirmarem sua participação, dentro do período definido serão considerados desistentes, e estarão automaticamente excluídos da(s) disciplina(s).

Acesse a plataforma SIGA em: http://www.sigass.fiocruz.br/pub/inscricao.do?codP=120

 

LMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes

Foto: Banco de Imagens ILMD/Fiocruz Amazônia

Divulgada lista de candidatos aptos à 4ª. etapa do processo seletivo do PPGVIDA

O Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), por meio da  Vice-Diretoria de Ensino, Informação e Comunicação, informa  que a lista com os nomes de candidatos que enviaram documentação para a 4ª. etapa do processo seletivo do curso de Mestrado Acadêmico do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA) está publicada na Plataforma SIGA, em http://www.sigass.fiocruz.br/pub/inscricao.do?codP=120

O atraso na publicação ocorreu devido a problemas na Plataforma Siga.

Ascom-ILMD/Fiocruz Amazônia

Abertas as inscrições para iniciação científica no ILMD

O Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) informa que estão abertas,  de 28/6 a 5/7/2017, as inscrições para candidatos à bolsa de iniciação científica, nova ou de renovação, através do Programa de Iniciação Científica e Tecnológica (PIC-ILMD).

O PIC/ILMD é desenvolvido em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) e a Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico em Saúde (Fiotec), o edital de seleção é o 2017/2018.

Acesse aqui ao edital.

Interessados em participar do programa devem atentar aos Requisitos e Compromissos do Candidato, que estão no item 6 do edital. O candidato deve estar regularmente matriculado em curso de graduação de Instituição de Ensino Superior pública ou privada reconhecida pelo Ministério da Educação; ter Coeficiente de Rendimento Acumulado (CRA) com valor preferencialmente igual ou maior do que 7,0 no caso de bolsa nova e maior que 6,0, no caso de renovação; e não ter reprovação em disciplinas afins às atividades do projeto de pesquisa, dentre outras condições.

INSCRIÇÃO

As inscrições devem ser feitas na Coordenação do PIC/ILMD, que fica na Secretaria de Pesquisa (prédio anexo), à rua Teresina, 476, Adrianópolis, Zona Centro-Sul de Manaus.

Os candidatos e orientadores devem entregar à Coordenação do Programa, o projeto detalhado e documentação, conforme normas descritas no Edital.

OBJETIVOS DO PROGRAMA

O PIC/ ILMD tem por objetivos despertar a vocação científica e incentivar novos talentos potenciais entre estudantes de graduação;  contribuir para a formação de recursos humanos para a pesquisa e inovação tecnológica nos Determinantes Socioculturais, Ambientais e Biológicos do Processo Saúde-Doença-Cuidado para a melhoria das condições sociossanitárias na Amazônia;  estimular pesquisadores produtivos a envolverem estudantes de graduação em suas atividades científicas, tecnológicas e profissionais;   e proporcionar ao bolsista, orientado por pesquisador qualificado, a aprendizagem de técnicas e métodos de pesquisa, bem como estimular o desenvolvimento do pensamento científico, da criatividade e estímulo à inovação, decorrentes das condições criadas pelo confronto direto com os problemas estudados ou alvo da pesquisa.

SELEÇÃO

A análise das inscrições será realizada em duas fases, uma administrativa e outra técnica.   A administrativa compreende a conferência da documentação indispensável para a inscrição, e a técnica corresponde à análise meritória, visando o enquadramento da solicitação às condições estabelecidas pelo Programa.

Os projetos dos alunos serão pré-avaliados por um Comitê ad-hoc nomeado pela Coordenação do PIC-ILMD/Fiocruz Amazônia.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Foto: Banco de Imagens do ILMD/Fiocurz Amazônia

Vacina contra HPV é ampliada para meninos de 11 a 15 anos incompletos

A partir de agora, a vacina contra HPV passa a ser ofertada para os meninos de 11 até 15 anos incompletos (14 anos, 11 meses e 29 dias). A ampliação da faixa etária pelo Ministério da Saúde já foi comunicada às secretarias estaduais de saúde de todo o país, e tem como objetivo aumentar a cobertura vacinal nos adolescentes do sexo masculino. A vacina contra o HPV para os meninos passou a ser disponibilizada no Sistema Único de Saúde (SUS) em janeiro deste ano, contemplando os meninos de 12 até 13 anos. Até o ano passado, era feita apenas em meninas.

Com a inclusão desse público, equivalente a 3,3 milhões de adolescentes, a meta para 2017 é vacinar 80% dos 7,1 milhões de meninos de 11 a 15 anos e 4,3 milhões de meninas de 9 a 15 anos. Também terão direito a vacina, a partir de agora, homens e mulheres transplantados e oncológicos em uso de quimioterapia e radioterapia. Além disso, cerca 200 mil crianças e jovens, de ambos os sexos, de 9 a 26 anos vivendo com HIV/aids, também podem se vacinar contra HPV. O anúncio das mudanças foi feito nesta terça-feira (20) pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, em coletiva de imprensa.

Durante o anúncio, o ministro Ricardo Barros explicou que o objetivo principal da ampliação é aumentar a cobertura vacinal do HPV. Segundo Barros, uma das principais ações para alcançar essa meta é o Programa Saúde na Escola, parceria do Ministério da Saúde com o Ministério da Educação. “É um de nossos grandes aliados nessa frente. Com esse projeto, estamos convocando toda a comunidade escolar, pais e educadores, a atualizarem as cadernetas de vacinação destes jovens”, afirmou o ministro. Como exemplo bem sucedido desta iniciativa, o ministro citou o Estado de Santa Catarina e o município de Niterói que conseguiram, por meio de uma ampla mobilização nas escolares, ampliarem as coberturas vacinais contra o HPV.

Para conscientizar os meninos na busca da vacina, o Ministério da Saúde planeja para julho, período de férias escolares, campanha direcionada a este público, com o intuito de aumentar a cobertura nessa população. Além disso, a vacina de HPV também fará parte do elenco de vacinas a serem ofertadas na Campanha de Multivacinação que acontecerá no período de 11 a 22 de setembro. O Dia D da campanha de vacinação será dia 16 de setembro.

COBERTURA VACINAL

Desde o início da vacinação em 2014, até 02 de junho deste ano, foram aplicadas 17,5 milhões de doses na população feminina de todo o país. Na faixa etária de 9 a 15 anos, no mesmo período, foram imunizadas com a primeira dose 8,6 milhões de meninas, o que corresponde a 72,45% do total de brasileiras nesta faixa etária. Receberam o esquema vacinal completo, de duas doses, recomendado pelo Ministério da Saúde, 5,3 milhões de meninas, o que corresponde a 45,1% do público-alvo.

Já em relação aos meninos, de janeiro a 02 de junho deste ano, 594,8 mil adolescentes de 12 a 13 anos se vacinaram com a primeira dose da vacina de HPV, o que corresponde a 16,5% dos 3,6 milhões de meninos nessa faixa etária que devem se imunizar.

Outra novidade já anunciada este ano foi a inclusão das meninas que chegaram aos 14 anos sem tomar a vacina ou que não completaram as duas doses indicadas. A estimativa é de que 500 mil adolescentes estejam nessa situação.

ESQUEMA VACINAL

Meninos e meninas devem tomar duas doses da vacina HPV, com intervalo de seis meses entre elas. Para as pessoas que vivem com HIV, a faixa etária é mais ampla (9 a 26 anos) e o esquema vacinal é de três doses (intervalo de 0, 2 e 6 meses). No caso dos portadores de HIV, é necessário apresentar prescrição médica.

A vacina disponibilizada no SUS é a quadrivalente e já é ofertada, desde 2014, para as meninas. Confere proteção contra quatro subtipos do vírus HPV (6, 11, 16 e 18), com 98% de eficácia para quem segue corretamente o esquema vacinal.

Para os meninos, a estratégia tem como objetivo proteger contra os cânceres de pênis, garganta e ânus, doenças que estão diretamente relacionadas ao HPV. A definição da faixa etária para a vacinação visa proteger meninos e meninas antes do início da vida sexual e, portanto, antes do contato com o vírus. Vale ressaltar que os cânceres de garganta e de boca são o 6º tipo de câncer no mundo, com 400 mil casos ao ano e 230 mil mortes. Além disso, mais de 90% dos casos de câncer anal e orofaringe são atribuíveis à infecção pelo HPV.

Nas meninas, o principal foco da vacinação é proteger contra o câncer de colo do útero, vulva, vaginal e anal; lesões pré-cancerosas; verrugas genitais e infecções causadas pelo vírus. O HPV é transmitido pelo contato direto com pele ou mucosas infectadas por meio de relação sexual. Também pode ser transmitido da mãe para filho no momento do parto.

VACINAÇÃO NAS ESCOLAS

Para incentivar a vacinação de crianças e adolescentes, os ministérios da Saúde e da Educação possuem ações voltadas à prevenção e promoção da saúde nas salas de aula por meio do Programa Saúde na Escola. A partir do programa, as escolas vão atuar junto com as equipes de atenção básica para a vacinação dos estudantes. Uma das propostas é que os estudantes apresentem, já na matrícula, a caderneta de vacinação e as escolas comuniquem o sistema de saúde sobre as doses prioritárias.

O Ministério da Saúde considera de fundamental importância participação das escolas para reforçar a adesão dos jovens à vacinação e já enviou ao Ministério da Educação material informativo sobre as doenças. “Temos observado que, além da sensibilizar as escolas para a vacinação, os municípios também precisam mobilizar as unidades e as equipes de saúde da família para a atualização das cadernetas de vacinação de crianças e adolescentes”, afirmou o presidente do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasens), Mauro Junqueira.

O Brasil é o primeiro país da América do Sul e o sétimo do mundo a oferecer a vacina contra o HPV para meninos em programas nacionais de imunizações.

PESQUISA

Estudos internacionais recentes apontam o impacto da vacinação na redução da infecção pelo HPV. Pesquisa realizada nos Estados Unidos, onde há vacinação desde 2006, apontou redução de 88% da infecção oral por HPV. Outro estudo, realizado com homens de 18 a70 anos do Brasil, México e Estados Unidos, aponta que os brasileiros têm mais infecção por HPV que os mexicanos e norte-americanos (Brasil 72%, México 62% e USA 61%) e que a incidência de câncer do pênis no país é 3 vezes que dos norte-americanos.

Leia mais em Portal da Saúde-SUS

 

Palestra no ILMD sensibiliza pós-graduandos sobre divulgação e popularização científica

Com o tema: “Divulgação científica e popularização da ciência: responsabilidade social”, estudantes de pós-graduação, iniciação científica, bolsistas, pesquisadores e servidores do Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia), discutiram na última sexta-feira, 23/6, sobre os principais cenários, dificuldades e oportunidades, alternativas de como pode ser feito o trabalho de divulgação científica e popularização da ciência, a partir das mídias existentes e do papel social que as instituições de pesquisa devem exercer.

O tema foi pauta do Centro de Estudos do Instituto, abordado pelas pesquisadoras, Maria Olívia Simão, professora da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e pela jornalista, Cristiane Barbosa, doutoranda em Ciências da Informação pela Universidade Fernando Pessoa (UFP/Portugal).

Para Maria Olívia Simão, “a comunicação e a necessidade de socializar informações é hoje um desafio mundial. Na Europa, existe pesquisas e dados que mostram como a sociedade está enxergando a ciência nos diversos países”, destacou.

Cristiane Barbosa salientou a importância da discussão sobre divulgação científica no processo de formação dos estudantes. “Esse é um momento de formação, em que esses estudantes vão começar a interagir dentro dessa perspectiva da ciência e verificar que levar o conhecimento à sociedade é crucial dentro do processo de formação de um pesquisador. Essa oportunidade que a Fiocruz Amazônia traz para os seus mestrandos, bolsistas, alunos de iniciação científica é fantástica, pois a sensibilização desses futuros e presentes pesquisadores vai fomentar uma cultura de divulgação científica mais fortalecida daqui pra frente”.

O mestrando do Programa de Pós-graduação em Ciências do Ambiente Sustentabilidade na Amazônia (PPG-CASA), da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Pedro Mariosa, relatou que a palestra o ajudou a entender melhor sobre o novo papel do pesquisador-divulgador. “O conhecimento adquirido aqui, me deixou um pouco mais seguro, pois eu tenho o hábito de produzir algumas coisas sobre as pesquisas que eu desenvolvo, e ainda tenho aquele medo de estar jogando fora a minha produção acadêmica, ou de ter que me preocupar também com essa aproximação com a sociedade, através desses meios. A palestra me deixou claro o meu papel enquanto pesquisador, e esse novo papel que eu tenho que desempenhar, que é o de divulgador científico”.

SOBRE AS PALESTRANTES

Maria Olívia Simão é doutora em Biologia de Água Doce e Pesca Interior, e mestre em Entomologia pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), graduada em Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Foi Secretária Executiva Adjunta de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado do Amazonas, Diretora Técnico Científica da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas – FAPEAM e Diretora Presidente da FAPEAM.

Cristiane Barbosa é doutoranda em Ciências da Informação pela Universidade Fernando Pessoa (UFP/Portugal), Mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). É graduada em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo pela UFAM, especialista em Jornalismo Científico e Divulgação Científica em Saúde da Amazônia pelo (ILMD/Fiocruz Amazônia) e em Marketing Empresarial pela UFAM.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos ocorrem às sextas-feiras e deles podem participar estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde. A entrada é franca.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes.

PPGBIO-INTERAÇÃO abre inscrições para aluno especial

Interessados em participar como aluno especial do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Biologia da Interação Patógeno Hospedeiro (PPGBIO-INTERAÇÃO), do Instituto de Pesquisa Leônidas e Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia) devem realizar as inscrições no período de 03 a 05 de julho de 2017.

Podem se inscrever candidatos que sejam: alunos de outros cursos de pós-graduação stricto sensu da Fiocruz; alunos de outros cursos de pós-graduação stricto sensu de outras instituições públicas e/ou privadas; alunos de curso de pós-graduação lato sensu da Fiocruz; alunos de outros cursos de pós-graduação lato sensu de outras instituições públicas e/ou privadas; e Candidatos com curso de pós-graduação lato sensu concluído, que não estejam no momento da inscrição fazendo outro curso de lato sensu ou cursando stricto sensu.

INSCRIÇÃO

Para o segundo semestre de 2017, o PPGBIO-INTERAÇÃO oferece as seguintes disciplinas: Fisiopatologia e aspectos da resposta imune inata e adaptativa das doenças infecciosas, Introdução à analise proteômica, e Bioecologia de insetos vetores e variabilidade genética e evolução.

Os interessados poderão se inscrever por meio de formulário, disponível na Plataforma Siga, no endereço eletrônico: http://www.sigass.fiocruz.br/pub/inscricao.do?codP=127, observando os seguintes passos: primeiro clicar em Inscrição; em seguida, em Biologia da Interação Patógeno Hospedeiro; depois, preencher o formulário de inscrição; salvar em pdf, imprimir e assinar.

Para se inscrever são necessários os seguintes documentos: Carteira de Identidade Civil ou Militar (frente e verso), ou Carteira do Conselho de Classe; CPF; Declaração de matrícula em outro Programa de Pós-graduação lato sensu ou stricto sensu, ou certificado de pós-graduação lato sensu.

O formulário e demais documentos de inscrição devem ser encaminhados digitalizados, em “formato pdf”, para o endereço eletrônico selecaoalunoespecial.ilmd@fiocruz.br, até 21h59min (hora de Manaus) do dia 5 de julho. No assunto da mensagem a ser enviada, o candidato deverá digitar: “INSCRIÇÃO DE (NOME COMPLETO DO CANDIDATO) PARA ALUNO ESPECIAL PPGBIO 2017/2.

Informações detalhadas sobre a inscrição podem ser obtidas na Plataforma SIGA. Vale ressaltar que a plataforma só pode ser acessada através do navegador Internet Explorer. A seleção dos candidatos ocorrerá no período de 10 a 17 de Julho 2017.

RESULTADO

A Divulgação da lista dos candidatos selecionados ocorrerá no dia 20 de julho, na Plataforma SIGA no endereço eletrônico http://www.sigass.fiocruz.br/pub/inscricao.do?codP=127.

Os candidatos selecionados devem confirmar sua participação nas disciplinas as quais foi selecionado, através de mensagem eletrônica para selecaoalunoespecial.ilmd@fiocruz.br nos dias 25 e 26 de julho de 2017. Os candidatos que não confirmarem sua participação, dentro do período definido serão considerados desistentes, e estarão automaticamente excluídos da(s) disciplina(s).

Acesse a plataforma SIGA em: http://www.sigass.fiocruz.br/pub/inscricao.do?codP=127

 

LMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes

Foto: Banco de Imagens ILMD/Fiocruz Amazônia

Centro de Estudos do ILMD promove palestra sobre divulgação científica e popularização da ciência

Com o objetivo de mostrar os principais cenários, diálogos de dificuldades e oportunidades, e como pode ser feito o trabalho de divulgação científica e popularização da ciência, a partir das mídias existentes e do papel social que as instituições de pesquisa devem exercer, a palestra desta semana do Centro de Estudos do Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia), terá como tema: “Divulgação científica e popularização da ciência: responsabilidade social”.

O assunto será abordado pelas pesquisadoras, Maria Olívia Simão, professora da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e pela jornalista, Cristiane Barbosa, doutoranda em Ciências da Informação pela Universidade Fernando Pessoa (UFP/Portugal), nesta sexta-feira, 23/6, às 9h, no Salão Canoas, na sede do ILMD/Fiocruz Amazônia, à rua Teresina, 476, Adrianópolis, zona centro-sul de Manaus.

Para Maria Olívia, a comunicação do que se faz nos laboratórios precisa chegar até a comunidade. Ela destaca que a sociedade é quem subsidias as pesquisas com o pagamento de impostos, principalmente na área da saúde que é um dos temas que mais desperta interesse da população.

Sobre a oportunidade de falar a respeito desta temática na programação do Centro de Estudos, a pesquisadora ressalta a importância desta sensibilização como parte da formação acadêmica. “Esse espaço tem como público prioritário os alunos de pós-graduação e iniciação científica, então é importante que eles recebam na formação essa sensibilização, para que cheguem no mercado como profissionais mais aptos a lidar com essa realidade”, enfatizou Simão.

PIONEIRISMO

Visando oferecer formação profissional e acadêmica na área de divulgação e jornalismo científico em saúde na Amazônia, capacitar para os processos gerais e técnicas, e aprofundar a reflexão sobre divulgação e jornalismo científico em saúde, com ênfase no contexto Amazônico, o ILMD/Fiocruz Amazônia, já formou duas turmas do curso de especialização em Divulgação e Jornalismo Científico em Saúde na Amazônia.

O curso foi realizado pela Fiocruz Amazônia e o Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (ICICT/Fiocruz RJ), com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) e a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação do Amazonas (SECTI-AM).

Participaram da especialização aproximadamente 60 profissionais com formação em comunicação social e áreas afins, atuantes na mídia local e assessores de comunicação das Instituições de Ensino e Pesquisa; bem como profissionais de outras áreas com experiência na temática da Divulgação Científica na Amazônia.

SOBRE AS PALESTRANTES

Maria Olívia Simão é doutora em Biologia de Água Doce e Pesca Interior, e mestre em Entomologia pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), graduada em Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Foi Secretária Executiva Adjunta de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado do Amazonas, Diretora Técnico Científica da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas – FAPEAM e Diretora Presidente da FAPEAM.

Cristiane Barbosa é doutoranda em Ciências da Informação pela Universidade Fernando Pessoa (UFP/Portugal), Mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). É graduada em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo pela UFAM, especialista em Jornalismo Científico e Divulgação Científica em Saúde da Amazônia pelo (ILMD/Fiocruz Amazônia) e em Marketing Empresarial pela UFAM.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos ocorrem às sextas-feiras e deles podem participar estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde. A entrada é franca.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes.

 

 

Supervisores recebem treinamento para o 3º ciclo do PMAQ

Entre os dias 12 e 16 de junho, o Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ) realizou na cidade de Manaus (AM), o treinamento de supervisores que irão atuar no 3º ciclo de atividades do programa. O encontro realizado na Escola de Enfermagem da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), reuniu pesquisadores e pós-graduandos do Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), professores da Universidade e profissionais da Rede de Atenção à Saúde (RAS), que atuam como supervisores do PMAQ.

O treinamento faz parte das atividades prévias à entrada em campo do terceiro ciclo. Até o momento, o programa já realizou o mapeamento das localidades, construção do cronograma de viagens que serão realizadas aos municípios, e reuniões com os gestores para discutir como será feito o processo deste novo ciclo.

Entre os conteúdos ministrados no treinamento, foram selecionados: apresentação sobre os objetivos do programa e as características de cada ciclo; apresentação de um sistema que a Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico em Saúde (Fiotec) criou para o gerenciamento das despesas; e um mapeamento do conteúdo existente no Portal da Saúde relativo ao programa (relatórios, situações dos municípios, avaliações feitas nos ciclos anteriores, manuais de orientação e manual do PMAQ).

Durante o treinamento, foram apresentadas também algumas produções de análises sobre as avaliações. “São pesquisas acadêmicas feitas a partir de dados do PMAQ e outras feitas no próprio serviço. A gente se preocupou em qualificar os supervisores para o entendimento global desse processo, não só para coletar dados, mas também para entender os fundamentos da pesquisa, os princípios, objetivos e os conceitos que estão embutidos em cada pergunta”, destacou uma das coordenadoras do programa no Amazonas, a pesquisadora Luiza Garnelo.

AVALIAÇÂO EXTERNA

A avaliação externa corresponde à terceira fase do PMAQ, em que se realiza um conjunto de ações para averiguar as condições de acesso e de qualidade da totalidade de municípios e equipes participantes do programa. É nessa fase que participam as instituições de ensino e pesquisa, coletando os dados para a certificação das equipes. No Amazonas, o programa é coordenado pelos pesquisadores Luiza Garnelo, do ILMD/ Fiocruz Amazônia, e Esron Rocha, da UFAM.

Segundo Juliana Gagno, mestre em Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocruz), que apoia o grupo de coordenação geral do PMAQ, “o próximo passo é a seleção e treinamento de entrevistadores. Nesse momento estaremos trabalhando os instrumentos que serão aplicados em um tablet, iremos falar também sobre a responsabilidade desses profissionais que aplicam as entrevistas, desde padrões éticos até a qualidade dessa coleta de dados”.

SOBRE O PMAQ

O PMAQ tem como objetivo incentivar os gestores e as equipes a melhorar a qualidade dos serviços de saúde oferecidos aos cidadãos do território. Para isso, propõe um conjunto de estratégias de qualificação, acompanhamento e avaliação do trabalho das equipes de saúde.

O programa eleva o repasse de recursos do incentivo federal para os municípios participantes que atingirem melhora no padrão de qualidade no atendimento. O programa foi lançado em 2011, e conta com a participação de todas as equipes de saúde da Atenção Básica (Saúde da Família e Parametrizada), incluindo as equipes de Saúde Bucal, Núcleos de Apoio à Saúde da Família e Centros de Especialidades Odontológicas que se encontrem em conformidade com a Política Nacional de Atenção Básica (PNAB).

A ação é uma iniciativa do Governo Federal, que prevê a realização de um censo da infraestrutura das Unidades Básicas de Saúde (UBS) e a avaliação das condições de acesso e de qualidade das Equipes de Saúde da Família (ESF) participantes do programa.

As equipes de avaliação são formadas por um supervisor e três entrevistadores, que percorrerão as UBS aplicando questionários avaliativos a gestores, trabalhadores e usuários atendidos pelas equipes de saúde da família.

ILMD/Fiocruz Amazônia

Texto e fotos por Eduardo Gomes

 

Fiocruz Amazônia promove ações direcionadas à qualidade de vida de seus colaboradores

O Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) através do Núcleo de Saúde do Trabalhador (Nust/ILMD) realizou nesta terça-feira, 20/6, a palestra “Os dez passos para uma alimentação saudável: guia alimentar da população brasileira”.  A palestra foi ministrada pela nutricionista Sarah Cordeiro, e destinada aos colaboradores do Instituto.

Durante o encontro a nutricionista falou da importância de uma alimentação balanceada e da preferência que se deve dar aos alimentos in natura ou minimamente processados. Destacou também os dez passos para uma alimentação saudável, conforme orientação do Ministério da Saúde.

Acesse aqui as orientações.

O diretor do ILMD/Fiocruz Amazônia, Sérgio Luiz Bessa Luz, destacou a importância das ações desenvolvidas pela Fiocruz que visam a qualidade de vida de seus colaboradores e convidou a comunidade a participar dos eventos do Nust/ILMD.

ILMD + SAUDÁVEL

Na oportunidade, o chefe do Nust/ILMD, Rafael Petersen, falou da gincana ILMD + Saudável, que é uma competição entre equipes, que devem ser formadas por participantes da comunidade do ILMD: servidores, terceirizados, bolsistas e estagiários.

A gincana é uma ação do NUST/ILMD e tem como proposta trabalhar e dinamizar todas as ações desenvolvidas pelo Núcleo, por meio de competição entre equipes,  baseada em desafios lançados quinzenalmente. Os desafios serão relacionados à saúde do trabalhador e à segurança no trabalho, na perspectiva da promoção e prevenção em saúde.

Para reunir informações sobre saúde do trabalhador e hábitos de vida saudável, alimentação e integrar os colaboradores da Unidade, foi criada a fanpage do Nust/ILMD e um grupo fechado no Facebook.

Saiba mais no vídeo.

O ILMD + Saudável é destinado a colaboradores do Instituto.

SOBRE O CIRCUITO

O Circuito Saudável é um projeto da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) desenvolvido pela equipe de Nutrição do Nust, da Coordenação de Saúde do Trabalhador (CST), da Diretoria de Recursos Humanos (Direh), em parceria com a FioSaúde.

O projeto é voltado para a obtenção da qualidade de vida dos trabalhadores da Fiocruz, por meio da divulgação de informações sobre alimentação e nutrição no campo da saúde do trabalhador e atividades físicas. O projeto incentiva a adoção de hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e prática esportiva.

NUST-ILMD

Na Fiocruz Amazônia, o projeto tem à frente Rafael Petersen  e Sarah Cordeiro (nutricionista/Nust),  está vinculado Vice-diretoria de Gestão e Desenvolvimento Institucional (VDG). O Núcleo  também promove ações para a realização de exames médicos periódicos em parceria com a CST, análise ergonômica dos postos de trabalho, palestras de orientação em saúde, ações em biossegurança e brigada de incêndio, além de parcerias com diversos órgãos públicos da região de Manaus para a formação de uma rede de relacionamento e colaboração em estudos e intervenções em saúde do trabalhador.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Marlúcia Seixas

Fiocruz Amazônia promove curso sobre propriedade intelectual

De 26 a 28 de junho será realizado em Manaus, no Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), o curso “Propriedade intelectual e busca da informação tecnológica em documentos de patentes”. O curso é oferecido pelo Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT/ILMD), através da Coordenação de Gestão Tecnológica (Gestec), da Vice-Presidência de Produção e Inovação em Saúde (VPPIS), da Fundação Oswaldo Cruz com apoio financeiro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq.

O curso terá duração de 20h e será ministrado por Leila Longa e por Leonardo Leite. O conteúdo programático compreende aulas teóricas e práticas, que serão realizadas no Laboratório de Informática do ILMD/Fiocruz Amazônia, à rua Teresina, 476, Adrianópolis.

Serão abordados os seguintes assuntos: Fundamentos de propriedade intelectual e de propriedade industrial (Propriedade Intelectual – Convenções e Tratados), Propriedade Industrial (Tratados), Patentes e suas modalidades, Requisitos de patenteabilidade, Documento de Patente X Artigos Científicos, A quem pertence a Invenção?; Documento de patente como fonte de informação tecnológica, Conceito de Informação tecnológica, Classificação Internal de patentes, Códigos de documentos de patentes: INID – Status – Países;  Busca de Informação, Tipos de busca, Estratégia de busca (Operadores booleanos, Truncagem, palavras-chave, classificação internacional), Bases de dados para realização de busca; Prática de Patente (Exercícios), Busca em bases gratuitas, Busca em base contratada pela Fiocruz, e outras bases a serem mencionadas.

O curso é destinado a colaboradores do ILMD, no entanto 8 (oito) vagas gratuitas são destinadas ao público externo. As inscrições podem ser feitas por e-mail para nit.ilmd@fiocruz.br, com as seguintes informações: nome do participante, instituição a que está vinculado, telefone, RG, CPF.

As aulas acontecem nos dois turnos e os certificados serão emitidos pela Coordenação de Gestão Tecnológica (Gestec).

Ascom/ILMD, por Marlúcia Seixas
Imagem: divulgação